sexta-feira, 7 de outubro de 2011

RS corre risco de ficar sem examinadores de trânsito em dois meses, alegam servidores

Motivo seria o encerramento de contratos emergenciais de 170 profissionais

O Rio Grande do Sul pode ficar sem examinadores de trânsito em dois meses. Todos os 170 profissionais têm contratos emergenciais firmados em 2008, com prazo de dois anos. Depois de uma prorrogação, o contrato terminou ontem para 22 pessoas. A partir desta quinta-feira, os prazos se encerram individualmente até que, em dois meses, o Estado não terá mais profissionais para a realização de exames teóricos e práticos.

O advogado André Moura, que atua em alguns Centros de Formação de Condutores, explica que o Detran enviou um comunicado interno e que as perspectivas não são boas.

— A comunicação que foi recebida nos CFCs pela autarquia Detran/RS foi do tipo assim: "reconhecemos e sabemos que temos um problema. Por favor, evitem nos perguntar e questionar o que fazer" — relatou o advogado.

Nesta quarta-feira, mais de 500 gaúchos já não puderam realizar provas teóricas e 25 CFCs ficaram fechados em pelo menos 18 municípios. O Detran aposta na aprovação do projeto que tramita na Assembleia Legislativa e autoriza nova prorrogação dos contratos emergenciais. O texto deve ser votado na próxima semana.

O Detran/RS informa que está providenciando mutirão para o reagendamento dos exames teóricos no Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário