quarta-feira, 30 de maio de 2012

Mototaxistas ignoram cadastro



Da Reportagem

Apesar da redução das taxas e da prorrogação do prazo, o período de cadastramento para mototaxistas da Capital atraiu apenas parte dos 219 profissionais que já atuavam de forma regular em 2011. O motivo, para o presidente do sindicato que representa a categoria no Estado, Wilson Neves, é a falta de fiscalização. 

Para 2012, a prefeitura concedeu autorização para que 780 mototáxis atuem em Cuiabá. A grande maioria, no entanto, não possui alvará. "Nós tentamos organizar, fizemos um trabalho de conscientização, mas o poder público não ajudou. O mínimo que eles deveriam fazer é fiscalizar e punir quem não é legalizado", reclama Neves. 

Na última sexta-feira (23) o prefeito Chico Galindo (PTB) sancionou o projeto de lei que reduz em mais de 50% o valor dos impostos pagos pelos mototaxistas. 

As taxas, que chegavam a um custo de aproximadamente R$ 400, foram reduzidas a R$ 183. Mesmo assim, a procura pelo alvará tem sido baixa. 

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte Urbano (SMTU) apela para que a população auxilie o controle, evitando utilizar os serviços de profissionais irregulares. 

Entre as vantagens apontadas está a garantia de um seguro de até R$ 10 mil em caso de acidentes. O valor é independente do seguro por Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Dpvat). 

Os mototaxistas cadastrados pela prefeitura também passam por cursos de capacitação e direção preventiva e têm os veículos vistoriados. Além disso, as motos não podem ter mais de 5 anos de uso. 

O prazo para cadastramento termina amanhã (31). Os formulários estão disponíveis na sede da SMTU, na rua Treze de Junho, das 12h às 17h30. Os interessados ainda podem ligar no 3315-4299. (LN) 


Enviado via iPad

Nenhum comentário:

Postar um comentário