sábado, 24 de setembro de 2011

Lucas do Rio Verde: Regularização do Motofrete vai garantir mais segurança aos profissionais, garante Airton Callai


Por: Danieli Marcante/Assessoria



Transportar objetos com rapidez, agilidade e baixo custo são alguns dos benefícios do Projeto de Lei de Moto-frete criado pelo vereador Airton Callai, cujo objetivo principal é a regulamentação da profissão, além de contribuir para a melhoria da categoria, oferecendo mais segurança e qualidade de trabalho para o profissional, confiança e credibilidade as empresas prestadoras do serviço e consequentemente segurança para a sociedade.

Com o adensamento do trânsito nos últimos anos em todo país, a profissão de Moto-frete, surgiu a principio para dar mais agilidade no transporte de pequenas mercadorias, mas hoje se tornou uma das profissões mais comuns no Brasil. O reconhecimento dessa classe trabalhadora como profissionais é motivada pelas grandes mudanças no mercado de trabalho brasileiro nas últimas décadas, principalmente na questão econômica, pois a adesão do serviço diminui consideravelmente os custos para as empresas e até mesmo para pessoa física que necessitam desse tipo de entrega.

De acordo com Callai, o projeto ainda tem o intuito de trazer mais dignidade às pessoas que trabalham nessa área, através da capacitação profissional, da renda fixa, propiciando a realização de sonhos. “A criação de cooperativas de serviços, a profissionalização desses Moto-frete, fará com que eles desempenhem o trabalho com mais agilidade e principalmente com maior segurança” e acrescenta, “através do serviço de entregas pelo Moto-frete podemos resolver diversos problemas de forma rápida e segura”.

A profissão em si, refere-se à prestação de serviços de Moto-frete para entrega e coleta de pequenas cargas por meio de motocicletas como: coletar, transportar e entregar, faturas, boletos bancários, documentos, executar serviços diversos em bancos, lojas, farmácias e outros produtos condizentes ao tamanho e capacidade do veículo. “É preciso estar ciente e respeitar as leis. Hoje vemos motociclistas transportando no sidecar até oito, dez, caixas de cerveja, ou vários botijões de gás. Isso é desproporcional a capacidade do veículo e, pode causar acidentes graves. Além disso, nessa promessa de agilidade, muitos deles excedem a velocidade, ultrapassam por locais não permitido, não respeitam a sinalização. Por esses e outros motivos vimos a necessidade da criação desse projeto que irá regulamentar o serviço”, conclui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário