quarta-feira, 14 de março de 2012

Acidente na BR-324 confirma denúncia da TRIBUNA


Publicada: 14/03/2012 00:06| Atualizada: 13/03/2012 23:28

Adriano Villela REPÓRTER

Um acidente na manhã de ontem na BR 324, envolvendo dois motociclistas, comprovou a denúncia veiculada pela Tribuna na semana passada quanto à falta de médicos na rodovia, administrada pela Via Bahia desde outubro de 2009.

As duas vítimas foram socorridas por ambulância do Samu, apesar do contrato firmado com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) prevê a obrigatoriedade da assistência médica pela concessionária. “Cadê a Via Bahia?”, indagou o apresentador da TV Record, Raimundo Varella, ao noticiar o caso.


Na edição da última sexta, a Tribuna veiculou matéria denunciando a falta de médicos na BR-324, o que deixa os usuários da via apenas com a possibilidade de socorro do sistema público. A reportagem apurou que só há médicos na BR 116, também sob responsabilidade da Via Bahia.

A ausência de profissional médico, segundo denúncia de contratados da empresa, foi acarretada por demissões determinadas em janeiro último. O jornal encaminhou as informações apuradas à Ouvidoria da ANTT, que está analisando o caso. A reportagem procurou ontem a Via Bahia, mas não obteve o retorno.

Em resposta à primeira matéria, a empresa ressaltou que fez uma readequação das bases de Salvador e Irajuba, sob a alegação que a rede hospitalar de Salvador e Feira de Santana era suficiente para atender a demanda da BR-324. Das 15 bases, 13 contariam com ambulâncias e técnicos em emergências.

Porém, o presidente do Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindmed), Francisco Magalhães, asseverou à Tribuna que “além do técnico de enfermagem, o enfermeiro exista a presença de um médico capacitado durante 24 horas. Como pode um técnico realizar uma função pela qual não foi capacitado?”, ressaltou. A ocorrência de ontem mostrou que a estrutura alegada pela concessionária não se mostrou eficaz.

SEM OBRAS - Em mais um desdobramento da denúncia da Tribuna, o pedágio cobrado nesta rodovia deve sofrer mais um pedido de suspensão. A medida está sendo avaliada pelos 18 deputados de oposição. O advogado contratado pelo grupo de deputado, Sandro Moreno, esteva viajando com o objetivo de recolher documentos para a ação. Por este motivo, a entrega da representação nos ministérios públicos do Estado e Federal, prevista para ontem, foi adiada para hoje.

“Vamos pedir ao Ministério Público, que é fiscal da lei, que cobre da Via Bahia o cumprimento do contrato”, resumiu o vice-líder da oposição, deputado Bruno Reis (PRP). O parlamentar acrescentou que o pedágio quase foi suspenso uma vez – em dezembro do ano passado – por falta de obras previstas em contrato. “A Justiça concedeu a liminar, mas depois a empresa recorreu e foi dado um prazo para ela fazer as melhorias. Vamos ver agora se isso foi cumprido”, destacou o deputado.

Na avaliação do deputado, a qualidade do tapa-buracos só poderá ser avaliada nos próximos meses, durante o período chuvoso. O não cumprimento destas obrigações vai reforçar o atual pedido pela suspensão do pedágio. “Passo pela BR-324 toda semana. No último sábado usei essa rodovia e não vi nenhuma melhoria visível”. A representação será assinada por parlamentares de sete partidos (PMDB, DEM, PSDB, PSC, PR, PTN, PRP).

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário