quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Desinteresse compromete cursos obrigatórios de mototáxi


PDF 
Seg, 27 de Agosto de 2012 16:43

Os cursos obrigatórios de capacitação para mototaxistas e motofretistas, obrigatórios pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito), estão comprometidos em Franca, em razão do desinteresse dos profissionais que atuam no setor. Esse comportamento passou a ficar mais claro a partir do anúncio da prorrogação do prazo de fiscalização, que seria no início desse mês e foi transferido para o dia 3 de fevereiro de 2013. A secretaria de Segurança e Cidadania está preocupada com essa situação e alerta que há um risco claro, por falta de alunos, do curso que foi trazido para Franca depois de muito empenho da Prefeitura, junto ao sistema SEST/SENAT, deixar de ser realizado aqui.

Isso porque houve a necessidade de movimentar uma complexa logística que envolveu a reserva dos espaços cedidos pela Prefeitura para atender até três turmas por período, contratação de monitores e destinação dos veículos utilizados para as aulas práticas, tudo regulamentado em um Termo de Cooperação Técnica que foi firmado pelas partes. A partir dessa semana, no entanto, não houve número para as aulas do curso de mototaxistas. Em razão disso, nessa segunda-feira, teve início apenas o curso para motofretistas, mas o futuro sobre o que pode acontecer é incerto, revelou o secretário municipal Sérgio Buranelli. Ele sinalizou que a hipótese mais provável é que não havendo mais alunos o curso deixe de ser oferecido na cidade e as futuras turmas tenham que se deslocar até Ribeirão Preto, com os custos adicionais e problemas com o deslocamento.

 

Os números

De acordo com levantamentos feitos até o final de semana para mototaxistas até o momento, participaram dos três cursos ministrados em Franca, 70 profissionais, enquanto para motofretistas houve a participação de 137 pessoas. A previsão inicial para este mês é que pelo menos 300 profissionais participassem da capacitação obrigatória, o que não ocorreu. E o mais comprometedor é que não tem havido interesse pelas pré-inscrições que devem ser feitas na sede do PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador), no complexo Integra-SP, no centro da cidade. Preocupado com os eventuais prejuízos futuros para quem deseja exercer a profissão e não estará apto, o secretário Sérgio Buranelli fez um apelo aos dirigentes da Associação dos Mototaxistas para que se mobilizem e sensibilizem os profissionais a aproveitarem essa oportunidade que foi criada.

Em relação à situação dos motofretes, contatos foram e continuam sendo feitos com várias empresas que têm profissionais envolvidos com a entrega de mercadorias, para que também se mobilizem e aproveitem essa chance do curso na cidade. Por fim, um outro alerta da secretaria de Segurança e Cidadania é que essa participação no curso obrigatório ocorra pelo menos dois meses antes do prazo de início da fiscalização. Isso para que haja tempo da inserção do curso constar na carteira de habilitação. A obrigatoriedade dos equipamentos básicos de segurança nas motos, tanto para o transporte de pessoas como de mercadorias continua e está sendo fiscalizada normalmente. Outras informações podem ser obtidas no PAT, tel. 3723-5539.


Enviado via iPad

Nenhum comentário:

Postar um comentário