domingo, 5 de agosto de 2012

Regulamentação para motoboy é prorrogada

Regulamentação para motoboy é prorrogada
Motofretistas terão até fevereiro de 2013 para regularizarem situação
Paulo Nascimento
paulonascimento.rn@dabr.com.br

A falta de regulamentação de uma resolução lançada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) ainda em 2010 fez com que, pela terceira vez, os motoboys de cidades que ainda não ordenaram seus trabalhos, como Natal, tivessem o prazo prorrogado. Desde ontem, as regras que estavam previstas para entrar em vigor a partir de hoje (4) foram prorrogadas para fevereiro de 2013. A decisão do Contran deu-se após várias cidades não conseguirem promover o curso necessário para os motoboys estarem habilitados para receber a licença profissional de "motofretista".

Profissionais precisarão fazer curso e adequar-se as novas regras. Foto: Fábio Cortez/DN/D.A Press


As inscrições do curso promovido pelo Serviço Social do Transporte e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat) em Natal começaram na quarta-feira passada. Segundo o diretor do Sest/Senat, Jéferson Dantas, serão abertas inicialmente quatro turmas. "A previsão é de que o curso inicie no próximo dia 13, com 30 alunos em cada turma", explicou ele. Como o curso tem apenas duas semanas de duração, com 25 horas aulas de teóricas e cinco de aulas práticas, ainda em setembro deverão ser abertas oito turmas. "Tudo depende da demanda, mas nossa previsão é fechar uma turma e abrir logo em seguida mais uma", frisou Jéferson. Durante o curso, o motofretista em formação deverá ter aulas de legislação de trânsito, ética e cidadania e gestão de risco na condução do veículo, essencial para a formação do profissional. 

Os pré-requisitos básicos para realizar o curso de motofretista são: ter 21 anos e dois anos de Carteira Nacional de Habilitação da categoria A, que dá direito a conduzir veículos de duas rodas. A inscrição custa R$ 200. O curso que concede a qualificação ao motoboy, no entanto, pode ficar mais barato para quem é integrante do Sindicato dos Condutores de Duas ou Três Rodas do RN (Sindmoto-RN). "Nossos filiados recebem uma documentação, que pode ser apresentada no Sest/Senat e o curso fica por R$ 160", afirmou Michel Oliveira, secretário-geral do Sindmoto-RN. A intenção do sindicato é que todos os motoboys, filiados ou não, façam o curso. A estimativa do Sindmoto-RN é de que, apenas em Natal, cerca de 4 mil pessoas trabalhem como motofretista. 

Enviado via iPad

Nenhum comentário:

Postar um comentário