sábado, 31 de dezembro de 2011

Tarifa de mototaxi é reajustada em Cacoal


Sexta, 23 de Dezembro de 2011 - Atualizado em 23h15min

Aumento é válido a partir de segunda-feira, 26


O serviço de mototaxi de Cacoal estará mais caro a partir de segunda-feira, dia 26. O aumento foi informado hoje pela Prefeitura, por meio do Decreto nº 4375. O percentual não foi especificado, mas a nova tabela ficou assim:
 
I – De segunda-feira a sábado das 06:00 as 19:00 horas, será cobrado o valor de R$ 3,00 (três reais);
II – De segunda-feira a sábado das 19:00 as 23:00 horas, será cobrado o valor de R$ 4,00 (quatro reais);
III – Aos domingos e feriados das 06:00 as 23:00 horas, será cobrado o valor de R$ 4,00 (quatro reais);
IV – Aos domingos e feriados das 23:00 as 06:00 horas, será cobrado o valor de R$ 5,00 (cinco reais);
Parágrafo único – às corridas a partir de cinco quilômetros será cobrado o valor de R$ 5,00 (cinco reais).
 
A decisão do reajuste foi comunicada oficialmente na manhã desta sexta-feira (23), pelo prefeito Padre Franco, numa breve solenidade enfrente à Prefeitura.
 
Informações Magda Oliveira/ Assessoria da PMC

Autor: Messias Pereira
Fonte: Blog do Messias

Apresentador pega carona com motoboy para não perder formatura



Moacyr Franco driblou trânsito em rodovia para não perder colação do filho, diz jornal
Do R7

Moacyr FrancoDivulgação
O apresentador Moacyr Franco está no ar na Praça É Nossa, no SBT

Publicidade
O apresentar Moacyr Franco passou por apuros na noite de segunda-feira (19).
Morador de Cotia, Moacyr seguia para a formatura do filho João Vitor pela rodovia Raposo Tavares quando um acidente o impediu de fazer o retorno para pegar apista contrária.
Motivo do fim do casamento de Moacyr Franco foi traição
Em cima da hora, ele não pensou muito. Segundo o jornal Estado de S. Paulo, ele dispensou o motorista e atravessou o canteiro central para pedir carona.
De terno e gravata, Moacyr ficou à espera de uma alma caridosa que o deixasse próximo ao local da festa do filho e foi socorrido por um motoboy.

Mototaxis têm até dia 29 para renovar alvará



Núcleo Multimídia


Arquivo
A multa para o mototaxi flagrado sem alvará é de R$554,40
Os mototaxistas tem até o próximo dia 29 de dezembro para renovar o alvará e continuar atuando no setor. Há 720 mototaxis circulando com alvará em Rio Preto. Dados extra-oficiais da Polícia Militar indicam que existem 700 mototaxistas rodando sem alvará.

Para a renovação do alvará os mototaxistas devem procurar a Secretaria de Trânsito com os seguintes documentos: Requerimento Padrão (da SMTTS);cópia da CNH autenticada(c/ a observação exerce atividade remunerada); apresentar original no dia; comprovante de Endereço atualizado; (se em nome de outra pessoa, trazer a documentação da mesma); recolhimento da Contribuição Sindical; seguro vigente; cópia do Documento do Veículo (se em nome de outra pessoa, trazer a documentação da mesma); declaração, CNPJ e Alvará da Agência; certidão Negativa de Débitos Municipais ou cópia dos comprovantes de pagamento ISS (carnê) e multa de protocolo em atraso(se tiver); atestado de Antecedentes Criminais; cópia do Rg e CPF; certidão de Distribuição Criminal (CDC do FÓRUM),se estiver vencida.

Além dos pontos há 80 agências, que concentram número variados de mototaxistas. De acordo com os técnicos da Secretaria Municipal de Trânsito, a maioria das motos irregulares estão atuando nas agências. A multa para o mototaxi flagrado sem alvará é de R$554,40. Se ele estiver atuando em agência, a empresa também é multada no mesmo valor. Uma agência só é lacrada quando é reincidente.



Fonte: Assessoria de Imprensa 

adicional de periculosidade para instrutor de trânsito


A Cominssão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou nesta quinta-feira a introdução de novos critérios na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) para caracterização de uma atividade como perigosa, condição que garante ao trabalhador um adicional de 30% sobre o salário. De caráter conclusivo, o projeto agora segue para o Senado. Em seu parecer, o relator, deputado Geraldo Pudim (PMDB-RJ), recomendou a aprovação do substitutivo da Comissão de Trabalho

O TRÂNSITO DAS CIDADES GRANDES


Pois bem pessoal, estou em Buenos Aires, Capital da Argentina, aqui na “ciudad autônoma de Buenos Aires”, temos a população de cerca de 3milhoes de pessoas, juntando com a província temos cerca de 14 milhões habitantes.
Como todo cidade grande o trânsito é uma situação a parte e caótica, porém, aqui pelo menos vejo avenidas largas duas três na mesma direção e a  mesma quantidade em sentido contrário, muitos taxis, mas muitos mesmo, mais que no Rio de Janeiro, que quando fui, já fiquei impressionado pelo número de taxis lá.
Os motoristas portenhos andam pelas ruas buzinando demais, mas muito mesmo, normalmente usam  a buzina para avisar que quer passagem ou que o veiculo do lado esta invadindo sua pista, porém se um pedestre atravessa sem estar com o sinal fechado,ou em local não apropriado, buzinam mais ainda.
Aqui vi muitos acidentes de atropelamentos, justamente porque eles não param quando enxergam o pedestre,  ao contrário parece que aceleram mais ainda, em uma verdadeira expressão de medir força, acidentes com motos e ciclistas, justamente aqueles mais fracos em matéria de exposição física dentro do fluxo de trânsito.
Falta de respeito total, vejo isso também dos motoristas gaúchos, principalmente  porto-alegrenses, mal educados, a maioria quer medir espaço, quer se achar melhor motorista que o outro, um verdadeiro sinal de que a via é de quem esta de carro, colocam a “vestimenta”  que os protege.
O Trânsito certamente necessita de regras de circulação, de legislação, de fiscalização, mas de nada adianta se o condutor não tiver educação, dar passagem ao pedestre, espaço ao motorista que quer entrar e se passou, respeito aos idosos e crianças, e acima de tudo uma direção atenta a inúmeras situações inesperadas.
A maquina não pode ser a desculpa para extravasar, muitos de nós já caminhamos em ruas extremamente movimentadas, principalmente em época de final  de ano, vejo que nesses dias, as pessoas andam pela calçada muito afoitas, esbarram nas pessoas, batem umas nas ouras, deixam de pedir desculpas, ocorre que nestes casos não estamos “encapuzados com a arma”, nestes momentos, normalmente,  não xingamos, gritamos ou saímos dando murro uns nos outros, apenas acontece!
E então, porque no transito temos que buzinar, chamar de tudo o motorista do lado, não dar passagem ao pedestre, e aos demais motoristas, se auto afirmar como o melhor motorista?
Todos somos iguais, reflita isso, e seja apenas mais educado no trânsito, deixe a paz  e o amor florescer em você.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Blitz do Bafômetro


Estive em Montevidéu Uruguai, e La vi que em plena luz do ia faziam barreiras com a Policia de trânsito e a Policia militar, todos os veículos que eram parados eram submetidos ao Bafômetro, fiquei acompanhando pó cerca de 30 minutos a barreira, nenhum uruguaiio fora flagrado co limites de álcool acima do permitido pela Lei Uruguaia, onde o limite legal que era de oito decigramas por litro, para três decigramas por litro de concentração de álcool no sangue.
A Lei é recente, 18.191 de 2007, e prevê um capitulo especifico por trafegar qualquer tipo de veiculo embriagado, que no caso da Lei prevê o limite de 0.3 decigramas de álcool no sangue (um copo de cerveja), mas o mais interessante é que prevê punição para aqueles que recusarem-se a submeter-se o teste do bafômetro como vemos a seguir.
Al conductor que se rehusare a los exámenes antes referidos:
A) Se le retendrá la licencia de conducir.
B) En virtud de su negativa, se le podrá aplicar una multa de hasta 100 UR (cien unidades reajustables).
C) La negativa constituirá presunción de culpabilidad.
D) La autoridad competente aplicará una sanción que implicará la inhabilitación para conducir entre seis meses y un año de cometida la primera infracción y, en caso de reincidencia, la misma se extenderá hasta un máximo de dos años.

A Lei do Uruguai é quase idêntica a brasileira, exceto no que tange a recusa pelo teste do bafômetro (etilometro), mas, mesmo não sendo mais “dura”, ela não atingiria seu fim e o sucesso, com seu efetivo cumprimento, não só pela palavra fria da Lei, mas sim da intensa fiscalização, que lá, se faz não só em dias específicos da semana ou em locais de balada, mas sim, se exige em qualquer local, qualquer horário, a fim de dar efetividade ao rigor formal.

Legislação e Cadastro Municipal de mototaxi chegam a Caruaru

 
Pernambuco terá transporte remunerado regular ainda este ano
 
 

Hoje  a Secretaria das Cidades, através Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN)  fornece as primeiras permissões de placas de aluguel (vermelhas) para 1.117 mototaxistas das cidades de Santa Cruz do Capibaribe, Caruaru e Arcoverde. As solenidades de entrega simbólica das placas acontece com a presença de autoridades municipais, além da presidente do Detran-PE, Fátima Bezerra .
Além da Legislação e cadastro municipal, as Prefeituras devem exigir dos candidatos curso profissionalizante de 30 horas/ aula e a moto deve ter equipamentos como mata-cachorro e corta-pipas. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, quem for flagrado realizando transporte irregular será multado em R$ 85,13 e acumula quatro pontos na CNH. Ressalte-se aqui que cada município possui Legislação própria, com multas e medidas administrativas que variam de uma cidade para outra. Cada mototaxista será agraciado pelo Detran com um exemplar da cartilha 'Cidadania também vai de moto', um manual contendo informações de legislação e comportamento para os condutores de veículos de duas rodas.

Com informações da Assessoria
Da redação Caruaru360graus


 

Roberto Paulino doa terreno, pontos de taxi, mototaxi e outras benesses

Roberto Paulino doa terreno, pontos de taxi, mototaxi e outras benesses

Roberto-PaulinosO marido da prefeita Fátima Paulino, o senhor Antônio Roberto de Sousa Paulino, tomou de vez as rédeas da gestão municipal em Guarabira. O homem é quem resolve, por exemplo, a quem doar terrenos e pontos de taxi e mototaxi.

É bem verdade que até terreno que já tem dono estão sendo doados. Recentemente um graduado assessor da Secretaria de Educação foi contemplado, mas ao ir passar a papelada na burocracia da Prefeitura, foi informado que o terreno já tinha dono. O assessor ficou furioso. "Quem me deu esse terreno foi Roberto Paulino e vocês não querem passar os papéis. Existe uma máfia nessa Prefeitura", alfinetou o professor V.

Há duas semanas mototaxistas do bairro do Juá, que há anos lutavam pela concessão dos pontos, acamparam na frente da casa de Roberto. Por lá ficaram durante todo o dia, tomaram café, almoçaram (com a grana deles, claro) e só não saiu o jantar porque Paulino aguentou a pressão e autorizou a Nequinho (secretário de Finanças) conceder os pontos.

Portanto, quem desejar sugar os parcos terrenos, concessões públicas e outros benefícios da Prefeitura não adiantam procurar a prefeita. A orientação é ir direto ao "deputado federal" Roberto Paulino.


quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Dedel requer informações sobre a circulação de mototáxis nos finais de semana


Por: Assessoria de Imprensa Câmara Municipal da Estância de Atibaia

Na sessão do último dia 12, o vereador Josué Luiz de Oliveira, o Dedel, apresentou um requerimento à Prefeitura, solicitando informações sobre a circulação de mototáxis nos finais de semana, fora do expediente de trabalho.

No documento, o vereador faz os seguintes questionamentos: "existe alguma lei que proíbe os mototaxistas de rodarem com suas motocicletas sem que eles estejam a trabalho? É verdade que estão apreendendo e multando os mesmos, alegando que a motocicleta só pode circular se eles estiverem em serviço? E, por fim, se este procedimento estiver ocorrendo, isso é correto e regular?".

"Houve um caso em que o agente de trânsito abordou um munícipe que estava com a motocicleta estacionada em frente a um comércio, no centro da cidade, pedindo toda a documentação do condutor e da motocicleta. O munícipe não estava trabalhando naquele dia e, mesmo acatando o pedido do agente, ele foi multado, tendo sua motocicleta apreendida", ressaltou.

Segundo Dedel, "o nome e a documentação do condutor e da motocicleta estão sendo encaminhados para a Administração, juntamente com o requerimento, para que sejam tomadas as providências necessárias". E completou: "essa não foi a única reclamação que ouvi. Estou recebendo diversas queixas sobre esses prováveis procedimentos tomados pela Prefeitura".

Promoter carioca vai alugar mototáxi para dar conta de Réveillon

Promoter carioca vai alugar mototáxi para dar conta de Réveillon

16 de dezembro de 2011 | 17:00 | Festa, Pessoas |

Carol Sampaio - Réveillon de Valentino e mototaxi /Foto: Reprodução

Há oito anos fazendo o Réveillon do Hotel Intercontinental, no Rio de Janeiro — detalhe, os ingressos esgotaram há um mês —, a top promoter carioca Carol Sampaio decidiu fazer algo de diferente e aceitou produzir outra festa na virada do ano, o Réveillon do Exalta (Samba), na Sociedade Hípica Brasileira, no Jardim Botânico.

"Faço o show dos meninos desde o ano retrasado e está tudo em casa", diz Carol, que conta como conseguirá se desdobrar para dar conta dos dois recados. "Vou alugar um mototáxi e passear pela cidade com um vestido Valentino vermelho. Vão achar que eu sou uma Mamãe Noel perdida, mas vou passar de vermelho porque em 2012 quero um amor", diz Sampaio. Além do Exaltasamba, que comemora 25 anos de carreira, a pista contará com MC Sapão e a DJ Hellen.

Operação para Fiscalização de Mototaxis Clandestinos

Operação para Fiscalização de Mototaxis Clandestinos

A partir de hoje (14), a TEOTRANS dará início à fiscalização de mototaxistas na cidade. "Trabalhamos durante muito tempo na lei que regulamenta a profissão de mototaxi em Teófilo Otoni e publicamos o edital de chamamento público para aqueles que desejam trabalhar de forma legal. Agora é hora de fiscalizar e valorizar os que respeitam a lei", afirma o diretor geral da Teotrans, Sandro Lúcio Fonseca.

De acordo com a regulamentação aprovada em outubro de 2011 pela Câmara Municipal, os transportadores clandestinos ao serem flagrados, estarão sujeitos à remoção do veículo e multa no valor de R$2.180,00. Os agentes da Teotrans envolvidos na operação irão contar com o apoio de dez policiais militares e duas viaturas.

A operação será, nos dois primeiros dias (14 e 15 de dezembro), de cunho educativo, com orientação e distribuição de panfletos. Já a partir de sexta-feira (16), os mototaxistas clandestinos serão autuados e as penalidades cabíveis devidamente aplicadas. "Existem hoje 1500 mototaxistas clandestinos em Teófilo Otoni, contra 220 credenciados.

Precisamos reverter esses números com urgência. Além do perigo do transporte irregular, os transportadores em desacordo com a lei oferecem grandes riscos aos passageiros, que não têm garantia nem mesmo da idoneidade daqueles condutores", explica Fonseca.

Durante a fiscalização serão abordados veículos em trânsito e parados em pontos.

Redação: Liana Marques / Foto: Sérgio Guimarãe

Nenhuma hipótese está sendo descartada' diz delegado

Nenhuma hipótese está sendo descartada' diz delegado
O motoboy Carlos Alberto foi assassinado dia 10

(Foto: Arquivo Infonet)

Até o momento, continuam as investigações para apontar o responsável pela morte do motoboy Carlos Alberto Elesbão dos Santos, que foi assassinado na noite do dia 10 de dezembro na calçada externa do Parque da Sementeira.

De acordo com o delegado da 2ª divisão do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil, Luiz Carlos Xavier, nenhuma hipótese está sendo descartada. "Todas as testemunhas que estiveram no local do crime já foram ouvidas, mas até o momento não podemos informar quem seja o culpado, já que antes trabalhávamos com três linhas de investigações, só que após ouvir as testemunhas já aumentamos para oito", afirma o delegado ao acrescentar que até o momento não há novidade que possa ser divulgada à imprensa.

Carlos Alberto tinha 27 anos e saía do parque com os amigos quando levou cinco tiros no tórax e na cabeça. Segundo as testemunhas, o assassino estava em uma motocicleta de cor branca.

Mototaxistas tem até dia 29 para renovar alvará

Moto -Taxi só com Carteira de Habilitação


As rotas e exigencias dos policiais no transito em Cedro PE, vem gerando  um forte impacto na rotina do moto-táxi, um dos principais meios de transporte dos moradores da cidade. Segundo policias militares e civis do municipio,  está proibida a circulação de qualquer moto-taxista sem carteira de habilitação.

Profissionais que ganham a vida subindo e descendo as ladeiras da capital do milho, com mais de 10 mil moradores, agora pouco circulam, muitas vezes arriscam, mas logo são surpreendidos. Só no mês passado, mais de 30 motoqueiros foram pegos com irregularidades. Muitos além de não possuir permissão para dirigir, encontravam-se sem capacete, documentação pessoal e do transporte.

Cedro a cinco meses atrás possuia um tráfego de mais de 50 mototáxi. Hoje, a praça da matriz, um dos principais pontos de circulação, os bancos estão vazios. Ruim para uns, bons para outros.Um homem que não quis sua indentificação exposta no blog, sustenta a família com os quase R$ 400,00 que lucra por mês. Com carteira dentro da validade e os documentos regularizados, ele já notou a diferença no bolso. Seu   faturamento aumentou.
- É muito bom. Sou totalmente a favor. Tem que funcionar do mesmo jeito que em qualquer outro lugar, dentro da lei. Além disso, era injusto, porque qualquer um podia pegar uma moto e disputar espaço com a gente.
Além de diminuir a concorrência, outro fator irá contribuir diretamente para que os moto-taxistas aumentem a renda mensal.

Mesmo com tantas rotas dos policias, alguns mototaxi continuam a lutar para que a lei seja apenas uma passageira.

Moto -Taxi só com Carteira de Habilitação

Moto -Taxi só com Carteira de Habilitação


As rotas e exigencias dos policiais no transito em Cedro PE, vem gerando  um forte impacto na rotina do moto-táxi, um dos principais meios de transporte dos moradores da cidade. Segundo policias militares e civis do municipio,  está proibida a circulação de qualquer moto-taxista sem carteira de habilitação.

Profissionais que ganham a vida subindo e descendo as ladeiras da capital do milho, com mais de 10 mil moradores, agora pouco circulam, muitas vezes arriscam, mas logo são surpreendidos. Só no mês passado, mais de 30 motoqueiros foram pegos com irregularidades. Muitos além de não possuir permissão para dirigir, encontravam-se sem capacete, documentação pessoal e do transporte.

Cedro a cinco meses atrás possuia um tráfego de mais de 50 mototáxi. Hoje, a praça da matriz, um dos principais pontos de circulação, os bancos estão vazios. Ruim para uns, bons para outros.Um homem que não quis sua indentificação exposta no blog, sustenta a família com os quase R$ 400,00 que lucra por mês. Com carteira dentro da validade e os documentos regularizados, ele já notou a diferença no bolso. Seu   faturamento aumentou.
- É muito bom. Sou totalmente a favor. Tem que funcionar do mesmo jeito que em qualquer outro lugar, dentro da lei. Além disso, era injusto, porque qualquer um podia pegar uma moto e disputar espaço com a gente.
Além de diminuir a concorrência, outro fator irá contribuir diretamente para que os moto-taxistas aumentem a renda mensal.

Mesmo com tantas rotas dos policias, alguns mototaxi continuam a lutar para que a lei seja apenas uma passageira.

Jovens são maioria das vítimas de acidentes de trânsito

Jovens são maioria das vítimas de acidentes de trânsito

Eles correspondem a 53,4% das mortes.
Na região de Itapetininga, 1.647 pessoas foram vítimas de acidentes.

Do G1 Itapetininga e Região

Comente agora

Uma pesquisa do Ministério da Saúde aponta que grande parte das vítimas de acidentes graves envolve os jovens. Na região de Itapetininga, interior de São Paulo, só este ano, 15 pessoas morreram.

Há 11 anos, Leandro Camargo de Oliveira sofreu um acidente de moto que o deixou tetraplégico. Um carro que vinha na contra mão bateu de frente com ele. Na época, viu a vida mudar completamente por causa de uma imprudência no trânsito.

A pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde revelou que os jovens são os que mais se envolvem em acidentes graves de trânsito. Eles estão entre as pessoas de 15 a 39 anos que correspondem a 53,4% das mortes em 2009. Dados que também refletem na região de Itapetininga.

De acordo com dados da Polícia Militar de Itapetininga, na região, em 2010, 1.647 pessoas foram vítimas de acidentes. Seis morreram. Já este ano, houve aumento. O número subiu para 1.687. Quinze morreram.

É a educação no trânsito que os instrutores de autoescolas tentam passar para os novos alunos que chegam ansiosos para dirigir. Aguinaldo Vieira, que convive diariamente com eles, reforça durante as aulas que no volante não se brinca.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Polícia Nacional proíbe circulação de moto-taxis sem documentação


Lobito – O comandante municipal da Polícia Nacional, no Lobito, província de Benguela, Gabriel Capusso, afirmou que a corporação vai apreender todos os moto-taxis vulgo “cupapatas” em circulação sem documentação (licença) nem capacetes protectores.



Falando no encontro com jovens promovido pela administração municipal, o responsável informou que noventa por centos dos acidentes rodoviários que se registam são provocados pelos moto-taxis ou cupapatas.


Segundo o responsável, "quem quer fazer o trabalho de moto-taxi deve possuir a licença de condução, livrete do veículo que conduz e o capacete de protecção” e na falta destes elementos a Polícia Nacional não dará tréguas”.

“Seremos implacáveis na tomada de medidas, sobretudo durante a quadra festiva, altura em que certos cidadãos, depois de ingerirem bebidas alcoólicas, tendam a subverter a lei e a convivência pacífica”, advertiu.


Na mesma vertente, o comandante apelou os promotores de espectáculos ou festas a anunciarem as suas actividades junto das entidades competentes sob pena de assumirem as consequências dos seus actos.


“Quem organiza uma festa tem que ser responsável por tudo que possa surgir”, responsabilizou.

Aconselhou igualmente os munícipes a denunciarem os agentes que em missão de serviço ou não ajam à margem da lei, sobretudo aqueles que fomentam a famosa Gasosa.

 

domingo, 18 de dezembro de 2011

Mototaxistas querem debater ‘lei do garupa’


Em fase de estudos pela vereadora Marly Martin (PPL), uma eventual lei que proíba o transporte de passageiros em motocicletas em determinados horários e dias da semana prejudicaria todos os usuários de motos da cidade. Essa é a avaliação feita pelo Sindicato dos Mototaxistas e Motofretistas (Sindimotos) de Maringá. A ideia, segundo a vereadora, pode ajudar a reduzir a criminalidade e o número de acidentes em que este tipo de veículo está envolvido.



"Barrando o motociclista, não se resolve o problema de assaltos. Há uma lei federal que regulamenta a profissão de mototaxistas. Uma lei assim (como a que a vereadora pode apresentar) atingiria diretamente os usuários de mototáxis. Se for aprovada, como esse pessoal vai se locomover para o trabalho? Vai de coletivo?", questiona o presidente do Sindimotos, Mário Afonso Garcia.

Ele argumenta também que a motocicleta é um veículo mais barato e ao alcance de todos. "Muitos que não têm condições de comprar um carro compram uma moto. A vereadora alega que é problema de segurança, mas na minha opinião falta efetivo policial", completa.

O sindicalista disse que vai propor uma reunião com a vereadora para debater o assunto. "Vou até mandar um ofício para Marly. Já que ela levantou essa questão, vamos sentar com as autoridades da segurança, como o poder público, para buscar uma solução. Por que ela não coloca uma lei também para proibir passageiros de carro?", desafia.

Na avaliação dele, a proposta da vereadora vai na contramão das expectativas dos motociclistas. "Vamos ajudá-la nesse estudo técnico e ver se a gente consegue equacionar isso. Esse assunto confronta a nossa realidade, acho que a vereadora foi infeliz em colocar isso", critica.

Ele rebate também as argumentações de que muitos crimes são praticados por motociclistas. "É uma vergonha alegar que os mototaxistas são traficantes, que a pessoa que utiliza uma moto é bandido", acrescenta, destacando que uma lei assim penaliza principalmente os trabalhadores, tanto os que usam moto para locomoção até o trabalho quanto os que usam para transportar passageiros.

Segundo o Sindimoto, Maringá conta com aproximadamente 200 mototaxistas. O sindicato estima que a atividade gere 500 empregos diretos. Um mototaxista ganha entre R$ 50 e R$ 70 por dia.


EM ESTUDO



Marly Martin >> Vereadora pelo PPL em Maringá


Para a Polícia Civil, o problema de segurança relacionado ao veículo não é o uso da moto, mas do capacete, que prejudica a identificação. Como a senhora avalia isso?

É um estudo que está aberto ao debate pela população. Já sugeriram que os motociclistas deixem de usar capacete. Existem muitas sugestões.

Em Maringá, há um grande número de motociclistas e isso gera polêmica. Como a senhora vê isso?

Está certo e por isso que eu disse que a minha preocupação é, antes, fazer um estudo. A cada dia vemos muitos acidentes de moto e também muita violência praticada por motociclistas. É uma questão de estudo, estamos procurando uma solução para isso.

Mas os motociclistas são radicalmente contra isso. Como a senhora vai administrar essa situação?

Está sendo feito um estudo. Fiz uma lei proibindo o cigarro em ambiente fechado e hoje é uma lei nacional. De repente, a Assembleia de São Paulo revoga a lei (sobre motocicletas). De repente a gente não prossegue aqui. Vamos abrir uma discussão que pode levar anos e as pessoas podem participar. Existem muitas sugestões. Só vou colocar como projeto depois de eu me convencer que esse projeto ajudaria, sem prejudicar as pessoas de bem.


OPINIÕES


Celso Ramos
Encarregado de ferragens

"Quem sai para assaltar
vaiassaltar de qualquer
jeito. Não pode comparar
uma pessoa de bem com
um bandido"


Aluan da Silva
Impressor flexográfico

"Tenho uma moto e
carrego minha irmã,
minha mãe e minha
namorada. Garanto
que 99% dos
motociclistas não são
assaltantes"

Darci Tixa
Vendedor autônomo

"A moto foi feita para
um piloto e um
passageiro. Uso a
minha para carregar
meu filho, levo ele para
a escola. Sou
totalmente contra"

Reclamações de clientes do mercado de duas rodas na Internet


O responsável e profissional atendimento ao cliente...

Estamos chegando no ano de 2012, as empresas do setor de duas rodas, finalmente, estão começando a dar mais importância a Internet. Antes tarde do que nunca, afinal, a vida de uma organização pode estar ligada diretamente à sua presença profissional na Internet.

Depois do caso da Harley Davidson onde a sede nos EUA, através da Internet, ficou sabendo de inúmeras reclamações de proprietários da lendária marca insatisfeitos, e deu no que deu, a HD entrou com processo na justiça brasileira e retirou a concessão da marca do Grupo Izzo, a Internet vem demonstrando, dia a dia, que ignorá-la empresarialmente, pode ser uma grande furada.

Na Internet, diferente dos meios impressos, os leitores, proprietários de motocicletas e consumidores do setor em geral tem voz! Não são apenas leitores passivos onde não podem interagir e mesmo gerar a notícia. Eles tem voz ativa e estão revolucionando a maneira como as empresas precisam dar o atendimento.

Na Internet, ainda mais agora com o crescimento da rede social (Facebook, Twitter, dentre outros), as impressões dos clientes repercutem com uma velocidade incrível, e as empresas mencionadas por esses, precisam se ater a isso e dar o devido valor que o cliente merece.

Antigamente, dava um sério problema numa moto ou produto, o cliente ficava na mão. Só podia recorrer aos orgãos de defesa do consumidor ou telefonar para os SAC das empresas. Hoje ele posta uma mensagem na rede social, envia milhares de e-mails a amigos e em 24 horas, milhares de pessoas ficam sabendo do ocorrido e interagem com a mensagem.

Por outro lado, as empresas precisam trabalhar profissionalmente e com seriedade com a Internet, abrindo um canal de comunicação com seus clientes, e se manifestar na Internet, quando é citada num problema que foi disseminado na rede.

Essa semana que passou uma proprietária brasileira de uma moto de marca européia divulgou um sério problema que teve em sua motocicleta em pleno Deserto de Atacama, a qual teve princípio de incêndio, e a motociclista não teve o atendimento esperado por parte da empresa. Em menos de 48 horas, mais de 4000 motociclistas ficaram sabendo do ocorrido. Provavelmente você que está lendo essa notícia, ficou sabendo do problema e do nome da empresa envolvida. 

Sr. Empresário do setor de duas rodas, agora, mais do que nunca, você precisa ter muito cuidado e dar atenção redobrada a qualidade do seu produto, serviço e principalmente ao atendimento ao cliente, quando ocorre um problema. Caso contrário, saiba que através da Internet a imagem da sua empresa será negativada e acredite, isso pode gerar grandes prejuízos financeiros para sua organização.

Fonte: Texto por Policarpo Jr - RockRiders.com.br

Taxistas e mototáxi regulamentados podem adquirir veículos financiados pelo BNBES


TAXISTAS COM O VEREADOR SANDRO GÓISVereador Sandro Góis (o segundo pela ordem) apoiou a luta dos taxistas pela regulamentação da atividade desde o início

Com a criação da cooperativa e agora a regulamentação da atividade no município, os profissionais que atuam no transporte alternativo de passageiros na linha Areia Branca-Mossoró, breve vão poder ter acesso a uma linha de crédito exclusiva para financiar táxi, por meio do Banco do Nordeste do Brasil (BNB).

O benefício é extensivo aos pilotos de mototáxi, que a exemplo dos motoristas, estejam organizados em associação ou cooperativa, vão poder adquirir sua moto nova com juros de 0.73% ao mês. O valor financiado pode ser parcelado em até 48 parcelas.

Para carros, os primeiros a ter acesso ao benefício foram os motoristas de Natal e Parnamirim. Já para motoqueiros, os primeiros a ter acesso são os de Assú, onde cinco já receberam suas motos.

No município de Assú existem mais de 230 mototaxistas, sendo que 193 são ligados a uma associação.

O gerente de Negócios do BNB, Alessandro Borges de Araújo, explica que para o motorista e motoqueiro terem acesso ao crédito é preciso que estejam associados ou cooperados. Depois precisa estar com o nome limpo na praça e fazer um cadastro na concessionária. Superando estas etapas, procura-se o BNB e dá entrada na papelada. "Não tem muita burocracia e o motoqueiro ou motorista pode financiar até 90% do veículo", explica.

Ainda conforme Alessandro Borges, a linha de crédito Cooperfat já está disponível em todos os municípios do Rio Grande do Norte. É uma oportunidade muito boa de renovação da frota de veículos tanto de moto como de carros que fazem transporte no Estado

A necessidade da regulamentação do serviço de moto táxi em Salvador



quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Roubo de veiculo - mototaxi em CRUZ ALTA

 

14 de dezembro de 2011 .

No dia 13 dezembro de 2011, às 23h50min, na Rua Rio Grande Do Norte, comunica a vitima, que fazia uma corrida até a vila Santa Terezinha II, juntamente com seu colega do ponto de mototaxi, ao chegar no local, os indivíduos que conduziam na garupa de suas motocicletas anunciaram o roubo e levaram a motocicleta marca Honda CG/125 Fan, bem como o telefone celular marca LG, e sua carteira, contendo vários documentos, e dois capacetes. De seu colega levaram o telefone celular marca LG, e noventa reais em dinheiro, bem como a chave da motocicleta dele. Foi conduzido às vitimas para registro na Delegacia de Policia de Pronto Atendimento.

 

 

Prefeitura oficializa serviço de mototáxi em cerimônia

São Mateus - A Prefeitura de São Mateus, através da Secretaria Municipal de Defesa Social realiza uma cerimônia para o lançamento oficial da instalação do serviço de mototáxi no município. O evento acontecerá amanhã, às 8h, no plenário da Prefeitura.

O serviço é regulamentado pela Lei Municipal 874/2010, que institui adequações quanto aos pontos, medidas de segurança entre outras medidas para legalização. O serviço de moto-táxi da cidade é o único legalizado no Espírito Santo conforme a legislação federal e municipal.

Após a instituição da Lei Municipal, a Prefeitura deu um prazo para que os profissionais se adequassem e deu início a fiscalização do serviço no último dia 30. Todos os mototaxistas que tiverem dúvidas sobre as regras de fiscalização do serviço devem procurar o setor de Táxi e Mototáxi na Secretaria de Defesa Social para obter informações.

O secretário de Defesa Social, Nillis Castberg, informou que com a legalização do serviço o transporte será feito de forma segura. “O serviço será executado de forma adequada e organizada trazendo segurança para os usuários”. Além disso, o secretário informou que o serviço legalizado terá cerca de 70 motos trabalhando no município que ficarão dispostas em pontos fixos pela cidade e interior.

O prefeito Amadeu Boroto declarou que a partir de agora a população poderá contar com um serviço de mototáxi fiscalizado pela Prefeitura que trará bem mais segurança para quem utiliza o serviço. “Os mototáxis terão um controle da Prefeitura, deverão ser todos legalizados e isso fará com que o serviço tenha mais qualidade e principalmente a garantia da segurança para a população” – destacou Amadeu

 

Motoboy atropela duas mulheres na baixada do Mercado Municipal

 

 

Mulheres atravessavam na faixa de pedestres, mas semáforo estava aberto

14/12/2011 - 11:51

Um atropelamento deixou três pessoas feridas no fim da manhã desta quarta-feira (14), no Centro de São Carlos. Segundo a polícia, um motoboy descia pela Avenida São Carlos quando atropelou duas mulheres na região da baixada do Mercado Municipal.

De acordo com informações de uma testemunha, as mulheres atravessavam a rua pela faixa de pedestres quando foram atingidas pelo motoboy, que cruzou a pista com o semáforo aberto.

As vítimas foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e levadas à Santa Casa de São Carlos. O motoboy e uma das mulheres sofreram ferimentos leves. A terceira vítima teve traumatismo craniano.

 

Troca do escapamento original por um esportivo é legal ou não?

 

 

By Cezar Tesser, Clique no nome do autor ao lado para comentar.

 

Quarta, 9 Setembro 2009


Segundo o meu entendimento, os escapamentos esportivos não são proibidos, como exemplificam varias leis. Inclusive, o próprio CONAMA prevê que pode ser substituido o escapamento. Pergunto: Por que os agentes de trânsito insistem em multar por esse motivo? Sem que ninguem faça nada para impedir que continue essa arrecadação de dinheiro através de multas sem embasamento legal.
E mais, o próprio CTB estabeçe nos Arts. 72 e 76 que é dever das autoridades de trânsito nacional educar, esclarecer,,,,, as solicitações da população quanto a eventuais duvidas. Tenho insistentemente pedindo esclarecimentos sobre o assunto sem que NINGUÉM RETORNASSE absolutamente nada a respeito.


Caro Cezar,

Como é comum no Direito, conforme o interesse desejado é possível se extrair um entendimento e fundamentação mais adequados para corroborar uma dada tese, portanto, sobre este assunto, teremos argumentos a fim de justificar que a troca de escapamentos originais de motos por escapamento esportivos é uma prática legal e argumentos que visarão comprovar que esta mesma prática é ilegal.

Para não ficar em cima do muro, vamos procurar expor o nosso entendimento sobre esta questão de uma forma imparcial.

Para tanto, vejamos o que diz o Art. 97 do CTB:

"Art. 97. As características dos veículos, suas especificações básicas, configuração e condições essenciais para registro, licenciamento e circulação serão estabelecidas pelo CONTRAN, em função de suas aplicações."

Sem entrar no mérito de quais são estas "características dos veículos, suas especificações básicas, configuração e condições essenciais" devemos considerar que sejam todas que são perseguidas e atendidas pelos fabricantes na hora de homologar um de seus produtos para venda.

Exemplo recente disto foi a adequação das motos à fase 3 da Promot para restrição de emissão de poluentes. Os fabricantes solicitaram prorrogação de prazo de 31 de dezembro de 2008 para 31 de março de 2009 e, mesmo assim, algumas motos não conseguiram obter esta homologação.

Podemos Também observar a CB 300R da Honda como um exemplo, que muito se crítica ter ganho apenas 2,5 HP apesar de o seu motor ter sido elevado em 50 cilindradas. Quem observa esta nova moto logo percebe que a sua ponteira é bem grande a fim de proporcionar maior capacidade de retenção de poluentes. Tivemos a oportunidade de testar uma CB 300R com ponteira esportiva e foi notório o aumento de sua performance. Poderíamos ainda falar dos enormes escapamentos da Hayabusa e da B-King entre outros inúmeros casos nesta linha.

Se o uso de uma ponteira esportiva aumenta o rendimento da moto, então por que os fabricantes já não fazem com que elas saiam de fábrica com este equipamento?

Simples, por que estes equipamentos NÃO atendem as ditas "especificações básicas, configuração e condições essenciais para registro, licenciamento e circulação".

Vamos ainda verificar o que diz o Art. 98 do CTB:

"Art. 98. Nenhum proprietário ou responsável poderá, sem prévia autorização da autoridade competente, fazer ou ordenar que sejam feitas no veículo modificações de suas características de fábrica.

Parágrafo único. Os veículos e motores novos ou usados que sofrerem alterações ou conversões são obrigados a atender aos mesmos limites e exigências de emissão de poluentes e ruído previstos pelos órgãos ambientais competentes e pelo CONTRAN, cabendo à entidade executora das modificações e ao proprietário do veículo a responsabilidade pelo cumprimento das exigências."

Por conta deste artigo, para a instalação de um escapamento esportivo de forma legal deve o DETRAN estadual verificar a adequação do item que se quer modificar, no caso o escapamento, em relação à ruído e emissão de poluentes, por meio de vistoria ou laudo pericial considerado válido para tanto. Sendo considerado adequado o escapamento (ou só a ponteira), o devido registro será procedido no CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento Veicular). Se houver este registro no CRLV, não haverá fundamento de nenhuma natureza para o agente de trânsito levar a cabo uma autuação. O grande problema é que praticamente ninguém faz isto neste país inteiro.

Vejamos ainda que, segundo o Art. 105 do CTB:

"Art. 105. São equipamentos obrigatórios dos veículos, entre outros a serem estabelecidos pelo CONTRAN:
...
V - dispositivo destinado ao controle de emissão de gases poluentes e de ruído, segundo normas estabelecidas pelo CONTRAN.
...
§ 1º O CONTRAN disciplinará o uso dos equipamentos obrigatórios dos veículos e determinará suas especificações técnicas.
§ 2º Nenhum veículo poderá transitar com equipamento ou acessório proibido, sendo o infrator sujeito às penalidades e medidas administrativas previstas neste Código."

Se um escapamento esportivo não estiver devidamente registrado no CRLV da moto, então não é possível para o agente de trânsito saber se este equipamento está de acordo com as normas estabelecidas pelo CONTRAN. Como o proprietário da moto procedeu modificação indevida de característica do veículo é do nosso entendimento que é dever do agente de trânsito aplicar multa e a medida administrativa de retenção do veículo.

Perceba que aqui não estamos discertando sobre o agente de trânsito constatar que o escapamento esportivo emite mais ruído ou mais poluentes do que o estabelecido, pois, para isto, ele deveria estar munido dos apropriados equipamentos de aferição, devidamente inspecionados pelo INMETRO. Quando um agente de trânsito aplica multa por excesso de ruído ou excesso de poluentes emitidos, sem ter como precisar de quanto foi este excesso, então aí o procedimento é ilegal e é cabível recurso.

Para não nos estendermos mais, o ponto sobre o qual os agentes de trânsito baseiam seu poder/dever de aplicar as devidas sanções sobre aqueles que trocam os escapamentos originais por esportivos é complementado pelo Art. 106 do CTB:

"Art. 106. No caso de fabricação artesanal ou de modificação de veículo ou, ainda, quando ocorrer substituição de equipamento de segurança especificado pelo fabricante, será exigido, para licenciamento e registro, certificado de segurança expedido por instituição técnica credenciada por órgão ou entidade de metrologia legal, conforme norma elaborada pelo CONTRAN."

Finalizando, para se poder rodar sem problemas com um escapamento esportivo (ou só ponteira) no lugar do original só com o registro no CRLV, o qual poderá ser obtido no DETRAN de cada estado, mediante vistoria ou apresentação de laudo técnico que comprove a adequação deste equipamentos às exigências legais, é isto.

Esperamos ter conseguido elucidar esta questão tão polêmica.

Um grande abraço !

Gisele Flores & Jaime Nazário
www.sobremotos.com.br



quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

O MEU "VALOR" É DO TAMANHO DA MINHA DEDICAÇÃO

 

O MEU "VALOR" É DO TAMANHO DA MINHA DEDICAÇÃO

Sergio Ferreira Pantaleão

Ainda que eu não queira ou ainda que eu pense que não estão reconhecendo o meu valor pelo que faço, na verdade o valor a mim atribuído é exatamente do tamanho da minha dedicação.

Ora, poderiam retrucar, "isso se você estivesse falando de uma empresa séria, com parâmetros claros de reconhecimento, com imparcialidades na tomada de decisões, bem como de gestores que reconhecessem em suas equipes o esforço de cada colaborador".

Atribuir a falta de reconhecimento à política da empresa ou a um Gerente ou Supervisor pode não ser a melhor justificativa para ficar estagnado. Para atribuir um valor ao que faço é necessário, antecipadamente, mensurar aquilo que faço e para quem eu faço, neste caso, a empresa.

Se a dedicação à empresa está próximo ou igual ao que considero ser o que apenas atende às expectativas, então não posso simplesmente reprovar o valor que a empresa atribui ao meu desempenho.

Parece complexo, mas é questão de bom senso. Dizer que é explorado pela empresa, mas continuar na "mesmice" é um jogo perigoso para a saúde e para a realização profissional.

Não podemos ficar inertes mesmo que a situação pareça confortável, com uma remuneração dentro dos padrões de mercado, com um cargo que não ofereça ameaças e em uma empresa que está longe de sofrer uma crise econômica.

Hodiernamente seria loucura pensar desta forma, principalmente na atual conjuntura econômica de crise que vive o país e o mundo, onde milhões estão buscando justamente o conforto de um emprego ou de um cargo público, seja por questão salarial, hierárquica ou de estabilidade.

Mas o fato é que muitas vezes nos acomodamos e apenas "representamos" um papel na empresa que, na verdade, não é o que gostaríamos de estar fazendo. Se isso é uma realidade, ainda que a empresa traga um "suposto" conforto financeiro, sair em busca de algo que possa lhe trazer desafios e ser reconhecido por isso pode valer mais a pena e trazer mais satisfação profissional do que permanecer como está.

Se o meu desempenho está além do que o cargo que ocupo exige ou se está abaixo do que deveria ser e por razões diversas não recebo nenhum aumento, são questões que cabem a cada um identificar e agir para que tal situação não se prolongue.

É preciso ser honesto consigo mesmo para responder tais questões e, se necessário, buscar ajuda de outro profissional (dentro ou fora da empresa) de modo a entender realmente o que está acontecendo.

Se a conclusão é de que precisa melhorar, cabe a cada profissional despertar para os problemas apontados e buscar desenvolver novas habilidades e atitudes, encaminhando-se para um crescimento profissional na organização.

Por outro lado, se a conclusão é de que seu potencial não está sendo bem aproveitado no cargo atual, cabe a cada fazer-se oportunizar dentro da organização ou, caso não vislumbre esta possibilidade, se preparar e buscar oportunidades externas.

O mercado parece saturado com inúmeras pessoas desempregadas dispostas a ocupar sua vaga pela metade do que você ganha, mas isso não é motivo para preocupação. Melhor mesmo é promover a auto capacitação e desenvolver seu trabalho de forma a "mudar o macaco de ombro", atribuindo esta preocupação para a empresa, onde ela faça de tudo para mantê-lo no quadro e se preciso, promovê-lo para satisfazer sua ascensão profissional, sob pena de perdê-lo para o concorrente.

Não se deve buscar a sorte onde o que se exige são dedicação e competência. Cada qual se desenvolve na medida da sua vontade em querer crescer e se desenvolver profissionalmente.

Enquanto muitos, que se acham sem sorte, estão em praias, baladas ou botecos criticando chefes e colegas de trabalho outros, chamados "afortunados", se abstêm de seu lazer para fazer cursos em finais de semana, pesquisando e desenvolvendo novas ferramentas e técnicas de trabalho, lendo livros que aprimoram seus conhecimentos e habilidades ou participando de cursos técnicos ou de especialização.

Passar 4 ou 5 anos frequentando os mais diversos tipos de diversões à noite e nos finais de semana com os amigos é muito fácil, mas passar o mesmo período para terminar uma faculdade, uma pós graduação ou um curso de especialização parece impossível.

Não se pode generalizar as coisas a ponto de dizer que todos possuem condições para tanto, mas há uma grande parte que já se entregaram à idade, à condição de casado, a uma enfermidade na família, à condição financeira, enfim, a diversas desculpas as quais os deixaram "cegos" frente às oportunidades que pessoas exatamente iguais (financeira, social, familiar e etc.), enfrentaram e conseguiram alcançar.

Não se está buscando aqui uma aversão ao lazer ou ao conforto familiar, mas apontando apenas alguns "sacrifícios" que, feitos periodicamente, podem desencadear uma constante ascensão na carreira profissional e por conta disso, proporcionar maior conforto à família e realizar sonhos - pessoais ou profissionais - que pareciam impossíveis.

Sua situação atual pode não ser a que você deseja, mas não se deixe entregar, use-a como motivação para reverter este quadro e se aprimorar, se desenvolver para criar suas oportunidades e obter a profissão e o desempenho que você realmente almeja, de modo que o valor a eles atribuído seja apenas uma consequência de sua própria dedicação.


Sergio Ferreira Pantaleão é Advogado, Administrador, responsável técnico pelo Guia Trabalhista e autor de obras na área trabalhista e Previdenciária.

 

A necessidade da regulamentação do serviço de moto táxi em Salvador

Com a estabilidade da moeda e ganho de poder aquisitivo da sociedade, que se deu com o início do Plano Real, no governo do Presidente Itamar Franco, com a continuação responsável de seus sucessores, vivemos nas grandes cidades uma verdadeira explosão nas vendas de veículos de passeio, sendo a moto o mais requisitado pelas classes “C”, “D” e “E”, pela facilidade de crédito e custo baixo.

O tema em questão, em virtude do aumento de poder aquisitivo da sociedade, é o grande fluxo de motos na cidade, e uma nova forma de trabalho, a “profissão” de mototaxista. Tive a preocupação de colocar a palavra profissão entre aspas por não estar regulamentada em Salvador.

Ocorreu inicialmente o surgimento da figura do motoboy, que fazem de tudo, de pagamentos, entrega de mercadorias expressas, até a entrega de nossos desejos gastronômicos, com a responsabilidade, em alguns casos, de arcar com o valor do produto se não entregar no prazo oferecido pelo estabelecimento comercial, mas deixemos isto para outra ocasião.

Sabemos da criatividade do brasileiro, principalmente quando o bolso é afetado, então, com a baixa qualificação dos soteropolitanos para conseguir emprego, surgiu uma nova forma de adquirir renda; utilizar a moto para o transporte de pessoas, criando a figura do “MOTOTAXISTA”, que hoje domina os grandes centros urbanos, sendo esta pratica já utilizada anteriormente no interior.

O Governo Federal tomando conhecimento do crescimento das profissões de Motoboy e Mototaxista editou a LEI Nº 12.009, DE 29 DE JULHO DE 2009, que estabelece normas gerais para estes serviços, devendo o Município estabelecer normas específicas para a regulamentação da profissão.

A Prefeitura Municipal de Salvador ainda não regulamentou a profissão de mototaxista, sob o argumento que estão analisando se deve ou não existir tal profissão. Ora, por mais que sejamos contra você utilizar a moto como taxi, e eu sou veementemente contra, pois como vemos em estatísticas o número de acidentes com motos aumentou 350% (trezentos e cinquenta por cento) de 2001 a 2010, conforme trabalho estatístico do pesquisador Júlio Jacobo, não podemos negar o fato que este serviço já existe de forma irreversível em nossa cidade, só que a margem da lei.

A Lei Federal supramencionada traz em seu bojo a necessidade do cidadão para poder exercer a profissão. Dentre estes requisitos estão; a idade mínima de 21 anos; dois anos de habilitação na categoria; ser aprovado em curso especializado do COTRAN, etc.

Infelizmente o que presenciamos nas ruas são pessoas despreparadas, que muitas vezes aprendem a andar de moto para serem mototaxistas, por falta de oportunidade e até pessoas que alugam motos para terceiros fazerem este trabalho sem sequer possuírem habilitação.

A falta de normas específicas da Prefeitura Municipal de Salvador causa uma celeuma de proporções épicas, tendo em vista que o serviço é oferecido na cidade de forma desordenada, muitas vezes com o condutor sem condições, expondo a população que utiliza deste serviço ao risco, com um custo alto para o Estado, visto que se gasta muito em saúde e indenizações em cada acidente.

Quando estudamos Ciência Jurídica, aprendemos que existem várias normas que compõem o Direito, como os princípios, a Constituição Federal, as Lei, a jurisprudência, a doutrina e o costume.

Podemos até sermos contrários aos costumes, mas não podemos ignorá-lo quando ele se consolida na sociedade, sendo papel fundamental do Estado regulamentar o costume, que neste caso é o do Município criar as normas para a regulamentação da profissão de Mototaxista e assim fiscalizar e coibir os abusos para que as estatísticas de acidentes com motos não cresçam ainda mais.

 

População reclama do serviço de mototáxi em Imperatriz

Na cidade de Imperatriz-Ma, boa parte da população usam o serviço de mototáxi,Imperatriz foi uma das primeiras cidades do Brasil, a reconhecer o serviço e homologar a sua efetivação, determinando valores e quantidades de motos a trabalhar,recentemente as pessoas que usam do serviço, estão enfrentando transtornos em relação ao preço da corrida.


Segundo a estudante, Angra Dias da Silva, usuária do serviço de mototaxi, o preço de uma corrida aumentou muito, principalmente no período da noite, a mesma mora no Bairro Imigrante, e diz pagar um preço muito alto pra chegar em casa. “Acho um absurdo o preço que eles cobram por uma corrida, por exemplo; durante o dia eu pago quatro reais, do centro da cidade para o Imigrante, já a noite, eles querem cobrar de dez a quinze reais e isso e inadmissível”. Afirma Angra.


Segundo o presidente do Sindicato dos Mototaxistas, Francisco Aragão, a frota conta hoje com 650 mototaxista para realização dos serviços, alguns cobram o valor adequado, outros cobram um valor superior. O mesmo afirma que estão esperando o secretario de trânsito da cidade, Cabo J.Ribamar a convocar uma audiência pública, na câmara dos vereadores, para aprovação da tabela de preços a ser estabelecida.
De acordo com Aragão, muitos usuários do serviço denunciam ao sindicato cobranças abusivas. No entanto, ele alega que a ausência de uma tabela que determine os valores mínimo e máximo a serem pagos impossibilita qualquer trabalho de fiscalização, por parte de sindicato da categoria. “Tem pessoas que cobram acima do que custaria a corrida, mas não tem como haver punições, pois não há tabela”.
Francisco Aragão, diz ainda, que o tabelamento de preços é de responsabilidade da prefeitura. Segundo ele, os preços mínimos, referentes a corridas curtas, seriam quatro reais e o valor máximo, a ser pago por corrida feita à noite, entre bairros distantes, após as 22h, seriam 30% do valor habitual.

Blog do Gidel Sena

Frota de motaxista de Imperatriz

(FONTE)www.fmnativa.com.br

Última atualização em Ter, 13 de Dezembro de 2011 18:09

 

SP: motoboy é preso por morte de cunhada após resultado de DNA

O suspeito foi capturado após resultado do exame de DNA
Foto: Hélio Torchi/Futura Press

O motoboy Sandro Dota, 40 anos, foi preso na noite desta segunda-feira por policiais do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) pelo assassinato da jovem Bianca Ribeiro Consoli, 19 anos, morta no dia 13 de setembro, dentro de casa, no Parque São Rafael, zona leste da capital paulista. Sandro era cunhado da vítima e o principal suspeito do crime.

O resultado do exame de DNA revelou que o material genético encontrado sob as unhas da vítima era compatível com o encontrado na calça do suspeito,usada no dia do crime.O motoboy passou a noite no DHPP, separado dos demais presos, e pode ser transferido ainda nesta terça-feira. A polícia não revelou o destino do suspeito, que será encaminhado para um Centro de Detenção Provisória (CDP) ainda não definido.

 

 

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

ENC: Sapatos inadequados podem render multas a motociclistas

Sapatos inadequados podem render multas a motociclistas

Código de Trânsito não permite utilização de calçados com salto alto.
Quem infringir a lei está sujeito a multa de R$ 85,13 mais 4 pontos na CNH.

Do G1 PR

 

3 comentários

O número de mulheres que optam pelas motocicletas como meio de locomoção é crescente. Entretanto, o estilo de se vestir pode gerar multas. De acordo com o Código de Trânsito brasileiro é proibido pilotar motos com chinelos, sandálias que não ficam presas aos pés, especialmente, ao calcanhar, e calçados de salto alto. A mulher, que for flagrada, pode ser multada em R$ 85,13 e receber quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Veja na reportagem do Bom dia Paraná, da RPC TV Cascavel, quais são os sapatos adequados para motocicletas

A operadora de telemarketing, Marisa Schimitez, foi multada porque dirigiu com uma rasteirinha. Mas o calçado estava de acordo com as leis de trânsito porque é fixo ao calcanhar. “Como o agente de trânsito não para você para dizer que você está dirigindo com calçado inapropriado, se a calça tampar, ninguém vai ver que o calçado fixa perfeitamente sem comprometer o uso dos pedais”, afirmou Schimitez que recorreu da multa junto a Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito de Cascavel (Cetrans), no oeste do Paraná.

Diante da dúvida, se o sapato é ou não permitido pela legislação, os agentes de trânsito são orientados a não emitir a multa. Segundo Adão Kaliskievich, diretor da Cetrans, tanto os agentes de trânsito como os policiais militares só emitem a notificação quando têm certeza que há infração.

Para os homens, é mais fácil. Tênis, sapatos fechados e as sandálias presas no calcanhar estão liberados.