quinta-feira, 21 de junho de 2012

Mototáxi é profissão perigo em Itabuna


Mototaxistas estão apreensivos com os índices divulgados

Somente essa semana pelo menos cinco motos foram levadas por assaltantes em pontos distintos de Itabuna. Os mototaxistas, desprevenidos, acabam prestando serviços para marginais que se fazem passar por passageiros. A forma de ação similar e a agressividade dos criminosos estão presentes na maior parte dos crimes registrados.

Segundo a polícia e as próprias vítimas, a forma de atuação dos assaltantes é similar na maior parte dos crimes. Uma mulher bem vestida solicita o serviço de mototáxi, porém, ao chegar ao destino solicitado, um comparsa já espera a vítima com arma em punho. Outra prática comum dá conta da ação praticada em quebra-molas do município, registrando-se, com frequência, a ação de assaltantes quando o mototaxista é obrigado a reduzir a velocidade da moto.

O caso mais recente aconteceu por volta das 5 horas desta quinta-feira (14) na BR-415, no trecho do bairro Urbis IV. Dois ladrões interceptaram no meio da pista o mototaxista Flávio Santos Silva, de 26 anos, e tomaram dele a moto Honda Fan, 125 cc, de cor preta e placa NTE 8610. Segundo a vítima, ele foi abordado pelos assaltantes assim que reduziu a velocidade do veículo. “Eles ainda tentaram me agredir, levaram também minha carteira com documentos e dinheiro”, recorda. A vítima revelou que a moto havia sido comprada pelo valor de R$ 4 mil há pouco mais de uma semana. “Comprei para poder trabalhar e eles levam de graça”, lamenta.

Outra mototaxista que teve a moto roubada em Itabuna na última semana foi Luan Lopes, de 23 anos, assaltado na avenida JS Pinheiro, Centro de Itabuna. Segundo a vítima, após sair com um suposto passageiro do Centro Comercial, onde funciona a Central de Mototáxi em que trabalha, seguiu para o bairro Lomanto, sofrendo assalto ao se aproximar do Colégio Modelo. O ladrão anunciou o assalto e levou a moto preta de placa JMZ-9144.

Já o mototaxista Solangio de Jesus teve sua moto, de cor preta e placa MVE 6222, roubada durante o assalto também no bairro Lomanto, próximo ao antigo aeroporto da cidade. Solangio também foi vítima de uma mulher que se passou por passageira, sendo surpreendido pelo criminoso no destino solicitado.

Roubo e morte

Os casos relacionados aos profissionais de transporte alternativo com motos não ficam somente nos assaltos e agressões. Ainda na semana passada, o mototaxista Ezelis Rodrigues de Freitas, de 20 anos, foi baleado na rua da Bananeira, próximo ao antigo aeroporto, em Itabuna. Segundo a família, sem envolvimento com drogas e nenhum tipo de vício, Ezelis foi vítima de mais uma armação dos assaltantes, já que o homicídio ocorreu após uma mulher não identificada ter solicitado o serviço e levado a vítima até o local onde aconteceu o crime.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário