terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Manobra proibida leva à Jacu-Pêssego

Fabio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

 


Acessar a Jacu-Pêssego a partir da Avenida Ayrton Senna da Silva, em Mauá, exige manobras proibidas e arriscadas. Isso porque o trevo, incompleto, não oferece alças para que o motorista que trafega no sentido bairro da via acesse a Jacu-Pêssego. Os acessos estão localizados apenas na pista sentido Centro. Dessa forma, quem transita na mão oposta tem de fazer conversão proibida à esquerda e até percorrer trecho na contramão para chegar na via que dá acesso ao Trecho Sul do Rodoanel.
Já as alças de saída da Jacu-Pêssego desembocam apenas no sentido bairro da Ayrton Senna, o que também exige conversões perigosas no caso de o motorista precisar retornar ao sentido Centro. A avenida é utilizada com frequência pelos moradores do Jardim Oratório para chegar à região central do município. O motorista que optar por fazer o retorno sem infringir a legislação de trânsito deve percorrer pelo menos 1,5 quilômetro e fazer a conversão em frente a uma indústria química.
A equipe do Diário esteve no local e constatou que é grande a quantidade de motoristas que cometem irregularidades para conseguir chegar à Jacu-Pêssego. Em cinco minutos, chegou a 20 o número de veículos que fizeram conversão proibida, o que representa quatro por minuto. Uma das soluções para o problema, mesmo sem a construção de acessos, seria a criação de um retorno adequado. "O povo acaba improvisando retornos. Mas é perigoso, pois a via é estreita e tem muitas curvas", avalia o serralheiro Hélio Souza, 26 anos.
O vendedor Osmar Luiz da Silva, 48, sugere a instalação de semáforos, o que, na opinião dele, diminuiria o risco de acidentes. "Já que a obra está incompleta, podiam colocar um farol aqui e legalizar a conversão. Assim não haveria risco de colisão e os motoristas não seriam multados."
A precariedade na infraestrutura e na sinalização faz com que acidentes graves tenham ocorrido no trevo. "Uma vez vi um caminhão fazer a conversão e atingir em cheio um motoboy, que infelizmente morreu", comenta o caminhoneiro Fernando Gomes da Silva, 27.
A Dersa, empresa estatal responsável pela construção do Trecho Sul do Rodoanel e do Complexo Jacu-Pêssego, afirma que já concluiu todas as obras planejadas para o local e que, portanto, não está incumbida da construção de alças. A Prefeitura de Mauá diz que só poderá discutir com o governo do Estado a respeito da criação de acessos após a entrega total do complexo. A administração municipal afirma também que não tem condições financeiras de executar a obra. A Prefeitura também reivindica que o Estado faça o recapeamento da Avenida Ayrton Senna.

No Jardim Paranavaí, ligação com a avenida é de terra

A ligação entre o Jardim Paranavaí, em Mauá, e a Avenida Jacu-Pêssego é precária e oferece riscos aos motoristas que usam a via. A pista na chamada Estrada da Servidão é de terra, além de ter passagem estreita e sem iluminação. O tráfego é dificultado ainda mais por conta dos buracos, situação que fica pior após chuvas. O prolongamento da Jacu-Pêssego foi entregue em outubro de 2010 e, desde então, a saída ainda não foi concluída.
Apesar de curto, com aproximadamente 100 metros, o trecho tem grande movimentação de caminhões, além da circulação de linha de ônibus. A pista também não tem calçadas, o que põe em risco a vida dos pedestres que circulam pela via.
A situação gera insatisfação por parte de moradores dos arredores. "Tinha que asfaltar aqui. Esse acesso seria ótimo se fosse bem cuidado. Iria poupar muito tempo para nós", comenta o motoboy Ildebrando Neves, 45 anos. A via liga a Jacu-Pêssego à Estrada Adutora Rio Claro. O percurso é utilizado como rota alternativa para quem quer ir para bairros como Jardim Zaíra e Miranda D'Aviz.
A Dersa informou que, quando concluiu as obras na avenida, recebeu da Prefeitura lista com as vias que deveriam ser pavimentadas. Segundo a empresa, a Estrada da Servidão não fazia parte do pacote de obras. A Prefeitura, por sua vez, diz que o acordo foi feito informalmente. A administração afirma que, caso a estatal não faça a obra, irá assumir o serviço, mas não deu prazo.

Trabalho de motoboy poderá ser considerado atividade perigosa

 

 

O Projeto de Lei 2865/11, do Senado, inclui as atividades de mototaxista, motoboy e serviço comunitário de rua entre aquelas consideradas perigosas. Conforme prevê a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT, Decreto-Lei 5.452/43), os profissionais que atuam em áreas perigosas têm direito a adicional de 30% sobre o salário, descontados os acréscimos resultantes de gratificações, prêmios ou participações nos lucros da empresa.
Atualmente, apenas trabalhos que impliquem contato permanente com inflamáveis ou explosivos em condições de risco acentuado recebem essa classificação na lei.
À época da apresentação da proposta, o autor, senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), ressaltou o crescimento do número de acidentes com motos no País. “Nos últimos cinco anos, tivemos uma média de 200 acidentes fatais por ano, ou mais de um a cada dois dia, só em São Paulo”, afirmou.
Agravamento
Desde então, com o crescimento do número de veículos de duas rodas, a situação só se agravou. De acordo com dados do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, em nove anos – entre 2002 a 2010 – a quantidade de mortes ocasionadas por acidentes com motos quase triplicou.
Conforme o levantamento, 10.152 pessoas morreram em acidentes com motos apenas em 2010, contra 3.744 no segundo ano da década. Somente em São Paulo, o número de acidentes fatais com motocicletas totalizou 1.518 ao longo de 2010.
Tramitação
Em regime de prioridade, o projeto foi encaminhado para análise conclusiva das comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Profissionais irão se reunir amanhã no Paço Couto Magalhães

30/01/2012 - 11h27  

Da Redação
Os mototaxistas que trabalham em Várzea Grande realizam nesta terça-feira (31) um ato de agradecimento, em frente ao Paço Couto Magalhães, para comemorar a aprovação da Lei que regulamenta o serviço no município. O evento está marcado para ás 10 horas e deve reunir cerca de 300 profissionais.
A Lei 3633/2011, que cria e disciplina o serviço, foi aprovado no final do ano passado. “Essa era uma antiga reivindicação dos profissionais que, desde 2001, buscavam a regulamentação da atividade. Com a nova lei os mototaxistas terão uma série de benefícios à categoria e, a população que utiliza esse veículo de transporte, mais segurança”, destacou o presidente da Associação dos Mototaxistas de Várzea Grande, Silvio Santos Gonçalves.
Ele disse ainda que com a aprovação da Lei os profissionais terão reconhecimento e respeito. “Somos pais de famílias e responsáveis, mas reconhecemos que algumas pessoas trabalham de forma irregular, e isso acaba afetando a credibilidade dos que estão trabalhando de forma regular”, disse.
PADRONIZAÇÃO – A cor da motocicleta e do capacete dos mototaxistas que trabalham em Várzea Grande será padronizada para diferenciar dos que atuam na capital. A associação e o Sindicato dos Mototaxitas estarão realizando um cadastramento de todos os profissionais que atuam na cidade e aqueles que não se adequarem as normas que estabelece a atividade não poderão atuar no município.
CAPACITAÇÃO - De acordo com artigo XX, com a Lei aprovada e regulamentada a prefeitura tem 15 dias para fazer o chamamento por meio de edital de convocação dos mototaxistas. Depois deste período, os profissionais devem procurar a Secretaria de Trânsitos e Transportes Urbanos (STTU/VG) para fazer o cadastramento, tendo um prazo de 90 dias para equipar a moto e adquirir os equipamentos de segurança.
Os profissionais cadastrados vão participar de uma capacitação sobre segurança no trânsito, segundo a resolução n° 350 do Denatran.

Curso de pilotagem garante formação de qualidade aos mototaxistas e motoentregadores

 


 

Mariana Anunciação

Conforme a Lei 12.009, para o exercício da atividade de motoentregador e mototaxista é necessário que o profissional tenha completado 21 anos de idade, possua habilitação por pelo menos dois anos na categoria “A”, utilize colete de segurança dotado de dispositivos retrorrefletivos e seja aprovado em curso especializado, regulamentado pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito) e demais exigências.
A capacitação deve ser dividida em duas etapas: Curso Teórico, que terá carga horária de 25 horas-aula e o curso de Prática de Pilotagem Profissional, com duração de 5 horas-aula. Para realizar o curso, além dos requisitos exigidos pela Lei, o condutor não poderá estar cumprindo pena de suspensão do direito de dirigir, cassação ou impedido judicialmente de exercer os seus direitos.
Para ser aprovado no curso especializado, o condutor deverá ter 100% de freqüência e ser aprovado com setenta por cento na avaliação. Em caso de reprovação, a pessoa terá prazo máximo de 30 dias para realizar nova avaliação.
Curso
O Sest (Serviço Social do Transporte) e o Senat (Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte) oferecem este curso, que aborda sobre assuntos relativos à ética e cidadania na atividade profissional, noções de legislação, gestão do risco sobre duas rodas, segurança e saúde.
Conforme a regulamentação, o motociclista profissional deverá realizar o curso de reciclagem a cada cinco anos. Já os mototaxistas, que já estiverem atuando no setor, devem passar por um curso de nivelamento.
“Aplaudimos a decisão de instituir a obrigatoriedade do curso, pois o profissional deve ter em mente a importância de adquirir conhecimentos e melhorar suas atitudes, para garantir mais segurança no trânsito”, enfatiza a coordenadora do SENAT, Ronilda Resende.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Perigo no volante

 

Publicação: 29 de Janeiro de 2012 às 00:00

O que é mais perigoso? Dirigir alcoolizado ou cansado? Os "Caçadores de Mito" fizeram o teste. Usando como cobaia dois de seus apresentadores eles fizeram o teste em uma pista dinâmica (que simula o trânsito na cidade) e uma mais entediante, simulando uma estrada de mão-dupla. Com 0.6 miligramas de álcool no sangue, o limite permitido nos Estados Unidos, (o dobro permitido no Brasil) foram muitas as barbeiragens anotadas pelos instrutores, tanto na cidade como na estrada.

No segundo teste, os cobaias estavam privados de sono há 30 horas. Derrubaram cones além da conta no circuito dinâmico, invadiram a pista contrária durante boa parte do tempo e demonstravam reflexos extremamente lentos numa situação que simulava um animal cruzando a pista na frente do carro. Conclusão a que chegaram: dirigir com sono é três vezes mais perigoso que alcoolizado. Os "Caçadores de Mito" também fizeram o teste do celular e o veredicto deles é que dirigir e falar ao telefone ao mesmo tempo "é uma loucura."

A combinação perfeita para um desastre grave é dirigir alcoolizado, com sono e sem cinto de segurança, coisa que não é difícil ver em algumas cidades do interior do Rio Grande do Norte, onde a fiscalização nunca chega. E tão fatal quanto um carro-bomba dirigido por um terrorista suicida.

Novo alvo

Depois da queda de Elias Fernandes, no Dnocs, as baterias dos grandes jornais continuam apontadas para o Ministério da Integração. O Alvo agora é a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf). Tendo como base relatórios da Controladoria-Geral da União (CGU) o jornal O Estado de S. Paulo cita o uso de veículos para fins eleitorais em Petrolina, no interior de Pernambuco, reduto político do ministro Fernando Bezerra Coelho.

Honestidade

Nem tudo está perdido neste País. Chico Marrocos, nosso colega de trabalho na Redação da TN, tomou um susto terça-feira passada. Ao sair de um prédio na Miguel Castro, encontrou o retrovisor do carro estraçalhado e não tinha um único flanelinha por perto para dedurar o culpado. Na maçaneta da porta, no entanto, um papel amassado trazia o telefone e um pedido de desculpa do responsável pela barbeiragem. A despesa foi integralmente reembolsada por ele.

Copa Com um mês de antecedência o Maracanã começa a montar as novas arquibancadas. Enquanto isso, nas cercanias de Lagoa Nova, ainda estamos na fase do bate-estaca.

Reforma agrária (1)

Sem previsão sobre quando ocorrerá - se é que vai haver - novas desapropriações, a superintendência do Incra no Rio Grande do Norte intensifica a fiscalização nos assentamentos já existentes. Denúncias de venda ilegal de lotes não faltam. Algumas delas já confirmadas. Os processos serão submetidos a uma comissão, mas em entrevista ao Jornal de Fato, de Mossoró, o superintendente Valmir Alves adianta que a tendência é a retomada dos lotes repassados ilegalmente a terceiros.

Reforma agrária (2)

Irregularidades foram constatadas nos três assentamentos fiscalizados no RN: Mossoró, Upanema e Ceará Mirim. Em pouco mais de 10 anos - janeiro de 2001 a julho do ano passado -, 103.543 beneficiários foram excluídos do Programa Nacional de Reforma Agrária por irregularidades em todo o Brasil. Do total 36.592 motivadas por negociações ilegais da terra nua ou das benfeitorias.

Redibul

No domingo de clássicos pelo estadual, a torcida do Caicó Esporte Clube institui um prêmio para apimentar o jogo no Marizão. Vai dar R$ 100 por cada golzinho da "Raposa do Seridó" marcado contra o arquirrival Corintians. E no caso de vitória, R$ 500 para o artilheiro.

Eleição 1
Ficou para este domingo o café da manhã entre o prefeito Bibi Costa e o deputado João Maia. Além de tapioca e queijo do sertão, o carpádio inclui também a sucessão em Caicó, segundo os blogs seridoenses.

Eleição 2
O prefeito de Parnamirim, Maurício Marques, convocou reunião do secretariado para terça-feira. Vai exigir dos pré-candidatos a devolução dos cargos. Os substitutos serão nomeados já no começo de fevereiro.

Praia
A banda Perfume de Gardênia se apresenta neste domingo, às 15h, no palco montado em Pirangi do Norte, encerrando o Circuito Verão SESC/Intertv Cabugi.

EPTC amplia vagas na Área Azul no Centro

 

Após a implantação em trechos da Cristóvão Colombo, o Centro da Capital ganhará outros pontos de estacionamento rotativo da Área Azul. As novas vagas, 51 no total, ficarão localizadas na Osvaldo Aranha, proximidades da Ufrgs, no entorno da Praça Argentina e na Praça Raul Pilla (avenida João Pessoa). As vagas poderão ser utilizadas a partir de 1º de fevereiro. Com as 51 novas vagas, Porto Alegre passa a contar, a partir de fevereiro, com 4.389 vagas rotativas de estacionamento da Área Azul Eletrônica. Os valores cobrados são os seguintes: R$ 0,75 para 30minutos; R$ 1,50 para 1 hora; R$ 2,25 para 1h30 e R$ 3 para 2 horas.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Noções de trânsito para crianças são atração no Via Viva em Sorocaba, SP

Evento será realizado neste domingo (29). das 8h às 13h, na av. Itavuvu.
Pais têm ajuda para ensinar os filhos a andar de bicicleta sem rodinhas.
Do G1 Sorocaba e Jundiaí
 

O Via Viva, atividade realizada todos os domingos em Sorocaba, no interior de São Paulo, tem neste fim de semana como destaque a Escola do Pedala, que tem como objetivo desenvolver bons hábitos de educação e conduta no trânsito, além de dar ao noções às crianças sobre as leis básicas de trânsito.
Os instrutores trabalham ainda com uma metodologia especial para ajudar os pais a ensinar os filhos a andar de bicicleta sem rodinhas.
Andar de bicicleta, aliás, é uma das atividades favoritas do público que frequenta o espaço, no trecho inicial da avenida Itavuvu, na zona norte. O local fica fechado ao trânsito das 8h às 13h, num trecho de 2 km entre a Unidade Pré-Hospitalar (UPH) Zona Norte e o cruzamento com a rua Atanásio Soares.
Entre outras atrações, haverá também apresentação de hip hop, balé, jazz, sapateado e cursos de artesanato. As crianças poderão se divertir com pintura facial, brinquedos infláveis e jogos de damas, xadrez, pebolim e tênis de mesa, além de uma área para jogos de basquete.

Motoristas devem ter cuidados redobrados nos dias de chuva


 

Especialistas em trânsito alertam para os perigos, como a aquaplanagem.
Revisão no carro e pneus é essencial.

Do G1 Bauru e Marília
Comente agora

Nesse período de muita chuva, os motoristas devem tomar mais cuidado na cidade e nas rodovias. A visão fica prejudicada e o risco de acidentes aumenta muito. E os cuidados com a manutenção do veículo e na hora de dirigir o carro são ainda mais importantes para evitar acidentes.
Antes de pegar a estrada ou andar pelas ruas da cidade é preciso checar se os discos e pastilhas de freio em dia, suspensão está revisada e os pneus em bom estado. Esses são só alguns itens que devem estar em ordem para garantir a segurança do motorista na hora de rodar com o carro. Principalmente em dias de chuva, quando os riscos aumentam.
Mas, todos os cuidados com o veículo não são suficientes se o motorista não for cuidadoso. Para a Polícia Rodoviária, a atitude do motorista é tão importante quanto a manutenção do veículo.
"Nós atendemos vários acidentes que demonstram isso. Veículos novos que acabam envolvidos em acidentes e você olha e os pneus estão bons, tudo adequado, a rodovia é boa, mas, infelizmente a velocidade juntamente com a chuva acabou sendo uma combinação perigosa e resultou em acidente de trânsito", destaca o Tenente José Augusto Carvalho, da Polícia Rodoviária Estadual.
Ainda de acordo com o instrutor de trânsito Elieser Martins, uma aquaplanagem, quando veículo perde a direção ao passar em uma poça de água, pode levantar até dois mil quilos. Um carro popular pesa, em média 900 quilos e os modelos mais luxuosos, cerca de 1.400 quilos.


Ponto de mototáxi e poste “expulsam” pedestre de calçada perto de escola

 

Aline dos Santos
Foto mostra ponto de mototáxi e poste construídos sobre a calçada (Foto: Marcelo Borges)
A falta de acessibilidade na rua São Francisco de Assis, próximo ao colégio Estadual Hércules Maymone, foi registrada por um leitor do Campo Grande News. Um poste e um ponto de mototáxi impedem a livre circulação pela calçada.
“O pior que eu perguntei aos mototaxistas, por onde que o pedestre passa por ali, um deles fez chacota com a minha cara: pelo meio da rua e me disse para eu ter cuidado com o carro”, relata o leitor Marcelo Borges.
Ele afirma que já denunciou a situação à Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) e à Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano).

MP investiga aumento abusivo nas passagens de mototaxi

 

Associação de moradores entrou na Justiça contra aumento abusivo

Associação de moradores entrou na Justiça contra aumento abusivo
Qual o critério técnico, que parâmetros legais embasaram o aumento repentino de três para quatro reais a passagem de mototaxi, com aumento gradativo à medida que o percurso sai da zona urbana para as áreas mais periféricas da cidade?
Essa pergunta que está levantamento muitos questionamentos deu origem a uma ação na Justiça contra o aumento, por parte da Federação das Associações de Moradores e Organizações Comunitárias de Itaituba (FAMOCITA)
O documento assinado pelo presidente e vice da Federação, Cleuto Ferreira e Itamar Dias, sai em defesa dos consumidores, solicitando ao Ministério Público que acione a Prefeitura para que reduza de imediato o valor, por entender ser o mesmo ilegal e abusivo.
A Federação argumenta que os valores fogem totalmente da atual realidade sócio-econômica de Itaituba, principalmente dos moradores dos bairros mais distantes, citando como exemplo, o valor da passagem do centro até o Km 05 que foi majorado para cinco reais; Maria Madalena para a Estrada do BIS passou para oito reais; entre ouros bairros que precisam desse transporte.
A Federação fez um levantamento reiterando que somente em duas viagens diárias (ida e volta) no final do mês o passageiro já gastou quatrocentos e oitenta reais, o que equivale praticamente a todo o salário das pessoas consideradas de baixa renda que recorrem a esse tipo de transporte, porque não podem pagar taxis.
A Federação critica, também, o que considera omissão ou conivência do Município, que nada fez para intermediar a questão, já que os aumentos estariam oscilando entre 25%, 33% e 62%, o que deixa evidente que de fato o aumento das corridas foi um ato abusivo, ilegal e a revelia, pois teria que ter a permissão legal da Prefeitura, Comtri e Câmara aprovando o reajuste, desde que com planilhas de custos para justificar realmente a necessidade do aumento.
Ao mesmo tempo a Federação, no mesmo documento, também sugere uma reunião entre o Ministério Público e todos os órgãos competentes ao caso e a categoria dos mototaxistas, sugerindo também que a Prefeitura promova logo uma licitação para que Itaituba possa contar com ônibus circulando na cidade como mais uma alternativa para evitar o monopólio nos preços.
Por: Nazareno Santos

Briga por um ponto de mototaxi pode ter sido motivo de execução em SG


Por: Déborah Manhanini 26/01/2012

Populares disseram que vítima foi levada com as mãos amarradas por quatro homens para um matagal na região do bairro Marambaia. Após horas de buscas, próprio pai encontrou corpo

Um ponto de mototaxi pode ter motivado a morte de um jovem de 25 anos, de acordo com amigos da vítima. Após intensa procura da família o corpo do jovem foi encontrado, na manhã de quinta-feira, na localidade conhecida como Pantanal no bairro de Marambaia, em Itaboraí.
De acordo com a população, por volta das 15h de quarta-feira, cerca de cinco homens teriam entrado na mata, um dos homens estaria com as mãos amarradas e só por voltas das 17h15min cerca de cinco tiros foram ouvidos.
Após notar a ausência do filho o pai do jovem resolveu percorrer a região atrás do filho, mas durante todo a noite não obteve sucesso, somente na manhã de quinta-feira uma mulher, que preferiu não se identificar, contou que havia ouvido disparos e teria avistado homens saindo da mata.
O corpo foi encontrado durante a manhã, pelo próprio pai da vítima, ele estaria com cerca de quatro perfurações na nuca e uma no abdômen.
Disputa por ponto de mototaxi pode ter motivado crime- Amigos do mototaxista contaram que o jovem era tranquilo e teria fundado o mototaxi em Vista Alegre, em São Gonçalo, mas a disputa de ponto era um problema para o jovem, que sempre manteve seu trabalho.
O caso foi registrado na 71ª DP (Itaboraí), onde será investigado

Emdurb quer regularizar motofrete

 

Prestadores de serviços de pequenas encomendas, como remédio, pizza e peças, terão cadastramento específico

Nélson Gonçalves
A prestação de serviços com o uso de motocicletas terá regulamentação específica em Bauru para pequenas encomendas. O projeto de lei que disciplina a utilização e padronização dos profissionais que entregam produtos como pizza, remédio e peças será enviado à Câmara Municipal de Bauru em fevereiro.

A informação é do presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano e Rural (Emdurb), Nico Mondelli Júnior. “Vamos começar pela regularização e regulamentação do motofrete, exclusivo para profissionais que prestam serviços de entrega de encomendas, pequenos produtos, mas não transportam passageiros. O projeto de lei será enviado à Câmara para regulamentar esse serviço. Hoje a classificação é única, de mototaxi”, explica.

Nico Mondelli Júnior comenta que o projeto prevê, além dos procedimentos normais de vistoria e regulamentação para atuar nas ruas com o transporte de encomendas sobre duas rodas, a padronização. “Vamos apontar colete, capacete e pintura da moto para diferenciar e especificar”, conta.

Na avaliação do presidente da Emdurb, a segmentação na regulação vai provocar migração entre os prestadores de serviços. “Hoje muitos que utilizam moto só atuam com encomendas e não transportam passageiros. Esses vão migrar para o motofrete naturalmente. Não é serviço para ter passageiro e o profissional tem de escolher em qual segmento vai atuar”, aborda.


E o mototaxi?

Quanto à pendência antiga pela regulamentação de mototaxistas, o presidente da empresa municipal cita que ela ainda vai demorar mais um pouco. “No mototaxi também vamos implantar o colete, mas nesta primeira etapa não haverá retorno se exigir o dispositivo e não dar algum incentivo. E exigir de forma obrigatória não vai resolver, mas temos de regularizar”, argumenta.

Mondelli Jr. concorda que a ausência de padronização para o uso de moto, capacete e colete, entre os mototaxistas facilita a infiltração de atividades ilícitas, com criminosos se misturando a trabalhadores honestos nas ruas. “Temos sim uma porta aberta para o transporte de drogas por exemplo e concordo que a falta de padronização, ou com uso obrigatório de colete, ajuda a atividade irregular e prejudica o trabalho honesto. Mas vamos pensar em algum tipo de incentivo para resolver isso”, completa.

Curiosamente, a falta de ação efetiva para regularizar e padronizar a presença de mototaxistas nas ruas gera prejuízos à Emdurb. Como a empresa municipal cobra da prefeitura por veículo vistoriado ou monitorado na atividade (como o faz para o transporte escolar e especial), o reduzido número de veículos em duas rodas prestadores de serviços regularizados provoca perda de receita.

Segundo o diretor do Sistema Viário e de Transportes, Ewerton Mussi Hunziker, atualmente apenas 124 motos estão regularizadas para a atividade como mototaxi. A Emdurb cobra R$ 63,31 por veículo no gerenciamento de trânsito emitido em nota fiscal mensal à Emdurb. “Se os demais não estão no cadastro a cobrança pelo gerenciamento fica de fora. Vamos atuar nisso para ampliar receita e regularizar”, menciona.

De outro lado, o gerenciamento de trânsito para 463 veículos entre escolares e táxis (incluídos aqui os próprios 124 mototaxistas) rendem R$ 34,187 mil mensais à Emdurb só como cobrança junto à prefeitura para atuar na área.


Gerenciamento de trânsito tem controle frágil

A área de gerenciamento de trânsito e mobilidade urbana é a que mais cresceu em receita para a Emdurb e, de outro lado, também é o setor que menor condições apresenta em mensurar item a item o custo de seus serviços.

O problema é reconhecido pelo diretor da área, Ewerton Mussi. Mas ele argumenta que o pacote de demanda no setor abrange várias frentes de ações. “Temos a área de projetos neste custo, onde consideramos toda a demanda e não o custo individualizado, tem a Jari, a manutenção do convênio de trânsito com a Polícia Militar nesta gerência, as ações de educação para o trânsito. Mas é verdade que o ideal é evoluir para planilhas que identifiquem cada tipo de serviço ou custo”, aborda.

A gerência rendeu, somente em 2011, R$ 4,460 milhões à Emdurb. O orçamento inteiro do ano passado ficou em cerca de R$ 36 milhões. Há visível dificuldade em listar o que é serviço prestado, o que é projeção e o que é custo fixo na despesa de R$ 505 mil mensais que a Emdurb cobra de todos os bauruenses, através de nota fiscal emitida para recebimento junto á prefeitura.

A gerência banca, por exemplo, a manutenção da frota de trânsito da PM, mas a planilha de custo utilizada para cobrar da prefeitura não mensura o realizado no mês. Vale lembrar que serviços de substituição de dispositivos do trânsito, como troca de placas ou semáforos, são cobrados a parte, com valor por unidade.

É verdade que o custo dessas despesas é suportado, em parte, pela receita de multa de trânsito. Mas, ainda assim, o cidadão paga o restante da conta com lançamento genérico em nota fiscal. “Vamos passar a apurar melhor o centro de custo de cada uma dessas unidades e a listar o que é serviço efetuado, o que é ação específica como o custo de um programa de educação para o trânsito, separando cada item”, promete Nico Mondelli Jr.

Algo parecido, mas este com capacidade de identificação por unidade, acontece na cobrança pelo gerenciamento do transporte coletivo. Além de ficar com 1% da receita bruta das concessionárias (a título de taxa de gerenciamento), a Emdurb cobra da prefeitura R$ 430,00 por ônibus coletivo no sistema. Isso rende R$ 1,238 milhão para as 240 unidades que rodam nas linhas regulares em Bauru. Aqui estão custos de fiscal, controle de linhas e itinerários e pesquisa

Homem finge ser motoboy para aplicar golpe em farmácia

 

O caso registrado por uma funcionária da farmácia Panvel, de Taquara, ocorreu na manhã de ontem, quando um rapaz chegou no estabelecimento perguntando se havia alguma entrega para ser feita. Uma funcionária entregou um pacote de fraldas geriátricas, no valor de 60 reais. Segundo o registro, o motoboy chegou a fazer a entrega do material para o cliente que havia feito a encomenda, mas não retornou para a farmácia com o valor cobrado. Estranhando a demora, a funcionária da Panvel fez contato com a empresa de entrega e descobriu que o rapaz não trabalhava no local.

Cidade Limpa aplica 1ª multa em Ribeirão Preto

 


Mototáxi pagará R$ 10 mil por propaganda irregular em muretas recém-inauguradas da avenida Jerônimo Gonçalves


Mariana Lucera



O setor de Fiscalização Geral da Prefeitura de Ribeirão Preto multou nesta quarta-feira (25) o primeiro estabelecimento a descumprir as leis do Cidade Limpa, em vigor desde o dia 11 deste mês.
Um mototáxi que funcionava na Vila Tibério foi lacrado e terá de pagar R$ 10 mil por colocar cartazes de propaganda nas muretas recém-inauguradas da avenida Jerônimo Gonçalves.
O responsável pelo estabelecimento admite que a colagem dos cartazes que disponibilizam o nome o número telefônico do serviço foram colocados por funcionários. "Disseram que era proibido e que eu tinha 15 dias para tirar os cartazes de lá. Mas ainda não se passaram 15 dias", diz Jimmy Garcia da Costa.
A prefeitura nega a afirmação. Costa se prontificou a retirar os cartazes do local de imediato.
Um boletim de ocorrência de dano ao patrimônio público foi registrado na delegacia e Costa vai precisar fazer a retirada dos cartazes que estão em muretas. "Ele também vai precisar providenciar o reparo da pintura nas muretas, assim como arcar com os custos desse reparo", explica o chefe da Fiscalização Geral Osvaldo Braga.
Segundo Braga, a lei vai ajudar a coibir esse tipo de ação, que antes não tinha como ser fiscalizada ou punida. "O objetivo é que sirva de exemplo. Mototáxi e propagandas de leitura de búzios, de mão, de cartas são um inferno na cidade. Isso vai ser um instrumento legal para punição agora", explica Braga.
O material de propaganda que estava na sede do mototáxi foi apreendido. Foram encontrados baldes com cola, sacolas e os panfletos que foram colados.
Sem alvará
Além de desrespeitar o Cidade Limpa, o estabelecimento não tinha alvará de funcionamento e por isso o local foi lacrado administrativamente e dificilmente será reaberto.
Qualquer estabelecimento legalizado que queira fazer propaganda a partir de agora tem que respeitar a lei Cidade Limpa ou corre o risco de ser multado. Os estabelecimentos que já possuem anúncios e propagandas que estão fora dos padrões da lei têm 180 dias para se adequarem. A Secretaria da Fazenda possui uma lista com o controle dos estabelecimentos

Motoboy é preso com R$ 10 mil na cueca no DF

 

Ele deveria depositar dinheiro em banco, mas disse que tinha sido roubado
Do R7, com Rede Record

Um motoboy foi preso com R$ 10 mil na cueca na tarde de terça-feira (24), no Distrito Federal. Ele tinha ido até uma delegacia dizendo que tinha sido roubado, mas depois acabou confessando o crime.

Leia mais notícias do R7

Ele trabalhava em uma concessionária e deveria depositar R$ 57 mil em uma agência bancária. O jovem disse que foi assaltado e que levaram a moto dele. O delegado desconfiou da versão contada pelo rapaz e chegou a ir até o local do crime, mas nenhuma testemunha confirmou a versão dele.

O motoboy acabou confessando que usou o dinheiro para pagar uma dívida e que estava com R$ 10 mil na cueca. A polícia informou que irá investigar o destino dos outros R$ 47 mil e se mais pessoas participaram da ação.

Motoboy é suspeito de simular assalto

 

Segundo o delegado, os policiais da 8ª DP encontraram R$ 10 mil na cueca do empregado da concessionária

Tamanho da Fonte Redação Jornal Coletivo

Ao relatar a ocorrência como vítima, os policiais perceberam contradições do denunciante que trabalhava há seis anos na empresaFoto: Brito Ao relatar a ocorrência como vítima, os policiais perceberam contradições do denunciante que trabalhava há seis anos na empresa
Um motoboy de uma concessionária, localizada no Trecho 2, do Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), foi preso, na tarde de ontem, depois de simular um assalto. A empresa em que Pedro Lisboa, 27 anos, trabalha, há seis anos, tinha pedido ao motociclista que sacasse R$ 57 mil em um banco da região e depositasse o dinheiro em outra agência bancária. De acordo com a polícia, o motoboy tinha combinado o roubo com um comparsa, que levou a motocicleta, uma mochila com o dinheiro e documentos do funcionário. Após o golpe, o rapaz se dirigiu à 8ª DP (SIA) para registrar ocorrência como vítima, mas acabou sendo descoberto pelos agentes como o autor de falsa comunicação.

O delegado-adjunto, Sérgio Bautzer, conta que o motoboy chegou na delegacia dizendo que tinha sacado um dinheiro para a concessionária e que na saída da agência tinha sido assaltado por um homem armado. A polícia chegou a mostrar imagens de criminosos do banco de dados da delegacia para que Lisboa tentasse identificar o assaltante e fez diligências nas ruas da cidade para tentar achar o bandido, mas não tiveram êxito nas ações.


Dívida e ameaça seriam as razões

O delegado ainda relata que durante as investigações, o motoboy começou a agir de forma estranha e apresentar desconfiança e nervosismo, fato que fez com que os agentes desconfiassem dele. Os policiais, então, resolveram revistá-lo e encontraram R$ 10 mil, em notas de 100, escondidos na cueca do denunciante. Ele, então, confessou ter armado o crime e disse que teria feito isso por estar devendo R$ 15 mil no comércio e que estava sendo ameaçado de morte devido à dívida.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

AUMENTO: Tarifa de mototáxi sofre reajuste em Elesbão Veloso.

Escrito por José Neto  Seg, 23 de Janeiro de 2012 02:36

 

Mototaxistas em Elesbão Veloso

 

Em Elesbão Veloso, desde a segunda semana de janeiro, preço da tarifa(corrida) de moto táxi para qualquer ponto da cidade está custando R$ 3,00, aumento de R$ 0,50, uma vez que o valor, antes praticado era de R$ 2,50, sendo válido lembrar que este preço estava em vigor desde fevereiro de 2009.

 

Conforme alguns dos mototaxistas, o aumento baseia-se no reajuste do salário mínimo nacional que passou de R$ 545 para 622,00. O município possui cerca de 50 mototaxistas, destes, pouco mais da metade são legalizados junto a PMEV.

STTrans restaura coberturas das Praças de Mototaxi

 

A Superintendência d e Trânsito e Transportes - STTRANS, começou desde o início deste ano, a troca das coberturas das Praças de Mototaxistas pelos bairros da cidade de Patos.

 

O objetivo desta ação é restaurar 20 coberturas em toda a cidade. De acordo com o gerente de trânsito, Fábio Medeiros, essa reforma visa proteger os profissionais mototaxistas dos fenômenos naturais adversos. “Com isso nós esperamos beneficiar os mototaxistas contra a chuva e o sol, melhorando assim as condições de trabalho dos mesmos,” explica.

 

 

Ainda segundo o gerente de trânsito, a previsão é concluir, até o final do mês de fevereiro, as primeiras 20 coberturas. “Estamos entregando a cada quinzena cinco coberturas, já instalamos seis, distribuídas pelos bairros do Monte Castelo, Centro, próximo à Igreja Catedral, Banco do Nordeste, Praça dos Pombos, de fronte ao Guedes Supermercados, e na Rua Duque de Caxias”, conta.

 

 

Contudo, a finalidade do órgão é trocar todas as coberturas que não estejam correspondendo, ou seja, dentro das normas necessárias para as instalações dos profissionais mototaxistas.

 

 

Ascom

Mototáxi indenizará por morte de passageira

Garupa

São José do Rio Preto, 25 de Janeiro, 2012 - 8:36

Elton Rodrigues                 

 

 

O mototáxi São Judas Tadeu foi condenado pela Justiça a pagar R$ 120 mil à família de Mara Lídia de Faria Pereira, que morreu vítima de um acidente enquanto estava na garupa de um dos profissionais da empresa, no dia 5 de dezembro de 2002, na rua Afonso Parise, Jardim Tangará, zona sul de Rio Preto. O mototaxista tentava ultrapassar um caminhão quando teria se desequilibrado e caído debaixo do veículo. Apenas a passageira foi atropelada pelo caminhão. Ela chegou a ser socorrida, mas morreu poucas horas depois no Hospital de Base de Rio Preto.

 

O Tribunal de Justiça entendeu que a culpa do acidente foi exclusiva do condutor da motocicleta, por falta de atenção e cuidados indispensáveis à segurança do trânsito. A empresa, por sua vez, afirma que vai recorrer da decisão porque o mototaxista teria feito a corrida de maneira particular, sem o conhecimento da São Judas Tadeu. Para a família da vítima, a justiça foi feita parcialmente. “Mesmo com a empresa condenada, nada vai preencher o vazio que ela deixou em nossas vidas e o fato de o nosso filho ter sido criado sem a mãe”, disse o marido, o recepcionista Leodorio Pereira Neto, 49 anos.

 

Na data do acidente Mara voltava de uma costureira. Ela havia retirado um vestido para usar na festa de casamento de uma amiga. De acordo com o marido, ela não dirigia, portanto sempre que precisava utilizava o serviço de mototáxi. “Espero que com essa condenação a Prefeitura fique mais atenta aos serviços de mototáxi. Quem provocou o acidente era clandestino e agia como se fosse regularizado. A fiscalização precisa ser feita para que nenhuma outra família seja prejudicada”.

 

Vergonha

 

Pereira Neto disse ainda que além de ter de lidar com a perda da mulher e cuidar sozinho da educação do filho, teve de enfrentar a família da mulher, que inicialmente acreditava que ele poderia ter alguma responsabilidade no acidente. “Tive de prestar depoimento para explicar que não era amigo do mototaxista, foi muito constrangimento. A família dela achava que eu tinha culpa no acidente, mas provei que não tinha. Graças a Deus a Justiça foi feita e voltei a frequentar a casa da minha sogra. Mas, valor nenhum vai reparar essa perda.

 

Trânsito: Aquidauana prioriza atenção aos mototaxistas




Pedestres, motoristas, ciclistas e motociclistas já constataram a mudança promovida no trânsito de Aquidauana. Entre tantos objetivos, a função do Núcleo Municipal de Trânsito é colaborar com a organização das vias bem como diminuir o número de acidentes.

Para tanto, a equipe da coordenação de educação de trânsito em parceria com o Núcleo Municipal de Trânsito e a gerência de Obras iniciam o ano com duas campanhas de conscientização.

A campanha “Educação no trânsito – Uma mudança de atitude” começa a partir desta quarta-feira (25) e na primeira etapa com o tema “O mototaxi, velocidade e trânsito”.

A campanha visa orientar, conscientizar e desenvolver o respeito, solidariedade, tolerância, responsabilidade, prudência e educação no trânsito.

Juntamente com os mototaxistas será realizado um trabalho de conscientização para que o profissional regularize sua documentação, sobre o excesso de velocidade, o uso do celular, os equipamentos de segurança bem como visitas aos pontos para manter contato, levar informação e orientação conforme previsto em lei.

“O número de acidentes e mortes que envolvem mototaxistas é grande. E, além disso, o profissional carrega outras vidas. Vamos buscar manter um, bom relacionamento com a classe de forma a promover um trânsito mais seguro pensando neles e na sociedade”, comentou a coordenadora de Educação de Trânsito, Cândida Aparecida da Cunha.

As visitas serão aleatórias e informativas. Em cada ponto será fixado uma ficha de acompanhamento com as informações necessárias a fim de obter um controle dos trabalhos desenvolvidos.

Para este ano, uma reunião com todos os mototaxistas está prevista para a entrega dos coletes. A campanha será desenvolvida durante todo o ano.

Prefeitura investe R$ 75 mil em sinalização

Com investimentos de recursos próprios no valor de R$ 75 mil, a Prefeitura de Aquidauana deu início no dia 20 de dezembro, o serviço de sinalização horizontal de ruas do centro da cidade e trechos do Guanandy, Bairro Alto, Avenida da Pantaneta, Duque de Caxias e outras ruas de maior movimento.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

NOTA DE PESAR FALECIMENTO LUIS ROBERTO FÉLIX

 

Nós do Sindimoto lamentamos muito pelo falecimento do amigo, fotógrafo e motociclista , e por isso  externa sua solidariedade aos familiares e amigos deste grande fotógrafo e motociclista do Vale do Sinos.

 

Sindimoto

 

Fotógrafo do jornal NH morre em acidente de moto no Vale do Sinos

Luís Roberto Félix de Oliveira, 53 anos, chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos

O repórter fotográfico do jornal NH Luís Roberto Félix de Oliveira, 53 anos, morreu no fim da tarde dessa segunda-feira em um acidente de trânsito em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos. Oliveira conduzia uma motocicleta Yamaha DT quando colidiu com um Renault Scênic na rua Guia Lopes, bairro Santo Afonso. Com a batida, o fotógrafo se desequilibrou, caiu e foi atingido nas pernas por uma carreta Mercedes-Benz. Os condutores dos outros veículos não se feriram. 

O jornalista foi socorrido por uma viatura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Hospital Municipal. Por volta das 21h, ele não resistiu aos ferimentos e morreu. Segundo a Brigada Militar (BM), os dois motoristas pararam para prestar socorro à vítima.

Luís Félix entrou no Grupo Sinos no início dos anos 80, como funcionário do setor de paginação. Na sequência, foi transferido para o laboratório fotográfico. Mais tarde, trocou a sala escura onde revelava filmes pelas ruas e, ao longo da carreira, se transformou em um dos mais respeitados e admirados fotógrafos da história dos jornais do Grupo Sinos. As últimas fotos produzidas por Félix foram publicadas no ABC Domingo. Cobriu o jogo do Novo Hamburgo contra o São José de Porto Alegre, sábado à noite, no Estádio do Vale. Foram utilizadas duas fotos. Uma delas internamente, ilustrando a matéria da partida. A outra, na capa do jornal.

Com informações do Jornal NH.

 

Critérios para renovação de mototáxi são muito excludentes, alega líder sindical

 

O presidente do Sindicato dos Motociclistas Profissionais de Petrolina (Simpropet), José Vicente Barbosa, defendeu uma revisão nos critérios para renovação da licença de funcionamento no município. Segundo ele, apenas 478 profissionais passariam pelo pente-finodeixando a cidade com déficit de 300 mototaxistas.
Segundo Barbosa, um decreto de nº 002/2012 baixado pelo atual presidente da Empresa Petrolinense de Trânsito e Transporte Coletivo (EPTTC), Paulo Valgueiro, retoma os moldes da Lei nº 12.009/09 – a qual impedia profissionais de circularem com motos em nomes de terceiros ou com mais de 5 anos de uso, ou de serem habilitados caso tenham vínculos empregatícios.
Essas exigências, segundo o líder sindical, tinham sido suspensas no ano passado em acordo firmado entre lideranças da categoria e a Empresa Petrolinense de Trânsito e Transporte Coletivo (EPTTC) pelo ex-diretor presidente da entidade, Pedro Norberto, para manter um número suficiente de profissionais circulando na cidade.
Ainda de acordo com Vicente Barbosa, exemplos como o de Juazeiro/BA devem ser seguidos. “Lá mototáxis com placa vermelha e as motos pertencem a terceiros”, defende. Ainda segundo ele, não é certo proibir profissionais que atuem em outras áreas de serem mototaxistas. “O nosso salário é uma miséria”, argumentou. “Nossa preocupação é ficar com tão poucos profissionais para atender a cidade”, adicionou.
Para Barbosa, a EPTTC deve rever alguns pontos da Lei vigente. “A Lei é excludente e eles foram muito mal assessorados por uma entidade de mototaxistas da região ao fazerem ela. Hoje, nosso diálogo não avança. Vamos tentar ainda uma negociação direta com o Governo do Estado, usando nossa força sindical a nosso favor”, declarou.
Fonte: Revista Mundo Moto

Confira dicas para andar com segurança na chuva

23 de Janeiro de 2012

 
André Jordão
O verão de nosso País tropical e abençoado por Deus não é sinônimo somente de sol, céu azul e praia. Juntamente com a época mais quente do ano, vêm as chuvas. E em grande quantidade. Mesmo que você evite pilotar em dias de chuva, inevitavelmente nesses primeiros meses você será surpreendido por uma tempestade de verão e terá de enfrentar o piso molhado. Mas não precisa se assustar, pilotar na chuva pode não ser tão perigoso assim. Fomos conversar com especialistas que deram dicas para pilotar em piso molhado com segurança, afinal, quem está na chuva é pra se molhar!
Reduza a velocidade
Uma dica é unânime entre os especialistas: com chuva a velocidade precisa ser reduzida, até porque “as primeiras gotas se misturam a alguns detritos e formam uma película que favorece a ocorrência de derrapagem”, alerta José Luiz Terwak, Gerente do Centro Educacional de Trânsito Honda (CETH), lembrando que quando a chuva começa toda a sujeira do asfalto se mistura, formando uma “pasta” altamente perigosa para as motos.
“Não há muito segredo. A velocidade deve ser reduzida drasticamente no piso molhado”, sublinha André Azevedo, piloto com 25 participações no Rally Dakar, sendo a primeira em 1988 de moto.
Pneus de “chuva”
Todos os itens da motocicleta são importantes, claro, mas quando se trata de piso molhado, seu maior aliado são os pneus. “O motociclista precisa sempre saber o estado da moto. Suspensão, freios e, principalmente, os pneus devem estar em bom estado”, explica o piloto de testes da Pirelli Caetano Giraldi. Segundo Caetano, o motociclista deve se atentar para os indicadores de profundidade que existem nos pneus — também conhecido como T.W.I. (tread wear indicator = índice de desgaste do pneu). O T.W.I. indica a profundidade mínima dos sulcos dos pneus. Os sulcos são responsáveis pelo escoamento da água que se acumula no piso, portanto é fundamental para pilotar com segurança no piso molhado. Outra dica importante é sempre manter a calibragem de acordo com as recomendações do fabricante da motocicleta.
O experiente piloto de testes afirma que é bastante improvável que a moto passe por uma situação de aquaplanagem. “Em estradas, uma dica é seguir o rastro deixado pelos pneus dos carros, pois assim se evita poças d’água”, revela. Além disso, onde os pneus de carros e caminhões trafegam o asfalto, em geral, é livre de sujeira e óleo.
Anteveja as situações
Ao pilotar qualquer veículo a atenção deve ser redobrada. Quando se trata de uma moto e com piso molhado, a necessidade de antever as situações é determinante. “Adote uma postura de pilotagem defensiva de acordo com a sigla: PIPDE: Procurar “mantenha atenção a tudo que está ao seu redor”; Identificar “acostume-se aos riscos”; Prever “atenção constante às mudanças”; Decidir “escolha o menor risco”; Executar “realizar a manobra com determinação e rapidez”, ensina Terwak.
Antevendo as situações você evitará frenagens bruscas, um dos maiores riscos quando se pilota sobre o piso molhado. A dica é sempre frear com cautela e sem pressionar bruscamente o manete ou o pedal de freio. “Utilize primeiramente o freio traseiro e, em seguida, o dianteiro. Para que a transferência de peso seja feita de forma mais suave, evitando derrapagens”, esclarece Terwak.
Além de seguir estas dicas, fique atento a tudo que houver no asfalto, pois “placas de metal, faixas pintadas e tudo que envolve perda de aderência, complica a pilotagem na chuva”, adverte Giraldi. Em curvas, o melhor a se fazer é manter a moto de “pé”, o menos inclinada possível. Para contornar uma curva com segurança procure deslocar o corpo para o lado de dentro da curva, mas sem inclinar muito a moto.
Equipamentos“Vejo por todos os lugares pilotos sem os equipamentos corretos, isso é muito perigoso. Na cidade e com chuva os motociclistas têm que estar muito bem equipados”, conta André Azevedo que, além de piloto profissional, dá palestras sobre segurança no trânsito em sua cidade, São José dos Campos, no interior de São Paulo.
Quando questionado sobre a importância dos equipamentos de segurança, José Luiz Terwak é categórico. “Não há como improvisar em questões de segurança. A improvisação é perigosa, além de ser ineficiente”. Mas o que é imprescindível para se pilotar com chuva? “Um capacete com viseira limpa e sem riscos, conjunto impermeável composto de calça, jaqueta, luva e bota”, completa.
Por fim, mas não menos importante, cuide da viseira do seu capacete. O motociclista pode aplicar um produto do lado externo para impedir o acúmulo de água de chuva. Por dentro, é aconselhável usar um anti embaçante.
Quando a chuva vira tempestade
A primeira recomendação dos especialistas é esperar a tempestade passar. “Além de ampliar a distância entre os veículos, se possível, é recomendado aguardar o tempo necessário para que a chuva “lave” a pista”, aconselha Terwak. Além de dificultar a visibilidade de todos os motoristas e motociclistas, uma chuva muito forte pode esconder os perigos do asfalto. “Uma poça pode ter 7 cm ou 70 cm de profundidade. Por isso, assim como no Dakar, prefiro descer da moto e passar empurrando”, ensina Azevedo.
10 dicas para você apenas se molhar
1. Diminua drasticamente a velocidade
2. Mantenha pneus em bom estado. Calibre-os semanalmente seguindo as recomendações do fabricante de sua motocicleta
3. Não economize com equipamentos. O uso de equipamento completo pode salvar sua vida em caso de queda
4. Em estradas, trafegue no rastro dos pneus dos veículos que estão à frente. Com essa atitude, o motociclista encontrará menos sujeira no caminho
5. Não passe em poças d’água, ou em qualquer lugar que não permita a visualização do asfalto
6. Freie e acelere com muita cautela. Comece a frenagem com o freio de trás e, aos poucos, use o freio dianteiro. Nas saídas de curva, acelere pouco e mantenha a moto o menos inclinada possível
7. Mantenha uma distância maior dos demais veículos na chuva. O tempo de reação é fundamental para evitar uma colisão – ainda mais em piso molhado
8. Se a chuva virar uma tempestade, o melhor é esperar em um local seguro até o volume de água diminuir
9. A viseira é um item que exige cuidado de manutenção: precisa estar sempre limpa e sem riscos
10. Ande sempre com o farol aceso, mesmo de dia. Além de ser lei, a iluminação ajuda outros veículos a lhe enxergar na chuva
Fotos: Infomoto


Fonte:
Agência Infomoto

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Mototaxi

 
17 de Janeiro de 2012

Nova  tarifa

aprovação do Ministério Público

As discussões sobre o valor da tarifa de Mototaxi que deve ser praticada em Patos, tem gerado dúvidas na população, sobretudo quando acontecem casos em que alguns mototaxistas chegam a cobrar valores considerados exorbitantes. Para esclarecer dúvidas sobre o assunto, o superintendente da STTrans de Patos, Dineudes Possidônio, disse em entrevista na semana passada, que o preço da tarifa única a ser cobrada ainda continua sendo de R$ 2 reais, apesar desse valor já ser cobrado há mais de cinco anos.
Segundo Dineudes, ano passado o Sindicato dos mototaxistas enviou para a STTrans uma planilha solicitando o reajuste dessa tarifa.
“Fizemos uma análise técnica dessa planilha e aprovamos o valor de R$ 3 reais como tarifa única a ser cobrada em Patos. Só que, para que essa tarifa se torne oficial é preciso ser referendada junto ao Ministério Público. Para isso, nós solicitamos uma audiência para o mês de dezembro do ano passado, porém a promotora não se encontrava na cidade na data marcada. Remarcamos essa audiência e estamos aguardando o recesso da justiça, para que possamos decidir de fato, algo de concreto sobre esse novo valor”, informou o superintendente.
Dineudes Possidônio disse ainda que apesar da tarifa única continuar sendo de R$ 2 reais, o mais correto é a população negociar com o mototaxista o valor das corridas, principalmente as de longa distância. “O que já se pratica, inclusive com a nossa permissão, é que de bairro à bairro a corrida seja cobrada pelo valor de R$ 3 reais, mas ouvimos relatos de que alguns mototaxistas, chegam a cobrar o valor de R$ 5 reais por uma corrida de um bairro para outro. Consideramos essa cobrança como sendo uma exploração, por isso recomendamos que antes de fazer a corrida, combine previamente o valor com o mototaxista”, disse.
“Temos consciência que eles continuam praticando um valor já defasado, mas eles só podem praticar outro, quando fizermos um termo de ajustamento de conduta diante do Ministério Público e Procon. Entendemos o descontentamento da categoria, mas entendemos também que os usuários desse serviço devem ser respeitados quanto à tarifa cobrada. Sabemos de alguns custos a exemplo de peças, pneus, combustível e todos os serviços básicos de manutenção, e estamos tentando encontrar um ponto de equilíbrio. Já demos o nosso parecer para que seja posto em prática a tarifa única de R$ 3 reais, resta apenas ser homologada pelo Ministério Público”, concluiu.

Vereador quer mototáxi com taxímetro

O vice-presidente da Câmara de Vereadores de Imperatriz, Amauri Alberto Pereira de Sousa (PP), o Alberto Sousa, volta a solicitar ao prefeito Sebastião Madeira que seja encaminhada, ainda neste semestre, minuta de Projeto de Lei que regulamenta o uso de taxímetro nas motos que servem o serviço de mototáxi no município de Imperatriz.
Ele alega que a instalação do equipamento servirá de parâmetro para o usuário que utiliza o serviço de mototáxi em Imperatriz. “O que existe atualmente é uma ‘livre negociação’ entre passageiro e mototaxista, fato que culmina, vez por outra, em discussão devido ao valor que acaba sendo cobrado”, conta.
Alberto Sousa considera de suma importância a instalação do taxímetro, pois compreende que os valores das corridas serão disciplinadas pela Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Setran), após aprovação de lei específica no plenário da Câmara de Vereadores. “Essa tem sido uma reivindicação antiga dos usuários do serviço de mototáxis em Imperatriz”, assegura.
Prefeitura em Ação – Ele também observa que luta desde o começo do mandato para que seja incluído na programação do projeto “Prefeitura em Ação” o povoado Lagoa Verde. A ação beneficiará ainda os moradores dos povoados Vila Chico do Rádio, Centro Novo, Água Boa, Riacho do Meio, Km 1.700 e Km 1.200.
“Nós queremos que a prefeitura leve para essas localidades ações de infraestrutura, abertura de ruas, iluminação pública, distribuição de mudas de plantas, consultas médicas e odontológicas, atividades culturais, esporte, lazer, educação, palestras e assistência social”, frisa o parlamentar, que ressalta que o objetivo do projeto é “levar cidadania, bem-estar social e qualidade de vida aos moradores dessas comunidades da zona rural de Imperatriz”, finaliza. (Da Assessoria)

Ação de Conscientização pela segurança e valorização na vida no trânsito

Foi realizado no dia 17 de dezembro na Avenida Emancipação, a Ação de Conscientização por um trânsito mais Humano e Seguro. A ação foi organizada por iniciativa do CFC Beira Mar, com a participação de seus colaboradores e apoio do Detran RS, Prefeitura municipal de Tramandaí, Fundação Thiago de Maraes Gonzaga através do Programa Vida Urgente, Radio Atlântida FM, Jornal Dimensão. Durante a ação, os instrutores práticos e teóricos acompanhados da direção do CFC Beira Mar, fizeram o uso do contato direto a todos os usuários em trânsito na viajem abordagens a motoristas, motociclistas, taxistas, motoristas de transporte coletivo de passageiros, além de ciclista e pedestres, ou seja, motorizados como não motorizados.No momento da abordagem em rápida explanação os instrutores passaram informações, como por exemplo: Não beber e dirigir, usar sempre o cinto de segurança ou capacete, pedestres usarem sempre as faixas sinalizadas, e a eles destinadas a atravessar uma via, respeitar sinalização, meio ambiente e demais condutores, seguir as regras e leis de trânsito cada vez mais humano e seguro. Durante as abordagens foram distribuídos matérias institucionais educativos fornecidos pelo Detran RS e Fundação Thiago de Moraes Gonzaga, além de brindes diversos inclusive fornecidos também pela Rádio Atlântida FM do Grupo RBSTV. Consideramos o resultado desta Ação satisfatório, compensador e principalmente incentivador, pois nos incentiva emotiva a continuar lutando e desenvolvendo mais ação de conscientização e valorização da vida por um trânsito mais humano e seguro. Aproveitamos a ocasião para agradecer, com toda a motivação que temos.