domingo, 25 de março de 2012

Taxa de entrega gera polêmica no Grande ABC



Soraia Abreu Pedrozo

Do Diário do Grande ABC



Os motoboys que trabalham realizando entrega em nove unidades da rede de fast food McDonald's do Grande ABC reclamam que seus direitos, previstos em convenção coletiva da categoria de outubro do ano passado, não estão sendo cumpridos.



Dentre as determinações, consta o repasse integral da taxa de entrega, que hoje é de R$ 7. "Recebemos apenas R$ 2,50", conta um dos motoqueiros, que prefere não se identificar. "E isso acontece também com outras redes de delivery na região."



O Sindimoto ABC (que representa os motociclistas da região) afirma que está marcada para terça-feira, reunião na sede do sindicato com a Vetor, empresa terceirizada do McDonald's. Segundo Jefferson Lima de Menezes, tesoureiro da entidade, eles vão conversar com cada uma das empresas que não cumpriram a convenção. "A próxima será a China in Box", conta. "Estamos trabalhando para resolver a situação no setor de delivery em geral. Vamos também realizar fiscalização em pizzarias, o que é muito mais complicado, porque muitas delas não têm sequer CNPJ." Estão na lista também Habibs e Ragazzo.



A equipe do Diário não conseguiu contato com as assessorias desses restaurantes nem com a empresa terceirizada Vetor.



Quanto ao McDonald's, a companhia afirma que "vai apurar detalhadamente os fatos com a empresa que presta serviços de entregas na região."



Outros benefícios da categoria aprovados em convenção e não cumpridos são: convênio médico e odontológico, seguro de vida e espaço com bebedouro e cadeiras para descanso entre uma entrega e outra. A categoria recebe entre R$ 1.200 e R$ 1.300 mensais por seis horas de trabalho no Grande ABC, de acordo com o Sindimoto

Nenhum comentário:

Postar um comentário