sábado, 31 de dezembro de 2011

O TRÂNSITO DAS CIDADES GRANDES


Pois bem pessoal, estou em Buenos Aires, Capital da Argentina, aqui na “ciudad autônoma de Buenos Aires”, temos a população de cerca de 3milhoes de pessoas, juntando com a província temos cerca de 14 milhões habitantes.
Como todo cidade grande o trânsito é uma situação a parte e caótica, porém, aqui pelo menos vejo avenidas largas duas três na mesma direção e a  mesma quantidade em sentido contrário, muitos taxis, mas muitos mesmo, mais que no Rio de Janeiro, que quando fui, já fiquei impressionado pelo número de taxis lá.
Os motoristas portenhos andam pelas ruas buzinando demais, mas muito mesmo, normalmente usam  a buzina para avisar que quer passagem ou que o veiculo do lado esta invadindo sua pista, porém se um pedestre atravessa sem estar com o sinal fechado,ou em local não apropriado, buzinam mais ainda.
Aqui vi muitos acidentes de atropelamentos, justamente porque eles não param quando enxergam o pedestre,  ao contrário parece que aceleram mais ainda, em uma verdadeira expressão de medir força, acidentes com motos e ciclistas, justamente aqueles mais fracos em matéria de exposição física dentro do fluxo de trânsito.
Falta de respeito total, vejo isso também dos motoristas gaúchos, principalmente  porto-alegrenses, mal educados, a maioria quer medir espaço, quer se achar melhor motorista que o outro, um verdadeiro sinal de que a via é de quem esta de carro, colocam a “vestimenta”  que os protege.
O Trânsito certamente necessita de regras de circulação, de legislação, de fiscalização, mas de nada adianta se o condutor não tiver educação, dar passagem ao pedestre, espaço ao motorista que quer entrar e se passou, respeito aos idosos e crianças, e acima de tudo uma direção atenta a inúmeras situações inesperadas.
A maquina não pode ser a desculpa para extravasar, muitos de nós já caminhamos em ruas extremamente movimentadas, principalmente em época de final  de ano, vejo que nesses dias, as pessoas andam pela calçada muito afoitas, esbarram nas pessoas, batem umas nas ouras, deixam de pedir desculpas, ocorre que nestes casos não estamos “encapuzados com a arma”, nestes momentos, normalmente,  não xingamos, gritamos ou saímos dando murro uns nos outros, apenas acontece!
E então, porque no transito temos que buzinar, chamar de tudo o motorista do lado, não dar passagem ao pedestre, e aos demais motoristas, se auto afirmar como o melhor motorista?
Todos somos iguais, reflita isso, e seja apenas mais educado no trânsito, deixe a paz  e o amor florescer em você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário