segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

MUNICÍPIO REGULAMENTA TARIFA PÚBLICA PARA SERVIÇO DE MOTOTÁXI EM IMPERATRIZ

 

Câmara Municipal aprova projeto de lei nº 18/2012 de autoria do executivo

 

A controvérsia criada por alguns mototaxistas no que diz respeito à cobrança de corridas, principalmente para os bairros mais afastados do centro, poderá ter uma solução a partir de agora. Os valores exorbitantes cobrados pelos mototaxistas têm causado indignação nas pessoas que necessitam desse serviço público.

 

Diante dessa situação, o Poder Executivo enviou à Câmara Municipal projeto de lei nº 18/2012, “dispondo sobre a regulamentação do valor de tarifa pública para o serviço de mototáxi de Imperatriz e dá outras providências”. O projeto apreciado na casa legislativa recebeu a aprovação unânime da Casa de Leis.

 

Detalhadamente, o projeto do executivo, que foi inicialmente debatido entre a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Setran) e o Sindicato dos Mototaxistas, regulamenta valores para as corridas no centro e para os bairros em valores que estão dentro da realidade do trabalhador imperatrizense.

 

Titular da Setran, José de Ribamar Alves, o Cabo J. Ribamar, a exemplo dos vereadores, recebeu manifestações de desagrado por parte de pessoas que se sentiam lesadas por mototaxistas que usando de má fé cobravam altos valores nas corridas. Os moradores de bairros mais distantes, segundo o secretário, eram os mais prejudicados.

 

Com a aprovação do projeto e sua consequente divulgação junto à população, o secretário Cabo Jota Ribamar acredita que esse problema da comunidade será sanado. A tabela com os preços das corridas deverá ser afixada em todos os pontos de mototáxi, e em outros locais públicos para que os usuários tomem conhecimento dos valores das corridas.

 

Ao comentar sobre o projeto, o vereador Pastor Luis Gonçalves da Costa (PDT) afirmou que o projeto apresenta valores dentro da realidade econômica do trabalhador. “Com sua aprovação e consequente divulgação os usuários do serviço de mototáxi não serão mais obrigados a pagarem a quantia estipulada pelo mototaxista como vinha acontecendo”, acredita Luis Gonçalves. (Domingos Cezar).

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário