sábado, 2 de junho de 2012

Ponto de mototáxi das Quatro Bocas é considerado ilegal

 O correto é autorizar um ponto para um número de motos que não atrapalhe o convívio


IMPRIMIR

O correto é autorizar um ponto para um número de motos que não atrapalhe o convívio

"Para se colocar um ponto de mototaxista, se recorre ao sindicato e nós levamos a solicitação à Secretaria de Trânsito que, por sua vez, vem averiguar o local, conversar com quem vive próximo. Às vezes têm residências, lojas. O correto é autorizar um ponto para um número de motos que não atrapalhe o convívio de quem está nas proximidades. Se a secretaria achar por bem não colocar, não coloca", Francisco Aragão, presidente do sindicato dos mototaxistas.

Apesar de placas indicativas e da pintura no chão, o ponto de mototaxistas instalado na Avenida Bernardo Sayão, próximo ao cruzamento com a Avenida Ceará, quase na calçada de um posto de combustível, é considerado ilegal pelo presidente do sindicato da categoria. De acordo com o representante da classe, a instalação foi realizada por um grupo de mototaxistas sem comunicar à instituição e sem o aval da Secretaria de Trânsito de Imperatriz.

"Para se colocar um ponto de mototaxistas se recorre ao sindicato. Nós levamos a solicitação à Secretaria de trânsito, que por sua vez vem averiguar o local, conversar com quem vive próximo. Às vezes têm residências, lojas. O correto é autorizar um ponto para um número de motos que não atrapalhe o convívio de quem está nas proximidades", explica o presidente do Sindicato dos Mototaxistas, Francisco Aragão, acrescentando que existem outros pontos na cidade na mesma situação.

Aragão informou que esse tipo de improviso trás algumas consequências, como a transformação do ponto que, se estivesse dentro da legalidade, deveria ser apenas rotativo, um ponto "privatizado". "Deveria ser como um apoio para o mototaxista que saísse de um local para outro e parasse alguns minutos por ali, para aguardar algum cliente, mas quem instala não quer deixar outros encostarem, o que acaba gerando desentendimentos".

No inicio dessa semana a Policia Militar esteve no ponto das 4 Bocas - citado na abertura dessa matéria - e solicitou que um grupo de mototaxistas mudasse pelo menos para o outro lado da rua. Testemunhas informaram que a justificativa seria algumas modificações que o proprietário ou gerente do posto de combustíveis desejaria fazer na área do estabelecimento comercial.

Mas, de acordo com Aragão, "a polícia veio aqui porque foi informada de coisa errada. Ontem estive conversando com o coronel e ele recebeu a denuncia. Quando eles (policiais) chegaram aqui, como já vinham investigando, tem pessoas prestando o serviço de mototaxi que vinham fazendo coisa errada, com droga, outros não tinham licença para trabalhar, alvará, não tinham número no colete, nem no capacete. Sem esses equipamentos obrigatórios, estão fazendo serviço ilegal".

O presidente dos mototaxistas alertou para uma situação considerada comum entre os profissionais das amarelinhas e que acaba aproximando da classe pessoas tidas como incapacitadas para desenvolver a atividade. Seria o aluguel de motos para terceiros feito por mototaxistas credenciados.

O secretário de Trânsito, José Ribamar, informou que não são todos os casos em que é necessária a autorização da Setran para instalação de pontos rotativos, e que iria dar atenção ao caso do setor Quatro Bocas.

 



Nenhum comentário:

Postar um comentário