quinta-feira, 24 de novembro de 2011

SINDIMOTO DIZ QUE SITUAÇÃO É POR CAUSA "DE IRRESPONSABILIDADE DO DONO DO PONTO".

 

Dirigentes do Sindimotos de São Gabriel acusaram o dono do ponto (Telemoto Buskar – Lokão) de irresponsabilidade ao não assumir posição em reuniões do Sindicato realizadas anteriormente ao processo de regularização. Segundo os dirigentes Arlindo Marques, Cinara Furtati, Sandro Chimendes e o delegado Wilson da Luz Rodrigues, o responsável pelo ponto (hoje, lacrado e impedido de funcionar) participou da Assembleia Geral Extraordinária que definiu ações para a regulamentação da profissão no Município e abriu mão de contestar as posições colocadas em votação. Uma delas, especificada em ata, tratou do número de telemotos em São Gabriel.
Apesar de mencionadas 14 telemotos e o nome da sua empresa não aparecer entre as citadas, o representante da Telemoto Buskar não questionou. “Ele deveria ter questionado naquele momento. Poderia ter pedido para ser inserida a sua empresa e buscar regularização posteriormente, ele simplesmente ficou quieto”, disse o dirigente.
“A gente lamenta a situação dos motociclistas, mas quem provocou essa situação foi o próprio líder deles”, disseram os dirigentes do Sindicato.
A direção do Sindicato descarta qualquer tipo de revanchismo no setor. O delegado Wilson da Luz Rodrigues disse que a entidade busca organizar o serviço. Mas são leis federais que regem a maioria das cobranças, apesar de um Decreto Municipal apontar diretrizes para o funcionamento.
A falta de documentos, como guia do Sindicato que estabelece recolhimento de contribuição sindical, previstos em Nota Técnica do Ministério do Trabalho e Emprego, são algumas das razões apresentadas pelo Sindicato para o cancelamento do funcionamento da telemoto. Mas não é o Sindicato que fecha ou abre telemotos, deixou claro o dirigente.
Apesar de faltar documentação, foram os prazos – não obedecidos pelo responsável pelo ponto – que decretaram o resultado final. Além disso, o fato de a Telemoto Buskar ter encaminhado documentação para a ASPEME, ao invés do setor de transportes, também dificultou mais a situação, alegam os dirigentes.

RESPOSTA
Ao contrário do que disseram os motociclistas da Telemoto Buskar, a empresa não é a mais antiga no mercado, segundo afirmou Wilson. A primeira a ser criada, em 2003, foi a Central Motoboys. É essa empresa que tem o telefone mais antigo (hoje).
O dirigente lembra que o processo de regularização da profissão foi uma questão muito complicada, que passou por 8 anos de reivindicações e reuniões. Alguns dos encontros realizados em São Gabriel foram “financiados” pelos próprios motociclistas.

VOLTA A FUNCIONAR!
No começo da noite desta terça-feira (22), o responsável pela Telemoto Buskar – Lokão conseguiram liminar na Justiça Gabrielense que autoriza a reabertura da empresa. A autorização é assinada pelo juiz Eduardo Furian

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário