sábado, 7 de abril de 2012

Projeto instituindo serviços de moto-táxi e moto-frete é rejeitado

   

O plenário da Câmara Municipal de SJN ficou lotadoO plenário da Câmara Municipal de SJN ficou lotadofotos: Salette Garcia
O Projeto de Lei 08/2012, apresentado pelo vereador Edson de Souza Silva, instituindo o serviço de moto-táxi e moto-frete no município de São João Nepomuceno, foi rejeitado pela Legislativo Municipal, em reunião ordinária, realizada na noite desta terça-feira (03/04), no salão de reuniões da Câmara Municipal.
Foram 4 votos contra, três a favor e uma abstenção. Votaram contra o projeto os vereadores – Antônio Braz Alves Coelho (Toinzinho), Carlos Alberto dos Santos (Dr. Santos), Sebastião Carlos Barbosa e Paulo César de Souza Barreiros (Sibéria). A favor do projeto votaram os vereadores – Edson de Souza Silva, Rodrigo Barbosa e Francisco Batista de Oliveira. O vereador Írio Henriques se absteve e o vereador Gabriel Verardo Loures (Biel), que ocupa o cargo de Presidente da Câmara, só vota em caso de empate.
A audiência aconteceu com o plenário lotado de motociclistas, taxistas e populares. Também compareceu à reunião o proprietário da linha de ônibus circular, que presta serviço ao município.
No projeto, que tinha o objetivo de regulamentar as profissões de moto-taxista e motoboy no município, o vereador Edson, dentre outras justificativas, ressaltou o seguinte: “A informalidade e a clandestinidade que acompanhou o início do serviço no Brasil já não existe nas principais cidades brasileiras. Inegavelmente o moto-táxi já está inserido no cotidiano das pequenas e grandes cidades do país, da mesma forma que o serviço de moto-frete, os populares motoboys. (...) A atividade de moto-táxi se popularizou rapidamente em cidades do interior e capitais, atendendo de forma satisfatória aos seus usuários, que hoje não se veem sem o uso do moto-táxi”.
Levi Amaral pediu imparcialidade aos veradores
Levi Amaral pediu imparcialidade aos veradores

A rejeição foi aplaudida, principalmente pelos taxistas presentes, e lamentada pelos defensores do projeto e pelo representante dos motociclistas Levi do Amaral Júnior, que antes da votação fez um apelo aos vereadores para que votassem com imparcialidade, visando única e exclusivamente o interesse público.
Ficou claro que a rejeição aconteceu porque o projeto previa a instituição do serviço de moto-taxi na cidade, uma vez que houve a proposta de desmembramento do mesmo para a exclusão deste serviço e permanência apenas do serviço de moto-frete.
Última modificação em Qua, 04 de Abril de 2012 15:11

Nenhum comentário:

Postar um comentário