sexta-feira, 29 de junho de 2012

CMTU estima existência de 200 mototaxistas clandestinos em Londrina

  • Pauline Almeida

Quem aciona um mototáxi em Londrina muitas vezes não sabe que o serviço é regulamentado e que pode estar sendo transportado por um condutor clandestino. As diversas placas brancas vistas nas centrais e nas ruas são a prova disso. A Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) confirma o fato e acredita que cerca de 200 motociclistas trabalhem ilegalmente na cidade.

Todo veículo autorizado devidamente para transporte remunerado deve ter placa vermelha, que indica a realização de um serviço. O diretor de Trânsito da CMTU, Wilson de Jesus, afirma que a fiscalização é feita, mas não consegue inibir a prática.

"Hoje nós temos cerca de 426 mototaxistas legalizados aqui na CMTU. Principalmente no período noturno, deve haver pelo menos 200 na clandestinidade", disse. Ele garantiu que a companhia faz vistorias tantos nas centrais quanto por meio dos agentes de trânsito nas ruas.

Mas a última grande operação, desencadeada em parceria com a Polícia Militar, foi realizada no final do ano passado. A ação conseguiu fechar dois empreendimentos que, além de não terem alvará, eram usados para crimes, como o tráfico de drogas.

Diante da dificuldade de tirar os profissionais ilegais da ativa, Jesus defende que a maior fiscalização deve ser feita pelo cliente. "Veja se ele tem a placa vermelha, se está com o colete, se é visível a carteira de condutor expedida pela CMTU. Se não tiver isso, não há segurança nenhuma. Se porventura acontecer um acidente não tem seguro, não tem como responsabilizar e o cliente vai ficar totalmente desamparado", colocou.

Em 2012, dois processos foram abertos para cadastramento de novos mototaxistas. De 100 vagas ofertadas, apenas 11 foram preenchidas. O diretor de Trânsito reclama da resistência dos profissionais. "Eles acreditam piamente na impunidade para continuar exercendo a profissão e na ausência da cobrança por parte daquele que cumpre o serviço", alegou.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário