segunda-feira, 23 de julho de 2012

Lavar as mãos, não

O Projeto de Lei de que trata da regulamentação dos serviços de moto-táxi na cidade de Ponta Grossa, de autoria do vereador Edilson Fogaça, é de grande valia

O Projeto de Lei de que trata da regulamentação dos serviços de moto-táxi na cidade de Ponta Grossa, de autoria do nobre vereador Edilson Fogaça, é de grande valia para essa classe trabalhadora e para toda a comunidade, pois os serviços de moto-taxista já existem há tempo, mas tais profissionais atuam de forma irregular.
Trata-se de uma atividade que traz um alto nível de riscos, inclusive às vidas das pessoas. Isso é indiscutível. Em razão disso, também é indiscutível que, se o serviço existe e traz riscos, ele deve e tem que ser regulamentado. Devem ser criadas normas de operacionalidade do trabalho executado, para que possam ser exigidos equipamentos adicionais dos motos-taxistas e condutas responsáveis desses profissionais, visando a diminuição dos riscos de perda de vidas dos mesmos. O Poder Público não pode fechar os olhos para tais fatos.
Hoje Ponta Grossa conta com 28.000 motocicletas de pequenas e até de grandes potências, das quais, aproximadamente, 1.000 delas são utilizadas nos serviços de moto-táxi. E é do conhecimento de todos que o uso das mesmas por um ser humano, tanto como ferramenta de trabalho quanto como meio de transporte ou de lazer, traz riscos constantes. Elas existem, são usadas e sempre serão. As pessoas têm que se acostumar a dividir o trânsito com elas. Então, pelo menos, que haja mais segurança e condições dignas de trabalho para os profissionais que trabalham sobre uma moto.
Diante disso, condenar a regularização ou lavar as mãos diante de um serviço e profissão que já existem, é uma irresponsabilidade. Os agentes e dirigentes públicos devem tratar o assunto com a importância que ele merece, regularizando e exigindo desses profissionais condutas compatíveis com um profissional digno, estabelecendo normas e penalidades para aumentar a segurança. Qualquer ato que contrarie essas constatações é inconsequente e estúpido, e poderá trazer sérios efeitos. É importante que se pense nisso.
Moto-táxi em Ponta Grossa é uma realidade e não se fazer de conta que não existe. Esse serviço tem que ser regulamentado e quanto antes. Essa é uma obrigação dos homens públicos que têm competência para a regularização.
Parabéns Câmara Municipal de Ponta Grossa pela iniciativa!

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário