terça-feira, 1 de novembro de 2011

Trânsito pode ser inserido no currículo escolar

Especialistas defendem educação de trânsito como disciplina obrigatória por melhor trânsito

João Áquila, do Emsergipe.com

 

Aracaju estuda a possibilidade de criar corredores para ônibus ou trem, tenta renovar a frota de ônibus, construir ciclovias e faz campanhas para o uso das calçadas por pedestres. Mas nada irá funcionar se a população desconhecer as leis de trânsitos. Para o instrutor de trânsito, Alex Vinícius, é preciso que as crianças aprendam logo cedo, ele defende que a matéria entre para o currículo escolar. "A Legislação determina que haja educação, mas não define como. Entendo que se fosse currículo obrigatório teríamos um trânsito melhor. A maioria dos meus alunos só tem acesso às leis de trânsito quando vão tirar a CNH", afirma o instrutor.

O tema é polêmico, o superintendente da SMTT - Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito, Antônio Samarone acredita que seria importante, "mas os educadores afirmam que não é bom especificar, porque se não os negros, os ambientalistas, os índios irão querer uma disciplina específica”.

Outro que defende a alteração na grade curricular é o coordenador de trânsito da capital, capitão J. Luiz. “O trânsito não se limita aos carros, engloba o pedestre e o ciclista. Além disso, não se deve preocupar só com o trânsito em si, tem as questões psicológicas, de educação familiar”.

Pedestres e motociclistas em motonetas em perigo
Os números da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) apontam que pedestres e motociclistas são as maiores vítimas. Até agosto deste ano, foram 15 atropelamentos, 14 pedestres e 30 motociclistas se envolveram em acidentes, crescimento de 4% em relação ao ano passado.

“As maiores vítimas desconhecem as leis. Se você colocar na matéria que pedestre pode ser multado vai assustar muita gente. Quanto aos motociclistas, à maioria se acidenta com motonetas, veículos que não exigem CNH. Se parar uma destas pessoas e mostrar uma sinalização de trânsito eles não irão interpretar”, explica o instrutor Alex Vinícius.


Alex Vinícius

Andar em local proibido para pedestre, como a ciclovia que dá acesso ao Viaduto do DIA, é infração leve, segundo o artigo 254 do Código Brasileiro de Trânsito, ele está sujeito a multa de R$ 54. Os ciclistas também estão sujeitos a multas, segundo o artigo 255, conduzir em via proibida é infração média e multa de R$ 85.


Ciclistas ignoram ciclovias


Pedestre em ciclovias que proíbe o trânsito a pé

Para Samarone, o motociclista deveria ter o treinamento parecido ao que um motorista de transportes pesados. "É um veículo muito perigoso, que deveria ser usado esportivamente e não como meio de transporte. Infelizmente se vende sem nenhum critério. Junta o desconhecimento das pessoas com a tolerância dos poderes públicos e temos esse número absurdo de acidentes".

SMTT vai à escola
Para tentar amenizar o problema, a SMTT, através da coordenação de trânsito, leva para as escolas programas de conscientização como: “A faixa é do pedestre”, “Calçada livre”, “Velocidade mata”.


Antônio Samarone

Nas escolas, as crianças ajudam na pintura de faixas de pedestres. “É uma forma de criar nas crianças a consciência de que ele deve ser responsável, além de cobrar de seus pais o uso correto das vias públicas”, analisa Samarone.

“Não é o ideal, mas a gente tenta resolver este problema. Quanto mais cedo as pessoas têm conhecimento das leis de trânsito, melhor”, acredita o capitão J. Luiz.


Capitão J. Luiz

Segundo o instrutor Alex Vinícius, se fosse disciplina obrigatória não seria necessário o curso teórico. “Quando o cidadão fosse buscar treinamento para obter sua CNH, ele passaria mais tempo preocupado em aprender dirigir, pois há um abismo entre teoria e prática. Defendo a criação de uma média que seria consultada pelo Detran”, defende.

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário