sexta-feira, 27 de julho de 2012

Motociclistas profissionais farão protesto nesta sexta em Porto Alegre


Categoria pede gratuidade no curso de adaptação às regras do Contran

Pelo menos 500 motociclistas devem protestar, nas ruas de Porto Alegre, nesta sexta-feira, contra adaptações determinadas pela resolução 350 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). De acordo com o presidente do Sindicato dos Motociclistas Profissionais, Valter Pereira, a categoria pede gratuidade no curso obrigatório de adequação de 30 horas, que hoje custa R$ 170, além de mais vagas de estacionamento na área central, transporte de caronas em motos com placas da cor cinza e a não exigência de antenas corta-pipa.

Segundo Pereira, os manifestantes sairão às 7h do Sitio do Laçador, na zona Norte em direção ao Paço Municipal, no Centro de Porto Alegre, onde o grupo espera ser recebido pelo prefeito José Fortunati e pelo diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari. “Há poucas vagas para motociclista e nem todos têm condições de ter duas motos, uma para uso pessoal e outra com placa vermelha para transporte. Outro ponto é necessidade de antenas corta-pipa. No Estado não temos a cultura de soltar pandorga, logo é dispensável essa medida”, assinalou.

Conforme o presidente , outro ponto a ser abordado é o alto custo para qualificar os 350 mil profissionais gaúchos que devem passar pelo curso até o dia 4 de agosto. Segundo ele, enquanto outros estados ofereceram gratuidade, no Rio Grande do Sul essa hipótese não foi apresentada à categoria. “Como não dará tempo de todos passarem pelo curso, ao menos já acertamos com a EPTC, em Porto Alegre, que quem tiver o protocolo de matricula não será multado”, disse.

O motociclista que descumprir a resolução fica sujeito a multa de R$ 191,54, podendo ter inclusive o veículo e a mercadoria apreendidos.

Fonte: Rádio Guaíba

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário