quinta-feira, 28 de junho de 2012

Mototaxistas de Uberaba, MG, se adequam à nova regulamentação

 

Quase cinco meses se passaram desde a aprovação da lei que regulamenta as profissões de mototaxista e motoboy em Uberaba, no Triângulo Mineiro, e até agora pouca coisa mudou na prática. Uma reunião entre profissionais da categoria e chefes da Secretaria de Trânsito da cidade, realizada na manhã desta terça-feira (26), serviu para estabelecer regras a serem cumpridas pelas empresas que prestam o serviço. O prefeito Anderson Adauto aprovou o decreto de regulamentação, publicado no dia 8 de fevereiro deste ano, depois de tramitar na Câmara desde agosto de 2010.

Mais de 100 mototaxistas e motoboys participaram do encontro. Uma das principais dúvidas dos profissionais era sobre o limite de vagas para prestação do serviço, como ocorre com os taxistas que têm concessões por tempo determinado. Segundo o secretário de trânsito, Ricardo Sarmento, a nova legislação permite um mototaxista para cada 450 habitantes. Ou seja, com base no último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Uberaba poderá ter até 666 pessoas trabalhando como mototaxista nas ruas.

“Nessa primeira leva temos 254 profissionais aptos para o trabalho e devidamente cadastrados na Prefeitura. Estamos terminando mais um processo de licitação que possibilitará a regularização de mais 120 profissionais que já atuam nas ruas. Outras 120 vagas serão disponibilizadas no próximo processo licitatório, ainda sem data prevista”, explicou Sarmento.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Mototaxistas de Uberaba, Sérgio Antônio Silva, a partir de agora, uma série de regras devem ser cumpridas, como a padronização das motos na cor amarela, placas vermelhas, antenas de proteção contra linhas de cerol, capacetes também amarelos e mata-cachorro. “Os mototaxistas serão identificados por documentos de licenciamento, inclusive os auxiliares. As motocicletas deverão ter o máximo de cinco anos de uso”, disse Sérgio.

O treinamento para motoboys e mototaxistas que antes era feito fora da cidade, agora será disponibilizado aos trabalhadores por meio do Serviço Social do Transporte (SEST) e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), conforme informou o secretário de trânsito.

Fonte: G1

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário