quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Em terra brasilis, a categoria é Stock Car

Sem contaminação
Em mais um final de semana sem o cirquinho do Verme trabalhando, as demais categorias mundiais entram em campo. Aqui, em terra brasilis, a categoria de maior destaque foi a Stock Car. Lá fora, a categoria de maior prestígio a se apresentar foi o Mundial de Motos que realizou a etapa em Montegi, no Japão. O mundial de Rally, WRC, realizou sua etapa da França. Na terra do Tio Sam, a F Indy realizou sua penúltima etapa. E houve muitas etapas de outros campeonatos regionais, nacionais e internacionais que sempre tentam não rivalizar com a F1.

Show. O mundial de motos é uma das melhores categorias que se pode assistir na TV, pois a equipe que faz a transmissão e edição do evento é muito experiente e bem profissional. Assim, sabe como mostrar o que esse público, motociclistas, quer e dá valor. As 125 cilindradas é a categoria que normalmente abre o dia de competição. E que sempre nos proporciona belas e ótimas disputas.

Chato. Infelizmente, as 125 cc se despede do calendário no final desta temporada. Por que o marketing atual é totalmente contra os motores dois tempos. Já ano que vem, teremos uma nova categoria com motos quatro tempos de 250 cc, monocilíndricas e com barulho ou som dos mais horripilantes para não dizer horríveis e o pior, sem aquele cheirinho do óleo dois tempos. Perderemos a sinfonia dos dois tempos para dar lugar ao barulho nojento dos quatro tempos monocilíndricos, assim como aconteceu na Motocross recentemente.

Finalmente. Depois de bater na trave em várias etapas nesta temporada, finalmente Johann Zarco venceu uma etapa. Na corrida de Misano, o francês cometeu uma das maiores trapalhadas dos últimos tempos no mundo das duas rodas. Ao conseguir confundir a linha de chegada e ou ainda pior, tirar a mão antes da verdadeira linha. Porém, ele conseguiu manter o foco e assegurar sua primeira vitória. E o inimigo foi o de sempre: Nicolas Terol que chegou em segundo e é, praticamente, o campeão de 2011.

Demais. Mais uma vez, a Moto 2 que substitui a 250 dois tempos com motos quatro tempos de 600 cc. Foi a melhor do dia. Pelo menos nessa substituição o som das motos não é nada horripilante, pois os quatro tempos de quatro cilindros também produzem uma sinfonia para nossos ouvidos, ao contrário das mono de quatro tempos. A estrela do dia foi o meteoro Iannoni. O cara anda muito e deu show apesar dos erros cometidos, ele conseguiu se superar, com velocidade domínio da moto. Iannoni foi simplesmente demais. Marquez bem que tentou, mas não conseguiu conter o ímpeto do italiano.

Falta espinafre. A categoria rainha ficou no normal. Sem grandes disputas. E só não foi mais sem graça porque a Honda, de Stoner, sofreu uma pequena crise de tremedeira ao entrar num pequeno trecho de reta que leva à curva do túnel. Stoner perdeu a ponta e caiu para sétima posição. Nesta hora, o líder passou a ser Dovizioso seguido de Simoncelli, porém, os dois foram punidos com uma passagem pelos boxes por terem queimado a largada. Valentino Rossi ficou na primeira curva e levou Ben Spys com ele. A vitória caiu no colo de Pedroza e Jorge Lorenzo ficou com o segundo posto. Stoner ainda conseguiu chegar ao pódium. A recuperação de Stoner foi facilitada com a penalização de Dovizioso e Simoncelli.




Nenhum comentário:

Postar um comentário