terça-feira, 1 de novembro de 2011

Os acidentes representam a principal causa de morte de crianças no Brasil

 

Mais de 5 mil crianças morrem em virtude de acidentes, ao ano, o que significa cerca de 14 mortes e 300 hospitalizações por dia no Brasil. Entre os acidentes mais comuns, desçam-se os de trânsito, afogamentos, sufocações, queimaduras, quedas e intoxicações, além daqueles causados por armas de fogo.

Estudos comprovam que a maioria dos acidentes poderia ser evitada com ações de prevenção. Sendo assim, o Inmetro em parceria com a organização Criança Segura, organizaram a cartilha “Segurança Infantil” alertando sobre os acidentes e o uso de alguns produtos que oferecem riscos potenciais à segurança da meninada.

“Criança Cega os pais”. Essa era uma expressão popular que a minha mãe usava para ilustrar o quanto era preciso estar vigilante para garantir a segurança infantil, principalmente em casa, local que normalmente temos a sensação de ter maior controle do ambiente. Com o passar do tempo e com a chegada dos meus filhos essa expressão passou a fazer total significado para mim. Rápidos, criativos e sem noção de perigo os pequenos transformam tudo em brincadeira o que nem sempre pode acabar bem. Dessa forma, com base na cartilha, listamos algumas dicas que podem evitar acidentes domésticos.

Tomadas: Para evitar choques elétricos, cubra todas as tomadas que não estão em uso e não permita fios desencapados. Para aumentar a segurança dos usuários, o Inmetro tornou obrigatório o Padrão Brasileiro de Plugues e Tomadas.

Escadas: Use portões de segurança no topo e no pé das escadas, dentro e fora de casa.

Cortinas: Não use material potencialmente inflamável, como velas ou fósforos, próximo a cortinas. Preste atenção no tamanho dos cordões de cortinas e persianas. Eles não devem ficar em altura que possa ser alcançada por crianças.

Móveis: Mantenha os móveis longe de janelas e cortinas, para evitar riscos de queda. Cuidado com quinas pontiagudas. Fique atento em relação aos berços, pois brinquedos, travesseiros e lençóis dentro do berço podem causar sufocação. As grades do berço devem ter no máximo 6 cm entre elas. A partir de 2014, todos os berços deverão ter o selo do Inmetro.

Fogão: Use preferencialmente as bocas de trás do fogão. Não deixe o fogo aceso sem que haja uma panela sobre ele. Mantenha as panelas quentes longe do alcance de crianças e com o seu cabo virado para dentro do fogão.

Bancadas e Mesas: Cuidado com objetos de vidro, cerâmicas e facas. Mantenha objetos cortantes sempre bem guardados. Não utilize toalhas por baixo de recipientes com alimentos e líquidos quentes, pois a criança pode puxar a toalha e derrubar o conteúdo sobre ela. Muitas crianças atendidas em pronto-socorros são vítimas de queimaduras.

Vaso sanitário, chuveiro e banheira: As crianças, especialmente as mais novas, podem se afogar em apenas 2,5 cm de água. Por isso, mantenha a tampa do vaso fechada e travada. Um simples descuido pode Causar afogamento. Por isso, supervisione sempre uma criança tomando banho.

Pisos: Cuidado com pisos molhados e escorregadios. Eles são muito perigosos para rianças e adultos.

Remédios, produtos inflamáveis, produtos e utensílios de limpeza: Mantenha-os fora do alcance de crianças, de preferência em armários trancados. Para evitar riscos de sufocação, mantenha sacos plásticos longe de crianças. Esvazie todos os baldes e bacias e guarde-os virados para baixo, fora do alcance das crianças.

Janelas e varanda: Cuidado com as quedas. Instale grades ou redes de segurança em suas janelas e sacadas. Faça inspeções periódicas da tela e do sistema de fixação.

Brinquedos: Todos os brinquedos comercializados no Brasil, nacionais ou importados, devem ter o selo do Inmetro. Ao escolher brinquedos, sempre considere a idade e as habilidades da criança. Evite brinquedos com pontas afiadas como flechas e os que produzem sons altos. Compre brinquedos apenas em estabelecimentos legalizados.
Quedas representam a principal causa de hospitalização por acidentes com crianças. O risco é quatro vezes maior se a criança cai de um brinquedo mais alto que 1,5 m. Dessa forma, fique atento aos brinquedos de jardim. Verifique se os equipamentos são apropriados para a idade de seu filho, se o piso é macio como borracha ou areia e fique atento aos perigos como ferrugem, pregos expostos, superfícies instáveis ou quebradas.

Piscina: Crianças devem ser sempre supervisionadas por um adulto, quando próximas de uma piscina. Instale cercas de isolamento em todos os lados da piscina, com no mínimo 1,5 m de altura equipadas com portões e travas. No caso de piscina infantil, esvazie-a imediatamente após o uso. Ela deve ser guardada virada para baixo e fora do alcance das crianças. Fique atento também, a caixa d’água ou cisterna, mantenha-as sempre limpas e tampadas, de maneira que não possam ser abertas por uma criança.

Plantas: pesquisa sobre as plantas dentro e ao redor da sua casa para saber se elas são venenosas. Se identificar alguma, remova ou deixe-a inacessíveis para as crianças.

Essas medidas tornarão sua casa mais segura e reduzirá bastante o risco de acidentes domésticos. Para saber mais, confira aqui cartilha do Inmetro e da Organização Criança Segura na íntegra.

Por Bianca Reis


Fonte: Portal do Consumidor - 31/10/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário