terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Justiça convoca mãe e irmão de Eloá para serem testemunhas


Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR
13/02/2012 | 13h59 | Mudança


O julgamento do motoboy Lindemberg Alves - acusado de matar a ex-namorada Eloá Pimentel, de 15 anos, em outubro de 2008 - foi interrompido no início desta tarde para a pausa do almoço. O júri, que acontece no Fórum de Santo André, no ABC paulista, teve início nesta manhã. No início, a juíza Milena Dias dispensou quatro das 19 testemunhas relacionadas - sendo três de defesa. Na alteração, foi incluído o nome da mãe de Eloá, Ana Cristina Pimentel, e do irmão mais novo da adolescente, Ederson Douglas Pimentel, como testemunhas de defesa no lugar das que foram dispensadas. As informações são da GloboNews.

Também antes da pausa, a defesa do réu mostrou no júri vários vídeos com reportagens da época, incluindo entrevistas feitas por jornalistas com o réu dentro do apartamento. Nas imagens apareceram, ainda, análises de psiquiatras e profissionais da mídia mostrando que a pressão sobre Lindemberg poderia ter influenciado no desfecho do caso. Para o assistente de acusação, o advogado José Beraldo, a tática da defesa é cansar o júri.

Antes do início do julgamento foram sorteados, entre 25 pessoas, os sete que iriam participar do júri, que ficou com a composição de seis homens e apenas uma mulher. O julgamento deve durar no mínimo três dias.

Mãe de Eloá: "Não tenho ódio dele, mas espero que seja condenado"

O Ministério Público de São Paulo vai pedir a condenação do réu a 52 anos de prisão por ter certeza de que a bala que matou Eloá partiu da arma que o rapaz usava. Já a defesa vai assumir a linha de que Lindemberg sempre foi um bom moço.

Antes do início da sessão, a advogada do réu, Ana Lucia Assad, disse que o cliente “está calmo e tranquilo, porém ansioso”:

"Ele vem sendo crucificado e o exemplo disso é que ele deveria ter aguardado o julgamento em liberdade, pois não tinha antecedentes criminais, tinha endereço e emprego fixos."

A mãe de Eloá afirmou que “está tudo sendo muito difícil” e falou sobre a expectativa para o julgamento:

"Espero que Lindemberg seja condenado. Não tenho ódio dele, mas espero que seja condenado. Hoje de manhã orei a Deus para que a justiça seja feita".

Ao chegar no fórum, Ana Cristina foi aplaudida por pessoas que se aglomeravam na porta.

Réu tinha intenção de matar Eloá desde o início, diz promotoria:

Inconformado com o fim do relacionamento com Eloá, de 15 anos, Lindemberg, que à época tinha 22, invadiu armado o apartamento em que a garota morava com os pais. O cárcere privado durou mais de cem horas. Nesse período, outros três amigos de Eloá foram mantidos como reféns. No dia 18 de outubro, o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da PM invadiu o local. Lindemberg atirou na ex-namorada e em uma das amigas dela, Nayara Rodrigues. Eloá morreu a caminho do hospital. Nayara foi atingida, mas sobreviveu.

Segundo a promotora Daniela Hashimoto, Lindemberg tinha a intenção de matar Eloá desde o início:

"Houve essa explosão da porta, os policiais não conseguiram ingressar imediatamente e ele teve tempo para tentar se refugiar e aí, ainda assim, podendo se render, atirou nas meninas".

Além do homicídio e da tentativa de matar Nayara e um policial militar que tentava negociar a rendição, Lindemberg também responde pelo crime de cárcere privado e disparos de arma de fogo. O réu está preso preventivamente na Penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo.

O júri de Lindemberg estava marcado para ocorrer em fevereiro do ano passado, mas uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em novembro de 2010, anulou a fase de instrução e o processo teve que voltar à fase inicial. O juri vai contar com 19 testemunhas - sendo 14 da defesa e cinco da acusação.

Da Agência O Globo

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário