sábado, 23 de junho de 2012

Câmeras devem ser instaladas nos carros para exame das autoescolas

O objetivo é coibir pagamento de propina, diz coordenador em Uberaba.
Autoescolas precisam atingir índice mínimo de 60% para renovar alvará.

Do G1 Triângulo Mineiro

Comente agora

Autoescolas precisam aprovar pelo menos 60%
dos alunos (Foto: Reprodução/TV Integração)

Desde 2011, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) exige a aprovação de, pelo menos, 60% dos alunos nos testes de direção. Essa nova exigência causa uma preocupação: a possibilidade de pagamento de propina pelas autoescolas aos examinadores para manter um bom índice.

Segundo o coordenador da banca avaliadora, Francisco Gouvêa, uma fiscalização garante que a corrupção não aconteça e, para aumentar a transparência nos exames, câmeras devem ser instaladas nos carros. “Isso vai dar uma transparência ainda maior porque você vai poder acompanhar o exame através deste sistema e o centro de formação vai acompanhar as aulas no interior do veículo”.

Em abril, dos 28 centros de formação de condutores que existem em Uberaba, no Triângulo Mineiro, 14 não atingiram o índice mínimo de aprovação. Com esse resultado, se o Detran fosse renovar hoje os alvarás de funcionamento das autoescolas, metade delas poderiam ser fechadas. “Se ela [autoescola] atingir 60% o alvará de funcionamento é renovado. Se não, os diretores de ensino e instrutores têm que fazer uma reciclagem para conseguir o alvará”, explicou o coordenador da banca avaliadora, Francisco Gouvêa.

O cumprimento do índice mínimo pressiona as autoescolas a melhorar a qualidade do ensino. “A maioria das autoescolas está procurando fazer uma seleção melhor, formar um corpo docente melhor, que vai treinar bem os alunos”, disse o diretor de autoescola, Paulo Alexandre Teixeira.

O Departamento de Trânsito (Detran) determina o mínimo de 20 horas de aula de direção. Muitos instrutores consideram a quantidade insuficiente, o que pode resultar em reprovações. “A autoescola só tem poder sobre o aluno até ele completar o mínimo de aulas. Após as 20 horas/aula a decisão é dele. Se o aluno não conseguir nem ligar o carro e falar que quer fazer o exame ele tem direito”, explicou Paulo.

O eletricista Nerisvan Alves tentou, pela primeira vez, a aprovação em um exame de direção. Antes de entrar no carro foi difícil controlar o nervosismo, mas ele conseguiu a aprovação. “Independentemente de qualquer coisa você tem que estar preparado. Foi difícil, mas apesar do nervosismo consegui”, disse Nerisvan.

E foi exatamente o nervosismo que reprovou o estudante André Mendonça quatro vezes. “Muitas vezes você se sente preparado, mas acho que a forma como o exame é feito prejudica a pessoa, te deixa nervoso. Eu fazia tudo direito, mas chegava na hora da prova e não dava certo”, contou André.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário