segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Angelim entrega novas credenciais para mototaxistas

 

Qui, 23 de Agosto de 2012 16:25 Asscom/PMRB

Na semana passada, a RBTrans realizou a entrega do documento para os taxistas. São carteiras produzidas com o mesmo material usado nos cartões de crédito, que a princípio podem durar, se bem cuidadas, até quatro anos

O prefeito Raimundo Angelim entregou nesta quinta-feira, 23, 120 credenciais de mototaxista em cerimônia realizada na sede da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (RBTrans). No total, serão entregues 800 credenciais ao longo dos próximos dias (cerca de 100/dia) para que até a metade do próximo mês todos os mototaxistas tenham trocado de credencial.

Na semana passada, a RBTrans realizou a entrega do documento para os taxistas. São carteiras produzidas com o mesmo material usado nos cartões de crédito, que a princípio podem durar, se bem cuidadas, até quatro anos. A credencial antiga, de papel, perdia rapidamente sua qualidade devido à exposição ao sol e à chuva, uma vez que a atividade de mototaxista é ao ar livre.

O superintendente da autarquia, Ricardo Torres, fez uma apresentação em forma de “túnel do tempo” para lembrar como o sistema funcionava antes de Angelim assumir a Prefeitura. Em 2005, como exemplo principal citado por Torres, o sistema de trânsito era gerenciado por uma estrutura frágil, sem equipamentos nem pessoal. Hoje, com a criação da RBTrans, os usuários do sistema tem plena convicção da segurança de seus direitos e os detentores de concessão para o transporte público sabem exatamente onde procurar seus direitos.

Em 2005, os veículos de transporte de concessão pública, tanto táxis quanto mototáxis e outros, não tinham padronização, eram velhos e todo mundo corria perigo. Hoje, a frota de táxis é nova, assim como a de ônibus coletivo. Os mototáxis estão padronizados, as motos são de boa qualidade e os usuários tem a certeza de estarem lançando mão de um serviço legalizado.

O presidente do Sindicato dos Mototaxistas de Rio Branco, Pedro Mourão, agradeceu pelos avanços e pelo compromisso de Angelim e seus assessores com a categoria, aproveitando para expor também as demandas e reivindicações futuras, como o aumento do número de abrigos e maior fiscalização contra os mototaxistas clandestinos, os chamados pirangueiros. “O prefeito sempre esteve pronto a nos ajudar e por isso agradecemos”, disse Mourão.

Foram citados também os tempos em que as ruas de Rio Branco eram tomadas pela buraqueira, citando o trabalho desenvolvido pela Prefeitura no asfaltamento, duplicação e implantação de vias –serviços que melhoraram substancialmente a vida dos trabalhadores no sistema, taxistas, mototaxistas e freteiros.

Atualmente o Município possui frota superior a 130 ônibus distribuídos em 50 linhas regulares na zona urbana e outras quatro na área rural. De acordo com dados do Rbtrans aproximadamente dois milhões de passageiro fazem uso do Sistema de Transporte coletivo todos os meses usando como base o Terminal Urbano, no centro da Capital. Já o transporte particular conta com 603 taxistas 800 mototaxistas regularizados, levando-se em conta os titulares e os condutores reserva. Para se uma ideia, Rio Branco possui hoje 144 mil metros quadrados de área urbana e faz-se necessário o investimento no transporte para garantir a acessibilidade e o deslocamento da população. O Plano Diretor de Transporte e Trânsito, produzido na gestão de Angelim, indica o que é prioritário.

“É uma coisa boa que a gente espera que dê certo”, disse o mototaxista Carlos Jorge, há treze anos na praça, ao receber sua credencial nova.

Motos novos e profissionais qualificados

Em 2005, a idade média da frota de motos usadas como táxi em Rio Branco era 4,4 anos. Com a organização do sistema, os veículos passaram a ser novos e seguros, alcançando idade média de 2,7 anos em 2011. Os licenciamenentos, a legalização do veículo subiu de 45% do total em 2005 para 98,2% em 2011. Em Fortaleza, capital do Ceará, 60% das motos foram detidas pela fiscalização por falta de licenciamento. Dados de 2009 sugerem que o cenário sócio-econômico de Rio Branco aponta para um crescimento de 14% ao ano da frota. Para absorver o impacto desse crescimento várias medidas têm sido adotadas desde 1999 e potencializadas a partir de 2005. Nesse período foram iniciadas as obras de duplicação do acesso ao aeroporto internacional, na BR 364; a construção da Via Chico Mendes, Avenida Antônio da Rocha Viana, Via Verde, Parque da Maternidade, terceira ponte sobre o rio Acre, Parque Tucumã, primeira etapa da nova Avenida Ceará e duplicação da Avenida Valdomiro Lopes, 4ª Ponte, Avenida Amadeo Barbosa, entre outras obras. Com elas, a cidade passou a contar com mais de 60 quilômetros de ciclovia, proporcionalmente uma das maiores malhas do País para bicicletas. Os investimentos na sinalização horizontal e vertical também garantem mais comodidade para motoristas, pedestres e motociclistas.

Números do sistema mototáxi em Rio Branco
*180 mil viagens ao mês
*2,6 milhões de viagens por ano
*1.000 operadores do sistema
*569 permissões ativas
*2,7 anos de idade média da frota de motos, a segunda mais jovem do Brasil

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário