quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Sindicato quer regulamentação do serviço de mototaxi

Para presidente, condutor deve ter curso de direção defensiva

Erinaldo espera regulamentação (Foto: Arquivo Portal Infonet)

A problemática envolvendo a regulamentação do serviço de mototaxi parece não ter fim. Em entrevista ao Portal Infonet, o presidente do sindicato dos mototaxistas em Aracaju, Erinaldo Santos, ressaltou a importância da regularização do mototaxista. Ele defende que, para conduzir motos com passageiros, o condutor terá que fazer um curso de direção defensiva, usar equipamentos de segurança e garantir um seguro de vida contra acidentes, tanto para o condutor quanto para o passageiro.

Segundo Santos, se houvesse a legalização dos mototaxistas os acidentes envolvendo mortes e invalidez seriam bem menores. “Para que esses números reduzam, é preciso que o projeto de lei que visa regulamentar o serviço de mototaxi na capital sergipana, de autoria do vereador Fábio Mitidieri, seja a provada pela Câmara de vereadores. Mas houve mais uma reprovação e quem sofre é a população”, entende.

Ainda segundo o presidente do sindicato, sete em cada dez indenizações do Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (Dpvat) são por acidente com moto. Os dados apontam que Somente no primeiro semestre do ano, a indenização por causa de acidentes com motociclistas representou 69% do total pago.

“Os números comprovam a necessidade de se regulamentar o serviço de mototaxi. Só no primeiro semestre de 2012 foram pagos mais de 140 mil por invalidez permanente, fruto dos acidentes com motos. E tem mais, foram 40 mil mortes no primeiro semestre de 2012”, argumenta.

Para Santos, o número é alarmante e o problema está na falta de fiscalização, uma vez que campanhas educacionais reduziriam e muito as ocorrências envolvendo acidente com moto. “As autoridades não investem em campanhas educacionais. Elas devem criar uma lei que proíba pilotar descalço ou de sandália. Isso vai reduzir o número de acidentes e gerar economia aos cofres públicos”, diz.

Demanda

Somente em Aracaju, existem cerca de 65 empresas que fornecem o serviço de mototaxi. Mas Santos reintera que, apesar de ter muitas, as mesmas não oferecem equipamentos de segurança para os motoboys e passageiros que se expõem ao risco.  “As empresas estão contratando motoboy sem capacitação para levar passageiros, não possuem equipamentos indispensáveis como: touca descartável para uso do capacete, mototaxímetro, e ainda não fazem a manutenção da moto”, diz.

Crescimento

Conforme a matéria divulgada pela Agência Brasi, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) estima que o número de motos saltou de 5 para 16 milhões na última década, o que representa 27% da frota nacional de veículos. Os acidentes consequentemente aumentaram. Em junho deste ano, o Ministério da Saúde divulgou que 77.113 motociclistas foram internados em 2011 e os custos chegaram a R$ 96 milhões.

No primeiro semestre de 2012, foram 216.150 indenizações pagas por todos os tipos de acidente de trânsito, aumento de 31% em relação ao mesmo período do ano passado. Ao todo, foram empenhados nos pagamentos R$ 1,261 bilhão. O cidadão pode solicitar o seguro Dpvat nos casos de morte, invalidez permanente ou para reembolso de despesas médicas ou hospitalares decorrentes de acidentes de trânsito.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário