sábado, 10 de setembro de 2011

Com lesão no punho direito, Toseland anuncia aposentadoria aos 31 anos


James Toseland anunciou nesta sexta-feira (9) que está encerrando sua carreira por conta de uma lesão no punho direito. Piloto de 31 anos sofreu um acidente no circuito Aragón durante um teste do Mundial de Superbike e não recuperará mobilidade do punho

James Toseland anunciou nesta sexta-feira (9) que está encerrando sua carreira no motociclismo. O britânico sofreu um acidente em março deste ano no circuito de Aragón, durante um teste do Mundial do Superbike e sofreu uma grave lesão no punho direito. Apesar da cirurgia e da fisioterapia, o piloto de 31 anos não conseguiu recuperar a mobilidade no local da lesão e não poderia voltar a correr em alto nível.

Na tarde da última quinta-feira, Toseland esteve com o cirurgião ortopédico Mike Hayton, que confirmou que o dano era irreparável e o aconselhou a encerrar a carreira. Pela gravidade da lesão, James não conseguiria utilizar o acelerador de maneira adequada, assim como teria dificuldade para fazer as curvas para a direita.

“JT mostrou dedicação e determinação na nossa meta de recuperar da melhor forma possível a função de seu punho direito. Ele agiu rapidamente para reparar o dano com uma cirurgia e a reabilitação e, inicialmente, acreditamos que tinha ido tudo bem, mas também fomos claros desde o começo de que a lesão era potencialmente uma ameaça a carreira dele e uma lesão devastadora”, disse Hayton. “Enquanto sua dedicação a recuperação tem sido admirável e ele continua fazendo progressos, ele não recuperou muitos movimentos no punho direito para continuar como um motociclista de elite. Tivemos uma difícil conversa sobre o futuro de sua carreira, na qual ele mostrou um profundo senso de profissionalismo e um comportamento altruísta de abrir caminho para jovens pilotos talentosos. Trabalhar com atletas como JT é um privilégio e nos faz querer fazer o que fazemos”, afirmou o médico.

O piloto reconheceu que foi difícil tomar a decisão de se aposentar, mas destacou que não poderia colocar a segurança de outros pilotos em risco e nem mesmo ocupar uma vaga no Mundial de Superbike sabendo que não teria um bom desempenho.

“2011 foi um ano difícil para mim e essa semana foi uma das mais difíceis da minha vida, mas eu fui aconselhado por profissionais e ficou claro que o meu acidente em Aragón me deixou com uma desabilidade permanente, o que significa que eu nunca mais poderei correr de forma competitiva”, explicou. “Apesar de ser difícil de ouvir, tenho que enfatizar a segurança dos outros pilotos no grid, assim como a minha segurança. Acho que não é justo ocupar uma vaga no Mundial de Superbike com um time tão profissional quanto a BMW Motorrad Italia quando há pilotos talentosos e em forma disponíveis e que estão desesperados por este tipo de oportunidade”, afirmou James.

Bicampeão de Superbike, Toseland, que também disputou as temporadas de 2008 e 2009 da MotoGP pela Yamaha Tech 3, agradeceu o apoio da equipe e dos fãs e afirmou que apesar da tristeza pela aposentadoria, guarda boas memórias de sua carreira.

“Eu tive muita sorte por ter tido uma longa e bem sucedida carreira, fazendo algo que amo e sou muito grato por isso. Tive sorte o suficiente para me recuperar de sérias lesões no passado e tive o apoio de uma ótima família, de amigos excelentes e de fãs fantásticos que me ajudaram nos altos e baixos. Eu gostaria de agradecer ao time pelo apoio e compreensão e todos os meus patrocinadores pessoais que permaneceram fiéis”, disse. “Espero que o time encontre um substituto que seja capaz de honrar a moto e as pessoas que trabalham nela. Não esperava me aposentar agora ou dessa forma e estou extremamente triste em deixar as corridas para trás, mas ainda tenho as memórias das incríveis oportunidades e do sucesso que essa carreira me proporcionou”, concluiu.

Andrea Buzzoni, diretor da BMW Motorrad Italia, equipe de Toseland na Superbike, destacou as qualidades do britânico e agradeceu ao piloto pelo trabalho desempenhado.

“Pessoalmente estou muito triste com a aposentadoria do James. Tive a oportunidade de conhecê-lo este ano e pude apreciar o seu profissionalismo e, especialmente, suas qualidades como pessoa em um ano tão difícil”, disse. “Quero agradecer ao James pelo seu comportamento, pela sua linda e transparente personalidade, pela sua bondade e pelo seu profissionalismo. Existem muitos pilotos rápidos, mas o James reúne talento e é um grande ser humano. Ele é um excelente piloto – um campeão – e uma pessoa muito boa e positiva. Obrigado, James!”, encerrou Buzzoni.

Nenhum comentário:

Postar um comentário