segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Triciclo para usar como mototáxi

 

Os Tuk-tuks, como são mais conhecidos, serão vendidos no Recife a partir do próximo mês. Preços partem de R$ 12.500



Como o triciclo tem uma espécie de cabine, formada pelo para-brisa e teto em lona, condutor e passageiros estão dispensados do uso do capacete.

 

 

Você já deve ter visto um deles em filmes ou documentários sobre a Índia. Comuns nos países asiáticos, os Tuk-tuks também rodam pelos países andinos como Chile, Peru e Bolívia. Agora eles ganharam uma versão brasileira, fabricada em Manaus, e começarão a ser vendidos no Recife a partir do próximo mês ao preço de R$ 12.500.

 

O Tuk-tuk brasileiro atenderá pelo nome de MTX 150 e já começou a ser produzido pela Motocar, empresa instalada na Zona Franca de Manaus desde 2009. O grupo também fabrica outros dois modelos de triciclo para carga. O principal alvo do Tuk-tuk nacional é o transporte de passageiros já que o veículo leva duas pessoas, além do piloto. Para conduzi-lo, basta a habilitação na categoria A. Como o triciclo tem uma espécie de cabine, formada pelo para-brisa e teto em lona, condutor e passageiros estão dispensados do uso do capacete.

 

A aposta do empresário Eduardo Pinto, representante da marca Motocar no Recife, é o mercado de mototáxi. Pernambuco tem 10 cidades com serviço de mototáxi regulamentado pelas prefeituras. “Mototáxi é uma necessidade em muitas cidades, principalmente do interior, embora algumas pessoas evitem pegar uma moto de aluguel por conta do risco de acidentes”, diz o empresário. Nesse contexto, o Tuk-tuk tem a vantagem de estar bem apoiado em três rodas, além de a cabine em lona plástica proteger os passageiros do sol e da chuva.

 

A velocidade alcançada pelo triciclo é baixa, em torno dos 50 km/h chegando até 65 km/h. Eduardo Pinto afirma que o Tuk-tuk é adequado para o transporte urbano e deslocamentos de pequena distância. “É bem mais confortável e seguro que uma moto”, reforça.

 

A mecânica é de uma moto de 150 cilindradas com câmbio mecânico de cinco velocidades e marcha a ré. O veículo vem equipado ainda com freio a disco na roda dianteira, cintos de segurança para os passageiros, extintor de incêndio, macaco e triângulo. Existe ainda um pequeno bagageiro para pequenos volumes de até 50 quilos. A garantia é de um ano.

 

Do Jornal do Comércio

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário