sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Motociclistas desrespeitam lei por falta de horários em curso obrigatório


Foram abertas 600 vagas, mas apenas 60 pessoas se inscreveram

08/12/2011 - 20:01



Profissionais que trabalham com o serviço de motofrete e mototáxi na região de Campinas estão com dificuldades para fazer o curso obrigatório por lei, uma exigência do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), por problemas relacionados aos horários oferecidos pelo Sest Senat (Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte).

Foram abertas 600 vagas do curso, mas até esta quinta-feira (8) 60 pessoas se inscreveram. O motivo, segundo as empresas, é que a instituição oferece as aulas num horário inviável para quem trabalha na profissão.

Apesar disso, o diretor do Sest Senat Marcelo Jacober de Moraes disse que os horários dos cursos podem ser mais flexíveis e adequados às necessidades das empresas. O curso é gratuito até o fim de dezembro. A partir de janeiro será cobrada uma taxa de R$ 160.

Nenhum comentário:

Postar um comentário