segunda-feira, 16 de julho de 2012

PM vai apertar fiscalização de mototaxistas

 

 

Em parceria com a Emdurb, 'Força tarefa' vai fazer cumprir resolução do Contran que exige segurança Rodrigo Viudes
rodrigo.viudes@bomdiabauru.com.br

 

Após sucessivas prorrogações de prazos e mudanças na regulamentação municipal, o serviço de mototáxi e motofrete em Bauru deverá ter, enfim, uma fiscalização mais intensiva para coibir irregularidades - e, por consequência, inibir o trabalho dos clandestinos.

 

A Polícia Militar e a Emdurb (Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano e Rural de Bauru) vão apertar o cerco em uma ação conjunta para fazer cumprir os termos da Resolução 356 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), que rege sobre os aspectos de segurança para o serviço.

 

Os bloqueios, previstos para ocorrerem em vários pontos da cidade, começam a partir de 4 de agosto, quando começa a valer a resolução – adiada várias vezes para que o setor pudesse se adaptar às exigências.

 

“Com certeza, essa resolução facilitará a nossa ação e melhorará a segurança tanto de quem trabalha, como também do passageiro, no caso do mototáxi”, afirmou o tenente da Polícia Militar, Michel Collis Prieto.

 

EXIGÊNCIAS / E não são poucas as “novidades” para os profissionais do guidão: registro adequado na carteira de habilitação, equipamentos (aparador de linhas de pipa, “mata-cachorro”), colete com sinalização, entre outros.

 

O mototaxista que tiver menos de 21 anos e antecedentes criminais (homicídio, estupro e corrupção de menores) terá que deixar o ofício.

 

Outra exigência é a habilitação em curso oferecido em Bauru pelo Sest/Senat. Desde 2009, 550 alunos já receberam o certificado.

 

“No começo, eles ficam desconfiados, mas depois acabam por se interessar pelas orientações”, afirmou o instrutor Paulo Roberto de Freitas.

 

O curso é gratuito. A carga horária é de 30 horas - são cinco dias e a última aula é prática. As inscrições devem ser feitas no próprio Sest/Senat.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário