terça-feira, 20 de setembro de 2011

Semana Nacional de Trânsito reforça o compromisso de cada um na luta pela vida nas estradas

As ações de segurança no trânsito partem de entidades relacionadas ao Sistema Nacional de Trânsito (18 a 25 de setembro), entre elas, os Centros de Formação de Condutores, cujo papel é de formar condutores conscientes e sensibilizados para as questões das normas de circulação e conduta, da direção defensiva e que preserva a vida.

Os governos de 192 países assumiram a responsabilidade de lutar pela redução de 50% o número de mortes no trânsito durante a década de compreende 2011-2020, batizada e lançada pela Organização das Nações unidas (ONU) como a Década de Ação Pela Segurança no Trânsito, que é o tema da Semana Nacional de Trânsito deste ano.

O convite à participação das entidades públicas e privadas será, cada vez mais, reforçada, afinal, o objetivo de alcançar um trânsito seguro que deixe de matar 1,3 milhões de pessoas anualmente beneficiará a todos, das crianças e adolescentes pedestres e caroneiros, até os motoristas profissionais.


O psicólogo e instrutor de trânsito, Luís Eduardo Cadore

Segundo o psicólogo e instrutor de trânsito do CFC Cadore, Luís Eduardo Cadore, que esteve participando do lançamento da Semana Nacional de Trânsito na Assembleia Legislativa de Porto Alegre no último dia 12, as ações devem partir de cada comunidade, aliada às propostas governamentais que, especialmente no Rio Grande do Sul, tem sido um dos principais focos do governo do estado, na figura de liderança do vice-governador Beto Grill, que preside o Comitê Estadual de Mobilização pela Segurança no Trânsito.

No Seminário, a sociedade foi convocada a dar mais atenção aos motoristas profissionais que possuem fundamental papel na economia brasileira, mas se envolvem em muitos acidentes, na muitas dessas vezes ocasionadas pelas longas jornadas de trabalho e muito tempo consecutivo ao volante, além das condições precárias de muitos de seus veículos. A criação e posterior aprovação do Estatuto do Motorista, elaborado pelo senador Paulo Paim, busca legitimar aços direcionadas a esses profissionais.

Dicas e Segurança no Trânsito

O termo acidente de trânsito, segundo Eduardo Cadore, deve ser revisto, já que a grande maioria dos eventos que costumeiramente chamamos de acidentes são, na verdade, passíveis de prevenção e evitáveis se tanto os condutores quanto os órgãos responsáveis pela fiscalização, manutenção das vias e educação (incluindo a escola regular) aumentarem seu campo de ação.

A busca por um trânsito seguro perpassa nosso comportamento e relação com a cidade e seus cidadãos. Comportamentos positivos, cotidianos e simples podem ajudar a preservar a vida de muitas pessoas, como:
•atravessar na faixa de segurança verificando a distância segura dos veículos, bem como respeitar a travessia de pedestres na faixa de segurança;
•utilizar o cinto de segurança sempre (mesmo para pequenos trajetos) e cobrar o uso pelos demais ocupantes do veículo;
•uso do capacete com a viseira fechada e com a cinta jugular que o prende na cabeça bem justa;
•respeitar a sinalização, pois estas são colocadas nas vias após estudos de especialistas em trânsito em áreas e perigo potencial;
•manter as mãos no volante e guidão firmes e sempre. O uso de celular, o consumo e chimarrão ao volante, entre outros, nos tiram a atenção e uma as mãos do volante, causando mais acidentes do que costumamos imaginar;
•fazer manutenção do veículo regularmente e sempre antes de viajar;
•sinalizar toda manobra, seja ela a mais simples até a mais complexa;
•ciclista não pedalar na contra-mão ou em cima de calçadas.

São pequenas ações, mas importantes atitudes que fazem a diferença para evitarmos tragédias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário