quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Semtran reforça novas regras do serviço de mototáxi após a implantação dos motoxímetros

 

A secretaria municipal de Transportes e Trânsito (Semtran) está reforçando junto aos profissionais que prestam os serviços de mototáxi em Porto Velho as regras estabelecidas após a implantação dos motoxímetros e das correspondentes tabelas de preços. A ideia é evitar que ocorram abusos na cobrança das tarifas.

De acordo com o secretário adjunto da Semtran, João Marcos Mendes, os novos equipamentos já foram instalados em 400 dos 574 mototáxis que circulam pela cidade. Antes de serem implantados no sistema de transporte da Capital, os motoxímetros foram testados em laboratórios do Inmetro, onde foram submetidos a testes de vibração e resistência à água, calor e poeira.

Os usuários desse serviço, passageiros que costumam utilizar as mototáxis em Porto Velho, devem exigir que o mototaxista apresente a tabela de preços em vigor, assim como a touca higiênica interna, que serve de proteção ao capacete e também o uso do colete por parte do piloto. “Todos devem apresentar ainda um comprovante do pagamento do seguro obrigatório”, salientou o secretário.

Tarifa

Pela tabela aprovada na Semtran, com o aval da Associação dos Mototaxistas de Porto Velho, a tarifa da corrida inicia com um valor de R$ 3,00, com acréscimo de R$ 0,50 a cada quilômetro rodado. No caso da chamada bandeira 2, usual à noite e durante domingos e feriados, o quilômetro cobrado será de R$ 0,69. “O usuário deve saber exatamente o quanto está pagando. Com esse sistema trouxemos uma solução para um problema sério”, definiu João Marcos. Até a implantação dos motoxímetros, cada corrida era cobrada de forma subjetiva, com valores que não eram padronizados, o que gerava muita reclamação por parte dos usuários. O equipamento registra a quantidade de quilômetros que foram percorridos durante a viagem, bem como o valor convertido a ser cobrado do cliente.

Fonte/Autor: Assessoria

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário