quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

A Coluna Emprego desta terça-feira destaca a profissão de motoboy

Motoboys terão que fazer curso profissionalizante para exerce a profissão.
Profissão tem aproximadamente 60 mil sindicalizados no estado do Rio.

Do G1 Serra, Lagos e Norte do RJ

Apenas no estado Rio de Janeiro, o Sindicato dos Empregados Motociclistas, conhecido como motoboys, conta com quase 60 mil trabalhadores vinculados.  Por conta dessa demanda, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) criou novas regras tanto para as empresas quanto para os motoboys. Entre as novas determinações, surgiu a obrigatoriedade de fazer o curso profissionalizante para exercer a função.

A nova regra, que entra em vigor ainda este ano, é de 2010, mas só na última quarta (23) o Detran abriu o credenciamento para as instituições. Com isso, o prazo para que a fiscalização comece a valer foi prorrogado. O curso que deve credenciar os motociclistas, ainda está em falta no mercado. Até o momento, nenhuma auto escola do estado oferece esse curso.

Pela resolução do Contran, a fiscalização começaria a partir do dia 2 de fevereiro. O curso de capacitação para motociclistas profissionais, como motoboys e mototaxistas, só vai ser exigido de setembro em diante. A partir de então, as autoescolas vão ter que se cadastrar no site doDetran e se preparar para oferecer os cursos.

De acordo com o Sindicato dos Empregados dos Motociclistas do Estado do Rio de Janeiro, os cursos devem custar entre R$1200 e R$1600. Além do curso, os motoboys também vão ter que andar com os equipamentos de segurança obrigatórios. Nesse caso, a fiscalização vai começar a partir de junho

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário