terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Centro Educacional Paulistano de Motociclistas está para ser inaugurado

Chamado de CEPAM, uma parceria do CET e da Abraciclo...

No país onde em 2011 foi produzida mais de 2 milhões de motocicletas, sendo 92% até 150cc e sendo na grande maioria pilotadas por pessoas que estão buscando alternativa de locomoção, já que o transporte público é de baixa qualidade e os preços de automóveis, despendioso para a maioria da população, um centro educacional para motociclistas foi inaugurado.

Por outro lado, importante parte dessas motocicletas de até 150cc são usadas por motofretistas, também chamados de motoboys, além daquelas usadas por mototaxis, profissão comum no interior do país.

Investimentos na educação são sempre muito bem vindos ao Brasil, principalmente num setor onde educação pode significar salvar vidas, como é a questão do uso responsável de uma motocicleta.

As obras de adequação do espaço aconteçam ainda neste semestre para ser aberto ao público no segundo semestre de 2012. A expectativa de atendimento é de cerca de 20 mil motociclistas/ano, o que equivale a apenas 1% das motos zero quilômetros comercializadas, mas, já é um bom começo e quem sabe, o CEPAM de São Paulo, torne-se referência para outras iniciativas semelhantes em outras cidades brasileiras.

Criado com o propósito de ser uma referência nacional para a educação de quem se locomove sobre duas rodas, o CEPAM vai funcionar nas instalações do Espaço Vivencial de Trânsito (EVT) Chico Landi, pertencente à CET e localizado na Zona Leste da cidade (Rua Vilela, nº 572, Carrão).

No convênio de cooperação, a ABRACICLO será responsável pela reforma nas dependências do EVT Chico Landi enquanto que a CET responderá pela elaboração dos conteúdos técnicos dos programas educativos e pelo fornecimento das condições de manutenção e funcionamento predial, dentre outras atribuições. Quando pronto, o CEPAM promoverá uma diversidade de ações contínuas e eventos educativos, como treinamentos teóricos e práticos, feiras, exposições, seminários, palestras, congressos e eventos de mobilização e conscientização do motociclista, seja ele um condutor comum ou profissional, também chamado de motofretista.

Fonte: RockRiders.com.br

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário