quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Semtran orienta sobre mototaxímetro e serviço de mototáxi na capital

Em meio à maré de dúvidas causadas pela implantação do uso de mototaxímetros como forma de regulamentar o valor das passagens e dar maior segurança aos usuários deste serviço, a secretaria municipal de Trânsito (Semtran), reuniu na manhã desta terça-feira, 20, no auditório da biblioteca municipal Francisco Meireles, cerca de 100 mototaxistas que já possuem o equipamento, para passar informações técnicas e esclarecer, aos mesmos, possíveis questionamentos e ainda, questões de saúde dos condutores do mototaxímetro.

O equipamento, com referência nacional, começou a ser instalado no mês passado e até o momento foram 258 dos 574 totais. “Estamos em um período de estruturação, e é comum que se tenham ajustes a serem feitos. Terminamos o recadastramento e fizemos fiscalização e a categoria toda está regulamentada e organizada, agora poderemos trabalhar o uso do mototaxímetro. Sim, este veio para ficar”, afirma João Marcos Mendes, secretário adjunto da Semtran.

Para o mototaxista Lúcio Miranda, a categoria está desconfiada devido esta ser uma novidade. “Tudo o que é novo causa algum impacto e a maioria dos colegas acham que este mototaxímetro não vai funcionar, que será uma exigência que não será cumprida e finalizada. Eu particularmente acredito que vai dar certo, principalmente porque acho que vai dar maior credibilidade ao nosso trabalho, pois a população desacreditou na gente quando, alguns colegas cobravam preços abusivos”, comenta Lúcio.

O colega, Osmar Batista de Oliveira, explica que como titular, trabalha durante o dia, tem sido bom o uso do equipamento. “Acredito que a idéia de se ter um mototaxímetro é boa, mas o meu foi um dos que causaram problema, ele não agüentou água”, afirma Osmar.

O coordenador municipal de Trânsito, Rogério Viana, durante a reunião esclareceu sobre o valor da bandeira que atualmente é de 0,50 centavos para o dia e 0,69, à noite e disse que o possível aumento só pode ser feito depois que todos os mototaxímetros forem colocados e ainda, for resolvido junto com a empresa fabricante a questão dos equipamentos defeituosos. “É preciso encaminhar nessa demanda à Semtran que irá analisar, deverá apresentar um cálculo. Quanto ao mototaxímetro vamos nos reunir com o fabricante no final da semana e iremos fazer testes, que irão esclarecer qual é o problema com água e também falhas nos painéis, segundo as reclamações que nos foi passado”, afirma Rogério.

Fonte/Autor: Assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário