sexta-feira, 20 de abril de 2012

Moradores de Mirassol, SP, sofrem com falta de transporte público

 

 

Moradores de Mirassol, SP, sofrem com falta de transporte público
Há dois anos, município não conta com ônibus para fazer o transporte.
Sem carro ou moto, moradores apelam para a bicicleta para ir trabalhar.

 


Moradora de Mirassol precisa andar de bicicleta para ir trabalhar

 

Os moradores de Mirassol (SP) sofrem diariamente com a falta de transporte público no município. Quem não tem um veículo para se locomover, precisa caminhar quilômetros todos os dias. A bicicleta também é opção para quem não tem um carro.

 

A vigilante Cláudia Santos atravessa vários bairros até chegar ao emprego. Ela enfrenta 12 horas de expediente e depois pega a bicicleta de novo para voltar para casa. “Chego totalmente cansada no trabalho e depois de uma jornada de dia inteiro do trabalho, tenho serviço em casa ainda para fazer. É uma vergonha não ter ônibus em Mirassol”, afirma.

 

Há dois anos, quem não tem carro ou moto na cidade enfrenta muita dificuldade. Quando os ônibus pararam de circular, a diarista Maria Augusta dos Santos começou a pagar mototáxi. O gasto era de R$ 8 por dia, que ela tinha que tirar dos R$ 50 que ganha como diarista. O jeito foi comprar uma bicicleta. “Chega em alguns pontos que eu tenho de empurrar a bicicleta e passar pela linha de trem até chegar ao meu destino. Fico muito cansada”, disse.

 

A manicure e cabeleireira Amália Ribeiro, de 74 anos, também tem que andar de bicicleta para trabalhar. “Eu me canso bastante, à tarde o sol é muito quente e é muita subida. Queria um transporte público para me ajudar", contou.

 

Segundo o Estatuto do Idoso, toda pessoa com mais de 65 anos tem direito ao transporte público de graça. A Constituição Federal também garante que todo município é obrigado a oferecer transporte à população.

 

Em Mirassol, quase não têm mais pontos de ônibus, os poucos que ainda existem estão abandonados, com bancos enferrujados e ainda sofrem com a ação de vândalos.

 

O prefeito de Mirassol, José Ricci Júnior, disse que desde 2010 abriu cinco licitações e nenhuma empresa se interessou em prestar o serviço. “Os motivos alegados é que são muitos buracos nas ruas, o que já resolvemos. Outro motivo é que mais de 60% da demanda seria de idoso e não seria lucrativo o serviço para as empresas”, diz o prefeito.

 

O prefeito enviou projeto à Câmara Municipal para municipalizar o transporte, mas a lei não foi aprovada. Ricci decidiu agora que vai publicar um decreto para a prefeitura assumir a responsabilidade. “Já compramos três ônibus. Temos obrigação constitucional de prestar o serviço e não podemos fugir disso”, garantiu.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário