quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Alguns já estão em dia com a lei em Santa Maria

Mototaxistas e motofretistas podem ser vistos pelas ruas de Santa Maria com veículos personalizados .


Há pouco mais de um mês da homologação da lei que regulamenta a prestação de serviços de transporte individual de passageiros (mototaxistas) e de entrega de mercadorias (motofretistas), os primeiros profissionais que usam o veículo de duas rodas adequados às regras impostas pela prefeitura já podem ser vistos pelas ruas de Santa Maria. Tanto que empresas da cidade já apostam na venda de motos personalizadas nas cores laranja (mototáxis) e branca (motofretes). O administrador geral da Azurra Motos Yamaha, Cleiton Minussi, 32 anos, conta que já foram vendidas 10 motocicletas customizadas. Segundo ele, esse processo não aumenta o valor total do veículo.

? Com isso, incentivamos o trabalho desses profissionais. Esses que estão se adaptando estão agindo de forma mais prudente ? diz.

Minussi acredita que as vendas devam crescer a partir de setembro, quando faltarão dois meses para que todos os 420 mototaxistas e os 390 motoboys e motofretes cadastrados pela prefeitura estejam em dia com a lei (veja ao lado). A revendedora Bramoto cobra cerca de R$ 300 para a pintura em uma das cores. As duas concessionárias foram indicadas pelo Sindicato dos Mototaxistas de Santa Maria (Sindimotos) como as que vendem as motos padronizadas.

Mototaxista há mais de dois anos, Jairo Ramos, 46 anos, comprou a moto já saída da loja na cor laranja no dia 1º. Desde então, ele conta que seu faturamento aumentou 40% e, hoje, já escolhe os finais de semana de trabalho. Os itens obrigatórios de segurança serão adquiridos em breve.

? As pessoas preferem andar com quem já está adaptado à nova lei porque se sentem mais seguras. Fora que a cor laranja chama bem mais a atenção e ajuda a diferenciar aqueles que têm moto para trabalho ? conta.

Nova lei ? A prefeitura deverá pedir ajuda à procuradoria do município para esclarecer se, com as alterações do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e a homologação da lei municipal, deverá ser dado início à fiscalização dos mototaxistas e motofretistas no final de outubro. No início de agosto, o Contran estabeleceu novos requisitos de segurança aos profissionais, que têm um ano para se adequar. Entre as alterações estão a proibição do transporte de combustíveis, produtos inflamáveis ou tóxicos, com exceção de gás de cozinha.

Apesar da indefinição, 150 trabalhadores já concluíram o curso específico para a categoria, exigência para a liberação, pela prefeitura, do número da placa vermelha. Conforme o presidente do Sindimotos, Carlos Alberto Gonçalves Soares, nesta semana os 150 assinarão apólice de seguro de vida em caso de acidente e invalidez permanente para o condutor e o passageiro, com pagamento mensal.

manuela.vasconcellos@diariosm.com.br

MANUELA VASCONCELLOS

MAIS
São Gabriel
Foi assinado, na sexta-feira, decreto que legaliza o serviço de mototáxi em São Gabriel. Pela lei, foram determinadas as padronizações dos veículos, licenciamento e credenciamento das empresas. A prefeitura irá buscar no Ministério do Trabalho cursos de qualificação para os profissionais

FONTE CLICKRBS

Nenhum comentário:

Postar um comentário