quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Alckmin sinaliza a motoboys veto à Lei da Garupa

Após conversar com representantes do Sindimoto, governador disse que a população não pode ser punida Silvério Morais
silverio.morais@diariosp.com.br

A 12 dias do fim do prazo para decidir se vai proibir os motociclistas de carregarem passageiro, o governador Geraldo Alckmin deu nesta terça-feira sinais de que deve vetar a Lei da Garupa. “Temos uma preocupação enorme com a questão da segurança, mas precisamos ter cuidado para não punir o trabalhador e a população de menor renda, que utiliza as motocicletas como meio de transporte ou de trabalho”, disse Alckmin, no final da manhã, após reunião com defensores do veto, no Palácio dos Bandeirantes.

O presidente do Sindimoto (Sindicato dos Mensageiros, Motociclistas e Ciclistas de São Paulo ), Gilberto Almeida dos Santos, o Gil, apresentou ao governador ponderações sobre o projeto de lei do deputado Jooji Hato (PMDB), que foi aprovado pela Assembleia e pretende acabar com a garupa nas cidades com mais de 1 milhão de habitantes, de segunda a sexta-feira. “A lei fere o direito constitucional de ir e vir. Abordamos essa questão e tentamos sensibilizar o governador de que não vai acabar com os assaltos. Só vai punir o trabalhador de bem”, defendeu Gil

Segundo o sindicato, dos 850 mil paulistanos que utilizam motocicletas, só 200 mil são motoboys. O Sindimoto observa que todo motofrete já será proibido de ter garupa a partir de agosto de 2012, por determinação da Lei Federal 12.009, que regulamenta o exercício das atividades de motoboy.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário